Apesar do jeitinho brasileiro se transformar em manobras maldosas que trazem benefícios ilícitos à pessoa que o pratica – o que pode ser chamado de corrupção –, existe o jeitinho saudável e necessário. Nesses tempos de crise econômica, aliás, o trabalhador está se vendo obrigado cada vez mais a dar um jeito nas contas para poder sair do vermelho. Segundo informações coletadas em levantamento feito pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), 19% dos brasileiros fizeram algum trabalho extra para aumentar a renda e honrar os compromissos típicos de início de ano, como o pagamento dos impostos Predial e Territorial Urbano (IPTU) e sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e a compra do material escolar.

O trabalho extra, ou “bico”, é uma forma válida para honrar as dívidas e sair do vermelho. Além dela, administrar corretamente a renda da família, negociar com os credores, não gastar mais do que se ganha e usar o cartão de crédito com moderação, entre outras medidas, são ações fundamentais que a sociedade precisa colocar em prática. A liquidação das dívidas pode ser um processo pesado, mas é necessário. É melhor dar logo um “jeitinho”.