A 11ª turma do TED da OAB/RJ entendeu que deve ser cassada a carteira de advogada da ex-primeira-dama do Rio de Janeiro, Adriana Ancelmo, esposa de Sérgio Cabral. O colegiado considerou o fato de Adriana ter utilizado seu escritório, no centro do Rio, como uma das bases de operação do esquema ilícito comandado pelo ex-governador. A decisão será posteriormente submetida ao Conselho Pleno.

Em 2016, a OAB/RJ chegou a suspender preventivamente a carteira de advogada de Adriana Ancelmo. A suspensão veio após Adriana ter sido presa sob acusação de ter usado sua banca para lavar dinheiro recebido por seu marido, o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, como propina em troca de incentivos fiscais.

Em 2017, o TED da OAB/RJ abriu um processo disciplinar contra a advogada, que ainda não foi concluído. Em março de 2018, a Ordem prorrogou por 90 dias a suspensão da carteira, prazo que expirou.