Tempos difíceis

4988

Nunca passamos por uma crise tão longa. Nunca a desesperança foi tão profunda. E depois de três anos continuados de recessão e desemprego, não há luz no fim do túnel. Caiu ao rés do chão o otimismo quanto às perspectivas do desenvolvimento brasileiro. Já não somos o país do futuro. Ninguém mais nos respeita como um dos emergentes. Voltamos à condição de republiqueta de corruptos e salafrários, como se vê nas manchetes dos grandes jornais do mundo.
Em todas as faixas sociais há insatisfação. Inclusive onde os governos petistas mais se apoiavam. Foi pelo ralo a crença no que se considerava uma das conquistas mais preciosas deste início de século –a redução expressiva da vergonhosa desigualdade social do país. A afirmação, tão cara às administrações petistas, de que a distância entre ricos e pobres encurtou no período da expansão acelerada da economia e dos programas de assistência social. É preciso esclarecer do que se está falando. Não resta dúvida de que os ganhos de todos os estratos aumentaram nos anos de bonança. Entretanto acreditava-se que a base da pirâmide social, e não o topo, havia se apropriado da maior parte da renda gerada.
Qual o que. Há sinais convincentes de que a fatia dos mais abonados no PIB é muito maior do que se calculava –e, pior, parece ter crescido. Como se pode chegar a conclusões tão discrepantes, opostas mesmo, em tema que tanto mobiliza os mundos acadêmico e político? Apenas parte da resposta está na propaganda obstinada dos governos Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, aos quais era vital demonstrar que a esquerda no poder fazia a sempre prometida distribuição da riqueza nacional.

Nua e crua
Vamos à realidade nua e crua. Dados do IBGE apontam que o País tem atualmente uma gigantesca massa de 22,7 milhões de pessoas desempregadas, subocupadas ou inativas, mas com potencial para trabalhar. O impressionante total de desempregados no Brasil é maior do que toda população do Chile (17 milhões) e o dobro da população de Portugal (10 milhões).

Não querem votar
Paralelamente, dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) apontam que, dos 144 milhões brasileiros aptos a votar, nada menos que 25 milhões deixaram de comparecer às urnas no primeiro turno das eleições municipais do ano passado, o que representa 17,58% do total. Na eleição presidencial de 2014, dos 142 milhões de eleitores aptos, 27,6 milhões se abstiveram, 4,4 milhões votaram em branco e 6,6 milhões votaram nulo.

Desempregados
O assustador número de desempregados, aliado ao preocupante número dos eleitores que rejeitam a política nacional, acende o sinal de alerta e aponta para uma população sem horizontes e sem qualquer esperança na possibilidade de um futuro mais promissor.

Cida não renuncia
A vice Cida Borghetti não precisará renunciar para se candidatar a governadora. Se Beto Richa se desincompatibilizar, ela assume o cargo de governadora e pode se candidatar à reeleição. Se Beto Richa não se desincompatibilizar e continuar no cargo, basta que ela não assume o posto interinamente para continuar como candidata.

Lula convida Requião
Na sua passagem por Curitiba no depoimento ao juiz Sérgio Moro na quarta-feira, 13, o ex-presidente Lula reforçou o convite ao senador Roberto Requião para ingressar ao PT em caso de expulsão/suspensão no PMDB. O convite tem incentivo da senadora Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT, e que o comando também o petismo no Estado.

Espera aliança
Requião gostou da conversa de Lula e espera uma aliança do PMDB/PT/PCdoB/Rede/PV/PPL para disputar o Governo do Estado em 2018. O PT integrou os dois últimos governos (2003-2010) de Requião no Paraná.
Outra hipótese
Em outra hipótese, Requião se colocou à disposição para substituir Lula na chapa do PT na disputa presidencial de 2018. Requião disse que pode liderar uma frente de esquerda e barrar o entreguismo do governo Temer ao capital estrangeiro. Lula achou graça da proposta. Requião fez cara de sério.

Nomeou nove
O presidente Michel Temer nomeou ontem nove integrantes para ocupar o Conselho Nacional do Ministério Público (CMNP), órgão responsável por fiscalizar as atividades internas do MP em todo país. De acordo com a Constituição, cabe ao presidente da República fazer nomeação dos integrantes do conselho.

Mutilação de animais
O deputado Ratinho Junior (PSD) comentou nesta segunda-feira, 18, a decisão da justiça que ordenou dono de cães num bairro de Curitiba a cortar as cordas vocais dos animais porque incomodavam os vizinhos com latidos altos. “Muita polêmica sobre uma decisão que obrigou os donos de uns cachorrinhos a terem as cordas vocais cortadas, depois de uma denúncia de vizinhos que estavam “incomodados” com o barulho dos latidos. Quero lembrar que sou o autor da lei que proíbe esse tipo de mutilação no Paraná. O latido é a forma do cãozinho se comunicar com a gente. É lei, tem que cumprir”, lembrou na Ratinho Junior no seu perfil no Facebook.

Mais recursos
O ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP), foi até Toledo na manhã deste domingo para participar da tradicional Festa do Porco no Rolete. O partido do ministro é forte na região. O prefeito de Toledo é o progressista, Lucio Macchi, o deputado federal Dilceu Sperafico e o estadual José Carlos Schiavinato são do Oeste. Na festa, Barros levou recursos para a região. O município de Medianeira foi beneficiado com R$ 1,2 milhão para a UPA 24horas.

Dodge toma posse
A nomeada procuradora-geral da República, Raquel Dodge, tomou posse nesta segunda-feira (18), às 8h. Ela substitui Rodrigo Janot, que deixa o cargo após quatro anos na chefia do Ministério Público Federal (MPF). Inicialmente, a posse estava prevista para as 10h30, mas o horário foi alterado para garantir a presença do presidente da República, Michel Temer, na cerimônia.

Temer na posse
O termo de posse foi assinado por ela e Temer, em cerimônia da PGR. O ex-procurador-geral, Rodrigo Janot não participou da cerimônia. “O Ministério Público deve promover justiça, zelar pela democracia, zelar pelo bem comum e pelo meio ambiente. Assegurar a voz a quem não tem e garantir que ninguém esteja acima da lei e ninguém esteja abaixo da lei”, disse.
Visto Gold
Alguns empresários brasileiros envolvidos no escândalos de corrupção Lava Jato terão comprado imóveis em Portugal, após o início das investigações, com o objetivo de obter vistos permanentes de moradia no país, de acordo com um artigo publicado esta segunda-feira no britânico The Guardian.

Câmara desvincula
Parece que a cobrança da taxa de lixo vai mesmo ser separada do IPTU. O projeto de lei do Executivo, do chamado Plano de Recuperação, recebeu 31 votos favoráveis e dois contrários. A justificativa do prefeito é incrementar a arrecadação da cidade, já que milhares de imóveis isentos ou imunes do IPTU também não pagam a taxa de lixo.

O ânimo nas ruas
Em Salvador, o ex-presidente Lula e o PT foram hostilizados por manifestantes em passeata na capital baiana. Lula foi chamado de ladrão, a esquerda de “traidora” e bandeiras do PT foram queimadas.
Baboseira
Que tal o Henrique Meirelles? Gravou vídeo que está a circular no WhatsAPP de políticos. O ministro da Fazenda, de quem esperamos decisões técnicas e conscientes, resolveu recorrer ao sobrenatural para ver se o Brasil engrena. “Nunca houve uma recessão como essa. Nossa meta é fazer com que o país volte a ter emprego. Por isso, preciso contar com a colaboração de vocês. Me sinto à vontade falando com vocês porque temos os mesmos valores, a lei de Deus e dos homens. Preciso da oração de todos […] Outubro, mês de oração pela economia”.

Não se elege
sA vida não está fácil para Aécio Neves. Parece que tudo que ele consegue contornar no Congresso não se repete fora do meio político. Sua filha estuda numa escola bilíngue em Brasília, mensalidade perto dos R$ 4 mil. No início do ano, antes de virem à tona seus mais recentes escândalos, ele se candidatou a padrinho da turma – função que tem entre as prioridades, aproximar famílias da escola. Já, naquela época, o tucano perdeu a eleição.

Super cachê

O ex-presidente Barack Obama virá a São Paulo, dia 5 de outubro, para fazer uma palestra no Teatro Santander, num evento chamado Cidadão Global, patrocinado pelo banco e pelo jornal Valor Econômico. A realização é da Infoglobo e o cachê de Obama é US$ 400 mil.

General fala
O general da ativa no Exército, Antonio Hamilton Mourão, secretário de economia e finanças da Força, afirmou, em palestra promovida pela maçonaria em Brasília na última sexta-feira (15), que seus “companheiros do Alto Comando do Exército” entendem que uma “intervenção militar” poderá ser adotada se o Judiciário “não solucionar o problema político”, em referência à corrupção de políticos.

Terão que impor
Mourão disse que poderá chegar um momento em que os militares terão que “impor isso” [ação militar] e que essa “imposição não será fácil”. Segundo ele, seus “companheiros” do Alto Comando do Exército avaliam que ainda não é o momento para a ação, mas ela poderá ocorrer após “aproximações sucessivas”.

Reforma da Previdência
Até o final de outubro, a reforma da Previdência deve voltar à pauta. Com isso, informações do governo sobre a necessidade de tratar do assunto voltarão a circular. O Planalto já deu destaque ao tema antes e gastou R$ 59,1 milhões em campanha publicitária. Mas, na época, pesquisas feitas pelo próprio governo mostraram que o investimento pode não ter surtido o efeito esperado.

Fiscalizando a prefeitura
Na semana passada os vereadores de Curitiba encaminharam 17 requerimentos de pedido de informações à prefeitura. Entre as indagações formuladas estão questionamentos sobre a reposição de materiais furtados em equipamentos públicos; preocupações quanto a questões viárias, como o binário formado pelas ruas Mateus Leme e Nilo Peçanha e quem são os funcionários do município que estão à disposição do Governo do Estado e outros órgãos.

Candidatura própria
O pessoal do PCdoB, que no histórico tem a marca de sempre estar ao lado do PT em eleições nacio

Depois de Palocci
O processo começou depois do depoimento de Antonio Palocci e a possibilidade de que sua colaboração acabe com as chances do ex-presidente. Mas caso Lula possa sair em campanha oficial, a legenda recua e o apoio continua. Para o PCdoB nacional, é Lula ou candidatura própria. Pelo menos por enquanto.

Expulsão
Neste final de semana, a cúpula do PT se reuniu para discutir a expulsão de Antonio Palocci. Em sua proposta de delação, Palocci, disse que tem provas de que as doações recebidas pelo Instituto Lula eram de fato propina. As informações batem com as de Marcelo Odebrecht, que disse que doou R$ 40 milhões ao instituto, assim como havia feito como o Instituto FHC.
Pouco
A delação de Antonio Palocci está meio encrencada, apesar de boas revelações em seus primeiros tempos. O ex-ministro tem evitado citar nomes de grandes bancos envolvidos nas estripulias de Lula e outros tantos petistas, o que está deixando o pessoal da Lava Jato com um pé atrás. Se não abrir para valer a boca, citando nomes de muita gente conhecida do mundo financeiro, a delação não anda.

Quem gravou
Para quem não sabe: os novos áudios da JBS entregues à PGR espontaneamente e que provocaram o pedido de rescisão da delação dos representantes do grupo e a prisão dos delatores, foram gravados pelo ex-executivo Ricardo Saud. Joesley soube depois de sua existência. Há quem aposte que Saud queria ficar com algum material em suas mãos caso acontecesse algum problema na primeira delação.

Enfraquecido
O governo Michel Temer apesar de contar com a reviravolta da delação JBS, não se encontra em posição confortável para a segunda denúncia. Segundo especialistas desde a votação da primeira acusação o governo vem se enfraquecendo. A colaboração dos partidos aliados caiu em agosto e o apoio foi somente de 43,8%. As siglas que tiveram maior queda foram do PMDB, partido do presidente com 13,38% e do PSDB com 11,56%.

Vai delatar
O presidente Michel Temer embarcou para os Estados Unidos mais preocupado. Logo cedo, foi informado da disposição do ex-ministro Geddel Vieira Lima em partir para uma delação.