O Sistema de Financiamento aos Municípios (SFM) foi um dos destaques do Encontro das Instituições Financeiras de Desenvolvimento do Nordeste, organizado pela Associação Brasileira de Desenvolvimento (ABDE) e Agência de Fomento do Rio Grande do Norte (AGN), e que acontece na sede do Sebrae em Natal.

Na abertura do evento, nesta quinta-feira (28), o diretor-presidente da Fomento Paraná, Heraldo Alves das Neves, apresentou a experiência paranaense de fomento ao desenvolvimento, por meio do SFM. Esse mecanismo, gerenciado em parceria pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas, a Fomento Paraná e o Paranacidade, permitiu o aporte de mais de R$ 3 bilhões em recursos para obras de infraestrutura, compra de máquinas e equipamentos e implantação de outros bens públicos em cerca de 300 municípios paranaenses.

De acordo com o presidente da Fomento Paraná, que é também diretor da ABDE, o encontro promovido pela entidade ocorre em um momento muito importante para o País. “Estão em discussão no Congresso Nacional Propostas de Emendas Constitucionais (PECs) que tratam exatamente da destinação de recursos de fundos públicos diversos, inclusive os de desenvolvimento, e sobre o modelo de financiamento de estados e municípios. Atentas a esta movimentação, as instituições do Sistema Nacional de Fomento estão analisando as propostas e apresentando sugestões para melhoria das PECs”, afirma Neves.

O encontro, que tem a participação do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), World Wide Fund (WWF-Brasil), Banco do Nordeste, entre outras instituições, visa a troca de experiências entre as instituições financeiras e falar sobre sua atuação no apoio aos empreendimentos, por meio do microcrédito, e de fomento ao desenvolvimento do Estado junto aos municípios.

“É muito importante discutir o horizonte do Sistema Nacional de Fomento nesse momento de discussão do papel do Estado, como também e importante debatermos e entendermos o desenvolvimento do Nordeste e as oportunidades de melhor associar o crédito, principalmente o microcrédito, às estratégias de desenvolvimento”, disse a presidente da Agência de Fomento do Rio Grande do Norte (AGN), Marcia Maia

Ainda nesta quinta foi feita uma apresentação de um panorama das instituições financeiras do Nordeste e abordado o horizonte do Sistema Nacional de Fomento a partir das reformas do Estado e do novo Pacto Federativo proposto pelo Governo Federal.

Ao longo do ciclo promovido pela ABDE, que termina nesta sexta-feira, estão em debate também temas como os Desafios do Desenvolvimento Sustentável; Oportunidades De Desenvolvimento Da Região Nordeste; Energia: Potencializar a Vocação Renovável do Nordeste; entre outras questões.

Com AEN/PR