FILIPE OLIVEIRA
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – As startups Árvore de Livros e a Guten, duas empresas que oferecem conteúdo digital para estudantes, anunciaram que vão unir suas operações.
As companhias estão no mercado desde 2014. A primeira possui uma plataforma para acesso a livros em modelo semelhante ao da Netflix, enquanto a segunda se especializou no trabalho com notícias para a formação de leitores com pensamento crítico.
As empresas também vão captar R$ 5 milhões em investimento para a construção do novo negócio, que irá se chamar Árvore da Educação.
A Árvore de Livros está atualmente em cerca de 400 escolas, com seu serviço sendo usado por 140 mil estudantes dos ensinos infantil, fundamental e médio. A Guten, criada pela empresária Danielle Brants, está presente em cerca de 100.
João Leal, 35, cofundador da Árvore de Livros, diz que a união das empresas, que por vezes concorriam pela preferência de escolas, permitirá a construção de uma companhia maior e que oferece mais ferramentas para alunos e professores.
“Como eles trabalhavam com o lado jornalístico e nós com a parte literária, foi natural pensar que um produto único faria sentido”, diz.
Segundo ele, os investimentos que a empresa receberá servirão para divulgação e para uma reformulação do produto, que deve chegar em nova versão às escolas em 2021.
Leal afirma haver complementariedade entre as empresas também no modo como alunos usam seus serviços. Enquanto a Árvore de Livros é acessada principalmente fora da sala de aula, servindo tanto a leitura recomendada pelo professor como as de lazer, a Guten tem ferramenta usada com maior frequência na escola, por trazer muitas atividades para serem realizadas junto às leituras.
A Árvore de Livros conta com 600 editoras parceiras e 30 mil livros disponíveis.
A expectativa das empresas é atingir R$ 100 milhões em faturamento e impactar mais de 1 milhão de alunos em cinco anos.