Uma homenagem vínica às namoradas no seu dia

430

Sempre é tempo de agradar a mulher especial da sua vida. Curtir um bom vinho a dois será um programa imperdível neste DIA DOS NAMORADOS. E se a elegante bebida vier em uma bonita embalagem e, ao abrir, o nome dela aparecer no RÓTULO?

Tenho certeza que será uma surpresa e tanto! Namoradas, noivas, esposas e afins ficarão lisonjeadas com tamanha homenagem. Use sua criatividade de apaixonado nesta data e na homenagem, são tantas oportunidades que vale a pena.

Nesta data em que se comemora o amor, ao revermos a história, em especial no mundo vínico, podemos ver que o amor anda sempre junto e deixou marcas indeléveis e ao degustarmos certos vinhos estamos prestando, sem o saber, uma homenagem ao amor daqueles que nos antecederam, com elegância, paixão e competência.

Como já discorremos em outras matérias, sempre fazemos questão de fazer referência especial ao VINHO E AS MULHERES, pois desde os primórdios dos tempos, onde o vinho já imperava a mulher sempre foi louvada por poetas e pensadores, em especial na mitologia Greco-Romana, que nos mostra a origem de Dionísio e Baco por uma mulher, as sacerdotisas da Antiga Grécia, as empresárias vínicas no decorrer dos séculos seguintes até as enófilas dos tempos hodiernos.

A saga da mulher no mundo vínico é tão antiga quanto à própria bebida, e a história está repleta de incríveis e extraordinários amores que deixaram sua marca e transformaram o néctar dos deuses numa homenagem ao amor.

Que dizer de Helena de Tróia que apaixonada por Páris, na noite em que tirava o modelo de seus seios, a pedido de Zeus, o pai dos deuses do Olimpo, para degustarem ambrosia, o líquido dos deuses, fugiu e ocasionaram um guerra em que os gregos destruíram Tróia, decantada na Iliada POR HOMERO, em que a mitologia até hoje mostra que a TAÇA DO CHAMPAGNE teve como primeiro modelo os seios de Helena. Maria Antonieta, esposa de Luís XVI, num gesto semelhante, mandou confeccionar taças do Champagne em porcelana moldada em seus seios, o que fez voltar a moda de tomar vinhos em taças, que segundo a lenda tem uma origem maravilhosa, divina mesmo e deve-se às mulheres. Este líquido borbulhante, como todo o grande vinho, talvez devesse ser bebido de joelhos, desde que na outra borda, fiquem os lábios da mulher amada. Mas, nesse mundo ímpio é bebido prosaicamente como um vinho qualquer, sem nenhuma cerimônia ou respeito. Muitos se recordam que na Belle Époque, aconselhava-se a bebê-lo no sapato da mulher amada.

Ao brindar com seu amor neste DIA DOS NAMORADOS, escolha a VEUVE GLICQUOT ¬- PONSARDIN, o grande nome do CHAMPAGNE FRANCÊS, que após perder o marido, enfrentou o mundo vínico, criando grande nome do Champagne no mundo. O nome de Madame Clicqot é reverenciado no Champagne LA GRAND DAME.

Entre tantas referencias nominal, onde podíamos escrever um livro sobre o assunto, vamos citar algumas numa justa homenagem:

ANGÉLICA: Vinho tinto argentino ANGELICA ZAPATA MALBEC. Um ícone argentino no mundo. Encorpado, é o ideal para acompanhar pratos à base de carnes, de preferência grelhadas.

ÁMÉLIA: Vinho branco chileno AMELIA CHARDONNAY, uma bebida de paladar fresco para curtir bons momentos a dois.

CARMEN; Vinho tinto chileno, VIÑA CARMEN CLASSIC, com sabores marcantes, entre outras carnes, acompanha um delicioso cordeiro.

ISABEL: Vinho branco seco neozelandês ISABEL STATE PINOT GRIS. Leve para a praia esta nectar dos deuses produzido no outro lado do mundo. Combina muito bem com peixes e frutos do mar.

MARIA: Vinho tinto português NOVAL MARIA MANSA VQPRD. De vermelho intenso, o vinho do Douro é um ingrediente a mais para acender o clima de paixão intensa.

CRISTINA: Vinho tinto italiano SANTA CRISTINA. Comida da mamma no prato? Os especialistas dizem que a combinação é uma experiência inesquecível.

KLEIN CONSTANTIA-VIN DE CONSTANCE: produzido na África do Sul, recebeu o nome da esposa do colonizador deste país, tendo o VALE CONSTANCIA, na Cidade do Cabo, sua principal região produtora. Vinho branco doce da cepa Muscat de Frontignan.

EMILIA: produzido pela Vinícola Nieto Senetier, instalada no coração de LUJAN DE CUYO (província de Mendonza, Argentina), o melhor “terroir” do mundo para a uva Malbec- apresentado em quatro variedades; dois tintos com as uvas emblemáticas da Argentina, MALBEC e BONARDA, e o branco com CHARDONNAY e a emblemática uva VIOGNIER e o MALBEC ROSÉ.

O VALE DO LOIRE ou O VALE DAS PAIXÕES.

Mas…  Não só no líquido inebriante das uvas o amor é referência. Existe uma região na França (não poderia ser outra região do mundo), onde o amor deixou sua marca através da história, e que hoje podemos percorrê-la revivendo cada momento com suas personagens, em especial numa data tão importante para o amor.

Intrigas, adultérios, conspirações, paixões secretas, castelos medievais… Referências de um romance épico? Roteiro de um filme? Alguma obra literária assinada por Victor Hugo ou Honoré de Balzac, apenas para citar dois nomes? NÃO. É O VALE DO LOIRE. Região que teve seu apogeu quando a cidade de BLOIS, onde viveu Leonardo da Vinci, e teve seu Castelo, visitado por nós, quando da viagem a esta região maravilhosa, foi sede da corte no século XV, é um destinos turísticos mais visitados no país, depois de Paris, “bien sur”, para aqueles que sempre querem conhecer um pouco mais da França, uma das áreas vinícolas da França mais variada. Mas seus vinhos ainda são apreciados localmente e para os iniciados. Por aqui pouco se conhece além do SINCERRE, POULLY-FUMÉ e VOUVRAY. Ali estão, contudo, alguns dos vinhedos mais antigos e extensos do mundo. Seus vinhedos às margens desde rio de 1006 kms. de extensão produzem exemplos de CHENIN BLANC, a uva mais versátil do mundo, que faz o encanto dos vinhos doces. Se você não é fã dos fabulosos vinhos “dessert”, de sobremesas, produzidos com essa uva, este é um momento para converter-se, aliás os verdadeiros vinhos doces, mais conhecidos aqui como “Late Harvest”, colheita tardia. Quando o calor é extremo no verão e outono na Europa, faz com que haja uma concentração de açúcar nas uvas, o que resulta em vinhos opulentos dotados de extremos rigores e riquezas.

MAS… Igualmente conhecida como o VALE DOS REIS, a região, porém, tem seu apelido de VALE DAS AMANTES, em clara alusão às favoritas da realeza que ali se abrigaram em imponentes fortalezas e distantes do foco das intrigas e atenções de Paris.  Estes componentes sintetizam o contexto histórico e ajudam a compreender melhor toda a suntuosidade dos palácios de uma das regiões mais visitadas de toda a França. O maior rio desse país europeu, que se estende de Orleans ( da JOANA D’ARC), desaguando no Atlântico também é fio condutor de um passeio que percorre uma área onde há a maior concentração de castelos por quilômetro quadrado (27 palacetes construídos entre os séculos 14 e 18), onde ali desfila a história da França em suas margens, como uma DisneyWorld, deixando impressionado seus visitantes, vivendo as fantasias daqueles grandes amores.

Como sempre em nossos artigos vínicos aqui em nossa COLUNA VINO VITA EST, mesclamos um pouco de história de cada país ou região junto com o VINHO, e frisamos sempre que A HISTÓRIA FOI FEITA PELO VINHO, livro de nossa autoria que em breve estaremos publicando, como também demonstra muito bem este artigo que a região com seus vinhos faz parte da HISTÓRIA DA FRANÇA.

Iniciando nossa viagem a este mundo de fantasias deixado para a posteridade como PROVA DE AMOR, começou com;

CHENONCEAU- O CASTELO DAS DAMAS: construído em 1521, responsável pelas pontes onde o Rio Loire encontra o Cher, de maravilhosa arquitetura, onde habitou DIANA DE POITIERS, amante de Henrique II, que após a morte do rei só saiu, ganhando um outro Castelo em Amboise, batizado de CHAUMONT-SUR-LOIRE. CATARINA DE MEDICIS dali governou a França.

Sempre presente, a poderosa rainha também tem sua marca registrada em outra imponente construção de passado turbulento O CASTELO DE BLOIS, que como já dissemos, foi sede da corte no século XV. Na verdade quatro palácios reunidos em um, o conjunto chegou a abrigar a Corte e seus conselheiros e mantém na ala FRANÇOIS I os quartos secretos de Catarina, onde a própria (reza a lenda), manipulava suas poções venenosas.

BOUREGARD.-  A seis quilômetros de BLOIS, originalmente um alojamento de caça para FRAÇOIS I, ganhou notoriedade pela extensa coleção de retratos dos reis e suas amantes. São mais de 327 telas que, juntas, ilustram a trajetória amorosa da realeza entre os séculos 14 e 17.

CHAMBORD.- O mais deslumbrante de todos e o maior, a dezesseis quilômetros de BLOIS, carinhosamente chamado de  “VERSALHES DO LOIRE”, construído de 1515 a 1547, com 440 aposentos, com estilo renascentista, onde atribui-se o projeto e desenho das escadarias a LEONARDO DA VINCI, morador de BLOIS, tem nos aposentos de LUÍS XIV, O REI SOL, de longe o mais luxuoso  palácio  da região onde viveu com MARIA ANTONIETA as estações de caça.

Não podemos deixar de citar LEONOR DE GILLAUME (1137-1204) a Duquesa de Aquitânia que teve a proeza de se casar com dois reis – LUÍS VII DA FRANÇA e HENRIQUE II DA INGLATERRA, – foi a primeira responsável pelo sucesso dos vinhos de BORDEAUX, convencendo seu filho RICARDO CORAÇÃO DE LEÃO a fazer da região a sede de seu trono.

Esta é nossa homenagem ao DIA DOS NAMORADOS. Trouxemos a vocês, caros leitores (as), a prova que o mundo teve suas civilizações, guerras, mas o amor sempre esteve presente e só ELE, a par de tudo, conseguiu construir um legado de paixões através dos séculos e que serve de exemplo às gerações futuras, mas que devem ter conhecimento destes exemplos como mostramos, através da literatura, estudando, porque só o passado nos traz o conhecimento para o futuro. Vemos o quanto o vinho é importante para o mundo com suas histórias, um grande embaixador; divulgador das riquezas naturais além de trabalho e cultura de uma região.

AVOE. BRADO DE SAUDAÇÃO A BACO POR SEUS SÚDITOS.

Osvaldo Nascimento Júniors.:

Enófilo/Sommelier/Palestrante de Vinhos.

Caso queira rever algumas de nossas matérias já publicadas, acesse www.icnews.com.br, clique COLUNISTAS e lá estamos nós a seu dispor COLUNA VINO VITA EST.