Presidente da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), o senador Aloizio Mercadante (PT-SP) esclareceu, na sexta-feira, que foi motivado pela crise financeira internacional mundial.

Presidente da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), o senador Aloizio Mercadante (PT-SP) esclareceu, na sexta-feira, que foi motivado pela crise financeira internacional mundial que pediu, na última quarta-feira, a retirada da urgência constitucional com que seria votado o projeto de criação de 2.400 cargos de analista de desenvolvimento de políticas sociais no governo (PLC 130/08).

“Nós estamos enfrentando a maior crise econômica internacional desde 1929. Não podíamos votar a matéria sem levar isso em consideração”, afirmou Mercadante à Agência Senado.

Além de criar essa nova carreira, o projeto abre 200 cargos de analista técnico e 50 cargos de agente executivo na Superintendência de Seguros Privados (Susep); e ainda transforma 50 cargos vagos de técnico em regulação e vigilância sanitária em técnico-administrativo na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).