O varejo paranaense teve alta acumulada de 9,01% nas vendas no primeiro bimestre do ano, conforme dados da Pesquisa Conjuntural da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio PR). Os setores que mais contribuíram para esse resultado foram as lojas de departamentos (32,51%), materiais de construção (14,04%) e concessionárias de veículos (13,60%). O ramo de óticas, cine-foto-som também teve crescimento expressivo, de 40,35%, principalmente pela demanda gerada com o Carnaval e promoções realizadas pelos lojistas.

Em relação a janeiro, o comércio apresentou queda de 8,06%, o que é considerado normal, tendo em vista a menor quantidade de dias úteis do mês de fevereiro. Por outro lado, na comparação com fevereiro de 2018, houve elevação de 8,55% no faturamento das lojas.

Entre as regiões pesquisadas, Londrina teve o melhor resultado do bimestre, com aumento de 14,05%, estimulado pelas concessionárias de veículos (36,66%) e pelas lojas de departamentos (30,19%). Na sequência consta a região Oeste (11,58%), Curitiba e Região Metropolitana (8,04%), Maringá (5,48%) e Ponta Grossa (4,06%). O Sudoeste foi a única região a demonstrar queda nas vendas, com redução de 18,61% no acumulado de janeiro e fevereiro.

Estoques

Neste primeiro bimestre, os lojistas ampliaram os estoques em 9,83%, o que demonstra o alto índice de confiança na economia do Estado e boas expectativas de vendas. Destaque para os setores de óticas, cine-foto-som, lojas de departamentos e autopeças. Na comparação com fevereiro do ano passado, as compras de mercadorias cresceram 9,91%.

Emprego e renda

O nível de emprego no varejo paranaense cresceu 1,14% nos dois primeiros meses do ano. Os ramos que mais contrataram foram as lojas de departamentos (18,84%), materiais de construção (5,35%), farmácias (5,47%) e concessionárias de veículos (3,41%).

Em relação à folha de pagamento, a pesquisa registra aumento de 4,2% na remuneração dos trabalhadores do comércio no acumulado de janeiro a fevereiro, principalmente por conta das bonificações e participação nas vendas. Observa-se que as maiores elevações nos rendimentos foram justamente nos setores que apresentaram alta mais expressiva nas vendas, tais como óticas, cine-foto-som (31,16%), lojas de departamentos (15,58%) e supermercados (11,16%).

Fonte: Fecomércio PR