O presidente americano, Donald Trump, anunciou novas sanções contra o Banco Central do Irã, enquanto seu governo prossegue exercendo pressão máxima contra o país.

Trump disse a repórteres na sexta-feira que as sanções são as mais rigorosas já aplicadas contra um país. Trump afirmou que o Banco Central do Irã e o Fundo de Desenvolvimento Nacional do país serão desligados do sistema bancário americano. Ele acusou as duas entidades pelo financiamento da Guarda Revolucionária Islâmica, força de elite iraniana.

Esta mais recente atitude ocorre aproximadamente uma semana após um ataque contra duas instalações petrolíferas na Arábia Saudita. Washington acusa o Irã de envolvimento no incidente, enquanto Teerã refuta a alegação.

Ao se referir quanto à possibilidade de uma ação militar contra o Irã, Trump declarou, “entrar no Irã seria uma decisão muito fácil”. Contudo, ele acrescentou que estava demonstrando enorme prudência. O presidente americano afirmou que tomará a melhor decisão para os Estados Unidos e seus aliados.

Enquanto isto, o chanceler iraniano, Mohammad Javad Zarif, declarou que as novas sanções impostas pelo governo americano contra o Banco Central do Irã demonstram o fracasso da política de pressão dos Estados Unidos.

A agência estatal de notícias do Irã informou que Zarif disse a repórteres na sexta-feira em Nova York que o impacto das sanções havia sido limitado.