Simples Nacional, uma grande “armadilha tributária”?

778

Advogada Andréa Giugliani : “O Simples Nacional, na verdade, pode ser uma grande armadilha, pois impede o crescimento  das empresas”.

“Todos os anos, já em janeiro, os empresários se deparam com a árdua missão de escolher  o regime tributário para sua empresa. Essa escolha, na grande maioria das vezes, é feita “às escuras”, em que, no melhor cenário, optam pela sugestão do seu assessor contábil.

Essa falta de conhecimento leva os empresários a escolherem o regime tributário às pressas e, consequentemente, optam pelo regime tributário “mais fácil, menos burocrático” e que em tese seria o de menor carga tributária: O Simples Nacional.”

O comentário é da advogada Andréa Giugliani, advogada do escritório  Giugliani Advogados, enfatizando que “o desconhecimento na questão leva o empresário a optar pelo regime com mais tributos”.

Segundo ela, “no decorrer do ano, percebem que não estão conseguindo honrar todos os seus compromissos e acabam buscando financiamento bancário para fomentar sua operação, utilizam o cheque especial, contratam créditos para o capital de giro etc., mas não entendem onde está o problema. O problema está na eleição errônea do regime tributário.

O Simples de longe é a opção mais simples e menos onerosa. O lucro presumido ou o lucro real podem, sim, ser muito menos dispendiosos que o Simples. O Simples Nacional,  na verdade, pode ser uma grande armadilha, pois impede o crescimento  das empresas, já que, havendo crescimento do faturamento, as alíquotas se elevam muito, podendo chegar facilmente aos 16% e em até 30% do faturamento, o que seria a maior carga tributária prevista pela legislação.”

E acrescenta a advogada  Andréa Giugliani:   “Além disso, se o faturamento da empresa atingir R$ 3.600.000,00, o ICMS passa a ser tributado fora do Simples, o que aumenta ainda mais a carga tributária.  Ao contrário, no lucro real, por exemplo, por meio de estratégias fiscais lícitas,  é possível ter apenas uma carga tributária em torno de 9%.”

Mais adiante a especialista diz que “outra vantagem do lucro real  é que fica possível repaginar totalmente a gestão, ficando mais atento às suas despesas,

já que essas são fundamentais para a redução da carga tributária, o que levará ao melhor controle administrativo da sua empresa. Assim, você terá uma empresa melhor administrada pagando menos imposto. Parece sonho? Mas não é! Essa é a realidade brasileira que, infelizmente os empresários desconhecem.”

De acordo com Andréa Giugliani, advogada do escritório  Giugliani “por conta de tudo isso, é fundamental a consulta com um advogado tributarista   anualmente para fazer o planejamento tributário.

Planejar os tributos nada mais é que avaliar os números do ano que se passou e estimar o faturamento e as despesas do próximo.”

Salienta ainda que “considere também que os advogados tributaristas cobram seus honorários, na maioria das vezes, sobre o êxito, ou seja, sobre o resultado que ele te trouxer com a economia tributária, a chamada success fee, então você não terá que, necessariamente, desembolsar valores nessa empreitada, mas o remunerará de acordo com a sua própria economia fiscal.” E finaliza a advogada: Eu te desafio a neste ano fazer diferente: consulte um advogado tributarista logo no início do ano, porque a principal função dele é deixá-lo livre das armadilhas tributárias.”

Professora de Curitiba recebe prêmio internacional

A relação entre diferentes épocas e culturas foi analisada na tese de doutorado da professora de português do Colégio Sion Curitiba, Camila Marchioro, vencedora da décima edição do Prêmio Científico Mário Quartin Graça.

Professora de português do Colégio Sion Curitiba, a doutora em Literatura Camila Marchioro foi a vencedora do Prêmio Científico Mário Quartin Graça 2019, anunciado em Lisboa, Portugal, com um trabalho de pesquisa de forte peso cultural.

A premiação, que está em sua décima edição, é realizada em uma parceria entre o Banco Santander e a Casa da América Latina e busca valorizar teses desenvolvidas por investigadores de universidades de Portugal e da América Latina.

Camila Marchioro se destacou em meio a 90 candidatos com sua tese de doutorado, em que fez uma comparação de dois poetas separados por um oceano e épocas diferentes, Camilo Pessanha e Cecília Meireles. “Minha tese tem por objetivo demonstrar como a história portuguesa de contato com os povos orientais e a tradição do mito do Oriente se configuram na poesia moderna destes dois poetas específicos”, conta.

O tema abordado foi recebido com muito apreço em Portugal, sendo considerado “um feito inédito” analisar os dois poetas. “No Brasil encontrei alguma resistência, por serem dois poetas muito distantes no tempo e no espaço: Camilo Pessanha nasceu no século 19 e morreu no início do século 20; Cecília Meireles, já do século 20, morreu em 1964. Não parecia algo muito óbvio fazer essa relação”, assinala. Entregues em prestigiado evento em dezembro, os prêmios contemplaram o valor de 5 mil euros para cada vencedor.

Thawany Faria, do Paraná, é Miss Brasil 2019

Thawany Faria,  da cidade de Foz do Iguaçu,  foi eleita Miss Brasil 2019

A jovem Thawany Faria, Miss Paraná, da cidade de Foz do Iguaçu foi eleita Miss Brasil 2019. O concurso que foi promovido por  Danilo D´Avila Eventos de Beleza, aconteceu no Teatro Brasil 21, em Brasília. As outras classificadas foram: Miss Brasil II 2019 : Geovana Stendorf (RS) e Miss Brasil III 2019 : Beatriz Vitória  (PE).

SulAmérica apoia  projetos  no Paraná

A SulAmérica finalizou a seleção de projetos sociais que serão incentivados pela companhia neste ano. Em linha com a missão de oferecer proteção e bem-estar a pessoas e organizações, a seguradora apoiará 14 organizações sociais de todo o Brasil com projetos para promoção de saúde, bem-estar e inclusão financeira, em sintonia com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU). Desse total, duas entidades estão localizadas no Paraná: Associação Paranaense de Cultura e Santa Casa de Curitiba.

“Acreditamos que o setor de seguros tem um papel relevante para a proteção dos indivíduos e do meio ambiente, além da promoção de uma sociedade mais justa e inclusiva. Sempre dizemos, na SulAmérica, que nossa missão é justamente cuidar das pessoas e de seus bens mais valiosos. Um dos caminhos que adotamos para isso é oferecer apoio a organizações sociais com projetos de alto impacto para a sociedade no longo prazo, com iniciativas efetivas e perenes nas áreas da saúde e da inclusão financeira”, afirma Patrícia Coimbra, vice-presidente de Capital Humano, Administrativo e Sustentabilidade da SulAmérica.

Prioridade para prioriza causa animal

A causa animal foi a área mais indicada pela vereadora Katia Dittrich (SD) para receber dinheiro no orçamento 2020 da cidade. De um total de 14 emendas aprovadas na Câmara Municipal de Curitiba (CMC) junto ao projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA), sendo nove individuais e cinco coletivas, a vereadora destinou R$ 850 mil em diversas ações com o objetivo de garantir o cuidado com os bichos. Assim como os demais parlamentares, Katia teve uma cota de até R$ 1 milhão para alocar no planejamento financeiro da capital.