Saúde alerta para o combate à dengue em Fazenda Rio Grande

393

O período do verão é o mais propício à proliferação do Aedes aegypti, por causa das chuvas, e consequentemente é a época de maior risco de infecção pelas doenças transmitidas pelo mosquito.

Embora o município esteja classificado como “não infestado” pelo Aedes, a secretaria de saúde mantém o monitoramento constante, com atenção redobrada neste período de calor com maior ocorrência de chuvas. A equipe de Vigilância de Endemias já deu início em 1º de janeiro à execução do Plano de Contingência estabelecido para o ano de 2020, desempenhando diariamente os trabalhos, envolvendo monitoramento das larvitrampas, levantamento de índice por amostragem (através de coleta nos domicílios), realizando pesquisa de vetor especial (todos os vetores investigados por meio de denúncias) e orientação à população. Este trabalho vem sendo intensivo nos últimos anos devido à condição de risco de epidemia, considerando que em 2019 foram confirmados 3.293 casos de dengue no Paraná com 2 óbitos. Em Fazenda Rio Grande foram registrados 2 casos de dengue importados, com quadro leve de sintomas e evolução com cura.

“Nossa pretensão é manter o município sem infestação do mosquito e assim mantermos a população livre das doenças causadas pelo aedes, que são a dengue, zika vírus, febre amarela e chikungunya, que podem ocasionar várias complicações à saúde e até levar à morte.

Segundo a Diretora de Vigilância em Saúde, Nelcelí Garcia, o município já conta com 91 larvitrampas que são monitoradas semanalmente. As armadilhas foram posicionadas em pontos estratégicos, como residências e pontos comerciais e constituem uma das estratégias mais efetivas de captura das fêmeas do Aedes aegypti que são atraídas para as mesmas.

Como se prevenir

– Limpar o quintal, jogando fora o que não é utilizado;

– Tirar água dos pratos de plantas;

– Colocar garrafas vazias de cabeça para baixo;

– Tampar tonéis, depósitos de água, caixas d’água e qualquer tipo de recipiente que possa reservar água;

– Manter os quintais bem varridos, eliminando recipientes que possam acumular água, como tampinha de garrafa, folhas e sacolas plásticas;

– Escovar bem as bordas dos recipientes (vasilha de água e comida de animais, pratos de plantas, tonéis e caixas d’água) e mantê-los sempre limpos.