Tudo errado. De novo

516

campana

“Em cada sanduíche, uma contribuição para tapar o buraco”. Parece coisa da oposição, diz a jornalista Mary Zaidan, sem dúvida das melhores analistas da vida brasileira. Mas a frase é do ministro da Fazenda Joaquim Levy, dita ao anunciar a decisão do governo de recriar a CPMF. Como não poderia deixar de ser, Dilma fez tudo errado. De novo. Por incompetência? Má-fé? Soberba? Tudo isso junto? A saber:
1. O corte mesmo é bem pequenininho. Quase coisa alguma perto do tanto que se quer cobrar a mais de impostos dos brasileiros.
2. PAC e Minha Casa são rubricas de investimento, promessas que não serão mais realizadas, assim como não estão sendo neste ano.
3. Reajuste de servidores é adiamento, não é corte.
4. Se redução de ministérios e DAS renderão míseros R$ 400 milhões, só serão cortadas aparas. O valor é fichinha perto da roubalheira confessa de um único operador do escândalo da Petrobras.
5. E ninguém disse quais pastas e quais cargos serão cortados.
6. Os cortes somariam R$ 26,1 bilhões, R$ 4,4 bilhões a menos do déficit de R$ 30,5 bilhões do Orçamento 2016 que Dilma enviou ao Congresso. Então, para quê mais R$ 30 bilhões de CPMF? Ou buraco é bem maior e a tal transparência era papo para boi dormir ou querem um novo cheque em branco.
7. Ou seja, se era possível apresentar um plano com déficit de apenas R$ 4,4 bilhões, algo que poderia ser compensado, por exemplo, com mais IR sobre ganhos de capital, porque enviar ao Congresso orçamento arrombado?
8. Por fim, por quais motivos Dilma adiou medidas que evitariam o rebaixamento do Brasil pela S & P?

zedirceuFim de feira
O juiz Sérgio Moro aceitou nesta terça-feira a denúncia contra José Dirceu (foto) e João Vaccari Neto. É o último capítulo da história do PT.

Aécio em Cascavel
O senador Aécio Neves estará em Cascavel no dia 25 de setembro. Agenda confirmada pelo presidente estadual do PSDB, deputado Ademar Traiano.

Vargas será sentenciado
O juiz federal Sérgio Moro deve proferir, nos próximos dias, a sentença referente à ação penal em que o ex-deputado André Vargas (ex-PT) responde pelos crimes de corrupção, organização criminosa e lavagem de dinheiro, juntamente com seu irmão, Leon Vargas, e o publicitário Ricardo Hoffmann.

Mais luz
A Assembleia Legislativa aprovou o regime de urgência ao projeto que prevê a construção de 28 novos empreendimentos elétricos no Paraná. São usinas hidrelétricas, pequenas centrais hidrelétricas, centrais geradoras hidrelétricas, usinas termelétricas e estações transmissoras espalhadas por todas as regiões do Estado.

Gorou
TeoriTeori Zavascki acha que a investigação contra Gleisi Hoffmann não tem relação com a Lava Jato e deve ficar a cargo de outro ministro do Supremo. Por isso, enviou o procedimento a Ricardo Lewandowski, que o redistribuiu para Dias Toffoli. Não deu certo a manobra. Ela Wiecko, número dois da PGR, recorreu da decisão de Lewandowski de redistribuir o caso, o que fez Toffoli devolver os indícios contra a senadora para a Presidência do STF. Para Ela, existe relação com o petrolão pois o esquema usou os mesmos operadores e o dinheiro se misturou nas contas de João Vaccari Neto.

Denunciado
Ela Wiecko, a número 2 da PGR, resolveu denunciar o petista Alexandre Romano, pivô da Operação Pixuleco 2, que levou à descoberta do esquema de corrupção envolvendo Gleisi Hoffmann e seu marido Paulo Bernardo. Romano foi denunciado por ocultação de provas.

Pífias
Ademar-TraianoO presidente do PSDB-PR, deputado Ademar Traiano, acredita que as medidas anunciadas pela presidente Dilma Rousseff (PT) de redução de R$ 26 bilhões entre corte de gastos e elevação de receitas são ainda “muito pequenas diante do clamor brasileiro”.

Vergonha na cara
“O governo do PT deveria criar vergonha na cara”. Para o tucano, Dilma está tentando justificar os próprios erros com “meias” medidas e jogando o ônus para a população. “O governo federal está atrasado na tomada de decisões. Medidas para conter a crise já deveriam ter sido anunciadas há muito tempo, mas sem penalizar ainda mais quem trabalha e quem produz no país”.

Trinca oficial
Aloizio-MercadanteAgora, oficializado pela presidente Dilma Rousseff, o ministro Aloizio Mercadante participa da equipe do ajuste fiscal, já formado pelos ministros Joaquim Levy e Nelson Barbosa. Mercadante acompanhará o corte de R$ 20 bilhões nos gastos do governo. Em muitos pontos, eles têm opiniões divergentes, mas é assim que a Chefe do Governo quer. O Congresso mandou os devidos recados que só se dispõe a colaborar na área de impostos, quando esse corte estiver sacramentado.

Também no futebol
As divergências entre Levy e Barbosa chegam ao futebol. Em tom de ironia, o titular do Planejamento brinca e diz que sua principal rusga com o ministro da Fazenda é que “ele é Botafogo e eu sou Vasco”. Agora, entra no bloco Mercadante, que torce pelo Santos. Se for por origem, é um paulista contra dois cariocas.

Novo Batman
O humorista Tutty Vasques analisa do seu jeito o panorama da corrupção que assola o país: “Sérgio Moro já lidera, à frente de Rodrigo Janot, a disputa pela vaga de Batman brasileiro no lugar do ex-ministro Joaquim Barbosa. Mais cedo ou mais tarde, o Brasil terá um presidente do gênero”!

Ao lado
Nas conversas políticas que, pessoalmente, a presidente Dilma Rousseff tem marcado, pedindo apoio em suas iniciativas para revitalizar o governo e procurar equilibrar o Orçamento 2016, está sempre ao lado da Chefe de Governo seu assessor de muitos anos, Giles Azevedo. Depois do encontro, quem conversou com ela, deve manter contato com Giles que, contudo, não é visto como “alguém do ramo”. Ou seja: o efeito acaba sendo zero.

100% digital
Está em fase de testes e em conclusão de funcionalidades, o primeiro banco totalmente digital do país: chama-se Original. Terá comando de Henrique Meirelles, ex-BC e poderá começar a funcionar antes do final do ano.

Parados
Depois de condenados na Ação Penal 470, 36 réus do mensalão estão desde 2007 respondendo por improbidade administrativa, ainda dentro do episódio do esquema financeiro criminoso. Os processos estão parados há três anos e agora, os procuradores voltaram a colocar uma lupa lá.

Adeus à fartura
Os seios fartos estão em baixa: até Pamela Anderson, a musa do SOS Malibu já trocou as próteses de seus famoso e farto busto. Igualmente Victoria Beckham também reduziu seu peito. Pesquisa da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica confirma essa tendência: de 2014 até os primeiros meses deste ano, o número de intervenções para a troca de um silicone grande por um modelo menor cresceu 15% no Brasil. Um dos motivos: seios fartos criam estrias quase irreversíveis.

A estrela sobe
Quem diria: o Planalto continua morrendo de amores pelo líder do PMDB no Senado, Eunicio Oliveira (CE). A presidente Dilma Rousseff acha que ele é o único que pode fazer a ponte entre o governo e o PMDB, especialmente porque está fora da Lava Jato.

Outro aviso
O ministro Joaquim Levy, havia avisado que o envio do Orçamento 2016 com déficit de R$ 30,5 bilhões poderia fazer o Brasil perder seu grau de investimento – e não deu outra. Agora, ele faz novos avisos: mais duas agencias de rating se preparam para divulgar suas notas que poderão ser muito similares a da Standard & Poor´s. Desta vez, os ministros petistas chegados a Dilma resolveram botar fé nas advertências de Levy.

Pai do aumento
O PMDB também ficou irritado com o vice Michel Temer que defendeu reajuste do Cide para ajudar a cobrir o rombo do Orçamento da União,especialmente porque o Planalto deverá seguir sua recomendação, mesmo ele achando que deveria ser por tempo determinado.

Futuro governo
PMDB e PSDB devem integrar um futuro suposto governo de Michel Temer . Os tucanos não querem indicar nomes para nenhum ministério, mas José Serra é um dos mais cotados para assumir importante Pasta, caso o impeachment vire uma realidade.

Olho na Funcef
A Funcef, fundação dos funcionários da Caixa Econômica Federal, que também estaria sendo investigada pela Lava Jato, deve fechar o quarto ano no vermelho. Os resultados negativos acumulados nesse período já teriam superado a marca dos R$ 6 bilhões. O doleiro Alberto Yusseff teria revelado à Justiça como ele e o ex-deputado André Vargas influenciavam nos investimentos na Funcef na área imobiliária, o que a fundação nega de pés juntos.

Mais um
No programa Preto no Branco, no Canal Brasil, o ex-governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, defendeu a idéia de Lula e FHC “se sentarem para discutir o país”, emendando que “está até passando a hora”. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso não quer saber dessa alternativa, mesmo porque “Lula e Dilma nunca pararam de desancar o meu governo”.

Tiro duplo
Frase atribuída ao senador José Serra durante jantar de lançamento da pré-candidatura de Andrea Matarazzo à prefeitura de São Paulo: “Só quem apóia o João Dória é o Aécio Neves, que vota em Minas e mora no Rio”.

Fora do campo
A ex-senadora Marina Silva, ainda ás voltas com o registro do seu Rede Sustentabilidade, acompanha de longe, as movimentações pró-impeachment. Acha que só pode tomar uma posição efetiva à medida que surgirem ou não provas de comportamento irregular da presidente Dilma. E igualmente não está empolgada com sua suposta candidatura à Presidência em 2018, especialmente porque seu partido não teria condições de encarar uma campanha.

De volta
Depois de muitos avisos de que seria a última temporada da atração Amor e Sexo voltará à grade da Globo, comandada sempre por Fernanda Lima. Um bloco defende o retorno no começo do ano que vem; outro quer estrear a nova temporada já em outubro próximo.

À espera
Parlamentares governistas e de oposição estão estimando que a presidente Dilma deverá vetar, na reforma política, a janela de troca de partidos, mas manterá o financiamento privado. Não é um assunto de governo e teve mais de 300 votos em plenário. E hoje, o que a Chefe de Governo menos quer é criar novos problemas com os deputados.

Nem pensar
Os deputados federais não querem saber de trocar assinatura de jornais em papel por suas versões eletrônicas. Beto Mansur, primeiro secretário da Câmara, fez uma consulta e recuou de sua idéia inicial. Cada gabinete tem direito a receber cinco publicações.

Entregou Mercadante
Dono da UTC e apontado como coordenador do cartel das empreiteiras, Ricardo Pessoa, disse à força tarefa da Operação Lava-Jato que o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, presenciou um pedido de pagamento de caixa dois para sua campanha ao governo de São Paulo, em 2010. As informações são d’O Globo.

Na botija
Em delação premiada, o presidente da UTC disse que o então coordenador da campanha de Mercadante, Emídio de Souza — atual presidente do PT de São Paulo — pediu que Pessoa doasse R$ 500 mil. Ele pediu que “fizesse a doação oficial no valor de R$ 250 mil e o restante fosse dado em espécie”.

Parlamentarismo, não
Delfim Netto procurou Lula há algumas semanas para, em nome do PIB, perguntar se o ex-presidente toparia o parlamentarismo. Lula respondeu que não. Alegou que a população já optou pelo presidencialismo ao dizer não ao parlamentarismo em 1993.

Atritos na Petrobras
Um dos pontos de atrito entre o conselho de administração da Petrobras e a diretoria da estatal, e que levou a saída de Murilo Ferreira ontem, é o que os conselheiros chamam entre eles de “falta de transparência”. Que se traduz em, por exemplo, não ter acesso aos números que solicitam. Os conselheiros reclamam nos bastidores que a Petrobras omite informações do conselho. Um exemplo são números e informações acerca da composição de preços dos combustíveis.

Menos homicídios
Pelo terceiro ano consecutivo, o Paraná apresenta queda de homicídios. Foram 1.203 assassinatos de janeiro a junho deste ano, contra 1.321 no mesmo período de 2014, com redução de 9%, segundo levantamento da Secretaria de Segurança divulgado ontem.

Estatísticas da morte
Em 2013, o número ficou em 1.323 e no ano anterior em 1.578. Na comparação com o ano de 2010, a redução no índice chega a 33% em todo o Estado. De 23 regiões integradas, 14 apresentaram redução. Em Curitiba, onde se concentram quase 18% da população do Estado, a redução nos homicídios dolosos chegou a 28% – de 305 no primeiro semestre de 2014 para 219 neste ano.

Nove a sete
Nove desembargadores do Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Paraná defenderam a suspensão da ação penal do caso Voldemort, onde figura como réu Luiz Abi Antoun. Outros sete desembargadores votaram contra a paralisação do processo, protocolado em março na 3ª Vara Criminal de Londrina. A decisão liminar que suspendeu a ação penal foi tomada em 3 de agosto último, mas o acórdão foi publicado somente nesta segunda-feira (14).

Recursos
Na sexta, o juiz Juliano Nanuncio foi comunicado sobre a decisão do TJ, suspendendo o trâmite da ação penal. Ele já havia marcado audiências do caso para o início de outubro. “Cabe a mim apenas aguardar uma nova decisão, para seguir ou não com o processo. Como é uma liminar, ela pode ser modificada. E a votação (no Órgão Especial) não foi tranquila”, resumiu o juiz Nanuncio. O Ministério Público deve entrar com recurso.