O presidente americano Donald Trump demitiu o conselheiro de Segurança Nacional dos Estados Unidos, John Bolton.

Por meio de um tuíte na terça-feira, Trump disse que “informou John Bolton na noite anterior de que seus serviços não são mais necessários na Casa Branca”, acrescentando que ele “discordou fortemente de muitas de suas sugestões.”

Trump também escreveu: “Pedi a renúncia de Bolton, que me foi entregue pela manhã. E agradeço-o muito pelos serviços prestados.” Trump afirmou que vai nomear o sucessor de Bolton na próxima semana.

No entanto, a descrição do ocorrido feita por Trump difere da publicação de Bolton. Em seu Twitter, o conselheiro publicou que ofereceu renunciar na noite de segunda-feira e que Trump teria dito “vamos falar sobre isso amanhã.”

Bolton é conhecido como um conservador linha-dura e já havia demonstrado estar pronto para o uso da força contra países que desafiam os Estados Unidos.

Ele se tornou conselheiro de Segurança Nacional no ano passado, depois da demissão de H. R. McMaster. Bolton liderou a saída dos Estados Unidos de um acordo nuclear com o Irã. E também esteve envolvido em negociações com a Coreia do Norte.

No entanto, Trump passou a preferir o diálogo com a Coreia do Norte, depois de sua primeira cúpula com o líder do país, Kim Jong Un. Acredita-se que Bolton tenha discordado de Trump. Ele não acompanhou o presidente na ocasião da terceira cúpula entre os EUA e a Coreia do Norte, realizada em junho.

Diz-se ainda, que Bolton também tem divergências com Trump e o secretário de Estado Mike Pompeo, a respeito de políticas em relação ao Irã e ao Afeganistão.