A venda de veículos novos nos meses de janeiro e fevereiro de 2010 foi a maior já registrada pela indústria automotiva em um bimestre.

Para o presidente da Anfavea, Jackson Schneider, o crescimento da economia brasileira e o anúncio do fim da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) estão entre os principais fatores para explicar a alta. O IPI reduzido para carros flex vigora até 31 de março.

“(Colaboraram) as condições econômicas de um modo geral e, talvez, a antecipação de vendas em razão do anúncio do final do benefício do IPI, a partir do início de abril. Mas, fundamentalmente, o que se vê é um crescimento da economia brasileira. Temos um crescimento de emprego, de massa salarial. Tudo isso junto, mais o sentimento de confiança, torna nosso mercado maior”, disse.

O presidente da Anfavea destacou que o setor não está se movimentando para tentar "esticar" a vigência da redução do IPI, e que a indústria automotiva já se programou para o encerramento do desconto no tributo no final de março.

Bruno Bocchini – ABr