UOL/FOLHAPRESS – O piloto Sebastian Vettel foi o vencedor do Grande Prêmio de Singapura em uma prova marcada pelas três entradas do safety car na pista.
Seu colega de escuderia, Charles Leclerc, que havia largado na pole position, ficou na segunda colocação após sair atrás do alemão em sua parada no pit stop e não conseguir recuperar a ponta. Pela primeira vez, uma escuderia conseguiu a dobradinha no complicado circuito de Marina Bay.
Max Verstappen aproveitou as brechas dadas pelos rivais e terminou na terceira colocação. Lewis Hamilton, que lidera o campeonato, chegou a ocupar a 1ª posição temporariamente, mas a estratégia adotada para a prova não surtiu resultado e ele acabou o GP apenas na quinta colocação.
A corrida teve uma largada “limpa” e Leclerc conseguiu defender a posição que conquistou durante o treino classificatório de ontem (21). Durante as 10 primeiras voltas do circuito, o piloto monegasco conseguiu manter vantagem considerável sobre Hamilton, o segundo colocado, e Vettel, que vinha logo atrás do inglês na terceira posição.
Os destaques do início da prova foram a briga por posições entre Valteri Bottas e Max Verstappen, quarto e quinto colocados, respectivamente, e a excelente corrida de recuperação desempenhada por Daniel Ricciardo, que chegou à 12ª colocação após largar dos boxes por conta de punições sofridas no treino classificatório.
Na 20ª volta, a Ferrari optou que Vettel fizesse seu primeiro pit stop, deixando Leclerc mais tempo na pista. Ao sair dos boxes, o piloto voltou na 10ª posição. Mas Verstappen, que vinha logo atrás, também fez sua parada e retornou na 12ª colocação.
Leclerc entrou no pit stop na volta 21 e fez excelente parada, ficando apenas 2,4 segundos no boxe. Contudo, o piloto voltou atrás de seu colega de escuderia na oitava colocação. Hamilton, que assumiu a ponta após a parada do monegasco, apostou em ir para os boxes bem depois de seus concorrentes. O britânico só fez seu pit stop na 27ª volta, e acabou voltando na oitava colocação.
Próximo à metade da corrida, Sebastian Vettel assumiu a primeira posição. O piloto fez manobra arrojada para ultrapassar Gasly, sendo que os carros chegaram até a tocar rodas no momento. Contudo, a direção da prova optou por não abrir investigação sobre o incidente.
Lewis Hamilton, em conjunto com a escuderia, montou toda sua estratégia apostando na entrada do safety car na prova, já que, historicamente, o carro é acionado com frequência no circuito de Marina Bay. E se a estratégia vinha dando errado até a 35ª volta, pareceu que o cenário mudaria após Grosjean e Russell se tocarem e o piloto da Williams colidir contra o muro.
Foi necessária a entrada do safety car na prova para que o carro do inglês fosse retirado da pista, confirmando assim as previsões da Mercedes. Quando o safety car foi acionado, Vettel ocupava a primeira colocação, seguido por Leclerc, Verstappen, Hamilton e Bottas.
O safety car deixou a pista na volta 40, e Vettel conseguiu manter bem sua vantagem na relargada da prova. Como a pista é a que tem o maior número de curvas na temporada (23), os pilotos tiveram dificuldade para tentar ultrapassagens. Quatro voltas depois, o safety car precisou retornar à pista após Perez ter problemas com seu carro.
Enquanto o safety car ainda estava na pista, Charles Leclerc conversou com membros da Ferrari, que o alertaram sobre a importância de uma dobradinha da escuderia na prova. Mesmo incomodado, o piloto deixou claro que não tentaria nenhuma manobra que pudesse arriscar o domínio na prova.
A corrida teve sua relargada na volta 47, e Vettel mais uma vez seguiu na ponta, uma vez que Leclerc não acelerou o ritmo para pressionar o colega de Ferrari. Contudo, a prova nem chegou a engrenar, já que após apenas três voltas o carro de segurança foi acionado novamente após incidente entre Raikonnen e Kvyat. O safety car ficou na pista por apenas uma volta, mudando pouco o panorama que já estava traçado desde as interrupções anteriores.
Vettel seguiu apresentando o desempenho consistente que teve durante toda a prova e terminou a corrida na primeira colocação, seguido de perto por seu colega de escuderia, Charles Leclerc. Max Verstappen terminou na terceira posição e conseguiu garantir um lugar no pódio ao chegar na frente dos pilotos da Mercedes, Bottas e Hamilton, que ficaram na quarta e quinta colocação, respectivamente.