Um projeto da Companhia de Habitação de Santa Catarina (Cohab-SC) prevê a construção de 3 mil casas na região do Vale do Itajaí.

Um projeto da Companhia de Habitação de Santa Catarina (Cohab-SC) prevê a construção de 3 mil casas na região do Vale do Itajaí, uma das mais atingidas pelos temporais em todo o estado.

A estimativa, de acordo com comunicado divulgado pela Defesa Civil de Santa Catarina, é que sejam necessários R$ 45 milhões – entre verbas da União, do governo estadual e da iniciativa privada – para construção das casas.

Segundo a nota, seis moradias já começaram a ser construídas no município de Itajaí. Outras 150 casas devem ser erguidas até o Natal.

Terão prioridade famílias com registro no atendimento da Defesa Civil de Santa Catarina, famílias residentes nas áreas rurais, ribeirinhas ou em morros, famílias cujo chefe seja um idoso ou mulher, famílias que possuam deficientes físicos ou tenham um grande número de crianças e famílias que não possuam outra moradia.

A Cohab explica que terão prioridade imediata os municípios que disponibilizarem terrenos para a construção de habitações coletivas (casas ou prédios), além de famílias que possuam terreno com alvará das prefeituras.

Benefícios
A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) autorizou nesta sexta-feira as instituições bancárias a dispensarem os juros de pagamentos de contas vencidas nos dias 24 e 25 de novembro e quitadas até o dia 28. A medida vale para os municípios de Santa Catarina atingidos pelas enchentes.

"Em conseqüência da catástrofe ocorrida nos municípios catarinenses de Balneário Camboriú, Blumenau, Brusque, Camboriú, Gaspar, Guabiruba, Itajaí, Navegantes e Tijucas, (a Febraban) recomenda a seus associados que dispensem os juros das cobranças referentes a boletos de cobrança com vencimento dias 24 e 25 de novembro e pagas até o dia 28 de novembro – referentes a cobranças de mensalidades escolares, clubes e condomínios, por exemplo", traz a nota divulgada pela instituição.

O texto faz referência à tragédia de Santa Catarina, onde, até o momento, 35.325 pessoas estão desabrigadas devido à forte chuva do período.