O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia, foi cobrado publicamente se a votação da reforma tributária sairá ainda este ano.

O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia, foi cobrado nesta terça-feira, 11, publicamente, durante sua rápida passagem na audiência pública de parlamentares do PMDB com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, se a votação da reforma tributária sairá ainda este ano. Quando Chinaglia deixava a reunião, o líder do PMDB, Henrique Eduardo Alves (RN) perguntou, em tom de brincadeira: "senhor presidente, será que votaremos a reforma tributária ainda este ano". Sorrindo, Chinaglia respondeu: "Se o PMDB se empenhar, isso estará garantido".
Durante a audiência, o ministro afirmou que a União é quem vai pagar a conta da reforma tributária. A afirmação do ministro foi em resposta a uma colocação do deputado Gastão Vieira (PMDB-MA), durante audiência pública com a bancada do partido, na qual o ministro explica a proposta de reforma tributária. O deputado criticou a proposta, ao afirmar que o ponto central dela é a unificação da legislação do ICMS, o que, na avaliação dele, só reduziria recursos aos estados.
"A União está disposta a colocar dinheiro no Fundo de Equalização de Receitas. Por isso queremos caracterizá-los claramente com os secretários de Fazenda", afirmou Mantega, acrescentando que na semana passada fez uma reunião com cerca de 150 empresários para a apresentação da reforma e disse que ela foi bem recebida pelo setor.