Sandra Tomazi alerta como acompanhar os filhos na web

1059

Sandra Tomazi aborda o tema segurança digital no evento

“A tecnologia não precisa ser vista como um mal ou um perigo. Tudo depende como ela é usada. Logo, cabe ao responsável pelos menores essa primeira orientação sobre os limites da internet”, orienta a especialista em Direito Digital, Sandra Tomazi, membro da Comissão de Ciência e Tecnologia da OAB/SP e do Instituto Brasileiro de Direito Digital (IBDDIG).
Segundo ela, a melhor analogia é comparar a internet com a rua: “a web é a rua digital; se para andar sozinho e ficar na rua até mais tarde é preciso uma idade mínima, o mesmo acontece com a sua versão on line. Aquele pai que pega o filho na porta da escola, mesmo ele já estando no ensino médio, não pode deixar o filho de 6 ou 7 anos vendo vídeos no Youtube sem supervisão.”, observa a especialista. Para ela, saber o que o filho faz na internet não é invasão de privacidade, mas obrigação. “Se fechamos a porta física da família, temos que fechar também a porta digital. Quando todos se deitam, tem que desligar a internet e o wi-fi”, alerta. Menores que passam a madrugada na internet enquanto os pais dormem; smartphones nas mãos de menores de 12 anos, cujos pais não fazem ideia de com quem eles estão interagindo; e crianças que mentem a idade para estar no Facebook, que já têm WhatsApp, Instagram e Snapchat, e que já tiram foto de si mesmas e mandam para quem quiser estão entre as restrições apresentadas pela especialista, que precisam ser observadas pelos pais.
Mas será que existe uma idade mínima para ter um celular próprio ou navegar sozinho pela internet? Sandra argumenta que essa idade está relacionada à capacidade do jovem de assumir as consequências dos seus atos. “Até os 12 anos, o menor no Brasil é totalmente incapaz. Se ele der ‘OK’ em um termo de uso de mídia social, não tem valor legal, é um ato nulo. Por isso, a maioria desses serviços exige idade mínima de 13 anos, quando ele já tem capacidade de compreender as regras aplicadas e estar submetido a elas, com a ciência dos pais”, explica. “É preciso oferecer acesso à tecnologia, respeitando a idade e a maturidade da criança. Não é porque todo mundo tem que seu filho tem que ter também. Ser um pai responsável é, sim, ficar preocupado, monitorar, vigiar, orientar e fornecer o recurso compatível com a idade”, reforça a especialista. Segundo ela, com menos de 12 anos, a criança tem que ser totalmente assistida pelos pais. Com mais idade, os pais têm o dever de saber o que está acontecendo, para socorrer o jovem ao primeiro sinal de perigo.


Como usar a rede social para os negócios

Gabriela Paiva, Consultora em marketing digital ministra oficina sobre como usar a rede social

O Instagram é uma das redes sociais mais acessadas pelos brasileiros atualmente e foi adquirido pelo Facebook em abril de 2012. Desde então, não para de crescer com seus mais de 500 milhões de usuários. Com um forte apelo visual, serve de muita inspiração para os usuários que ali se encontram. As marcas podem utilizá-la de muitas maneiras para atrair e engajar com seus clientes. Para isso, é necessário desenhar estratégias e preparar bons conteúdos.
A consultora em marketing digital Gabriela Paiva ministra na próxima quarta-feira (26 de julho), na Vila Getúlio, a Oficina de Instagram para Negócios. O programa tem o objetivo de compartilhar conhecimentos básicos de estratégias de negócios, bem como ensinar sobre as funcionalidades da ferramenta de forma prática e dinâmica. O conteúdo é bem prático, convocando cada participante a colocar a mão na massa para testar seu aprendizado. As vagas são limitadas a 12 participantes.
Gabriela Paiva, é graduada em administração e especializada em marketing de varejo e serviços. Ela integra o grupo Conversas entre Mulheres, uma proposta inovadora que reúne profissionais que compartilham conhecimento e experiências em encontros periódicos.


Vanessa Bianchi inaugura La Champagneria

Vanessa Bianchi: “No melhor estilo das champagnerias espanholas, Curtitiba ganha novo espaço especializado em champagnes e tapas”

A empresária Vanessa Bianchi depois de visitar algumas das melhores champagnerias em Barcelona (Espanha), voltou decidida para montar um novo negócio desse gênero em Curitiba. Assim inaugurou a La Champagneria no último dia 19 disponibilizando os melhores rótulos de champagnes como Moët & Chandon, Veuve Clicquot, Dom Pérignon e Chandon, espumantes e vinhos de várias regiões do mundo. A casa tem também uma carta de cocktails assinada pelo premiado bartender Igor Bispo, e o cardápio de tapas leva a assinatura do chef Milton Ribeiro, que já passou pelos renomados D.O.M do chef Alex Atala (SP), e Vindouro (Curitiba). A La Champagneria tem 150 rótulos, entre champagnes, espumantes, vinhos e uísques – todas as bebidas derivadas da uva ou envelhecidas em barris de carvalho. A casa oferece água mineral como cortesia para os clientes e os champagnes e vinhos também serão vendidos em taças. A La Champagneria fica na rua Itupava, 1377 – Alto da XV. Tem capacidade para 100 pessoas e abre de terça a sábado para o happy hour, das 18h à 00h.


90 anos do Graciosa Country Club

Para celebrar seus 90 anos em grande estilo, o Graciosa Country Club realizou um baile de gala na Sede Social. Tendo como anfitrião o presidente reeleito Gláucio Bley Filho, o evento marcou ainda a posse da nova diretoria para o Biênio 2017-2019. A Diretora Social, Eliana Fadel Farracha de Castro, organizou o evento.

 

 


Em pauta o “Mundo Animal com Mellqui”

Mellqui Ramilli : “criamos e depositando neles todo o nosso amor”

Com a proposta de contar as novidades que acontecem no segmento pet, a jovem Mellqui Ramilli está preparando o lançamento de seu espaço chamado “Mundo Animal com Mellqui”. Segundo ela, que também é cantora e compositora, “não é nenhum segredo que hoje ter um bichinho de estimação é sinônimo de alegria e muito amor, companheirismo. E não importa se é um cãozinho, gatinho, peixes, aves ou pets exóticos. O fato são os laços que criamos, depositando neles todo o nosso amor”, diz Mellqui Ramilli. O espaço além das rede sociais, também alcançará a televisão, numa segunda fase.

 

 

 

 

 


Força na Peruca chega a Curitiba

Caminhão escola no ParkShoppingBarigüi até dia 4 de agosto

Criado pela Fundação Laço Rosa para resgatar a autoestima de mulheres em tratamento de quimioterapia, o programa Força na Peruca, para formação de peruqueiros, este ano expande seu alcance cruzando regiões. Com o apoio da campanha #fortalizese, Governo australiano e Truckvan, empresa especializada na fabricação de soluções sobre rodas, o caminhão escola percorrerá cinco cidades brasileiras, entre elas Curitiba. Na capital paranaense, o caminhão escola está no ParkShoppingBarigüi,desde dia 14 de julho onde são oferecidas as aulas práticas do projeto até 04 de agosto. O local também conta com um posto de coleta de cabelos e doação de perucas para pacientes do Instituto Humsol.

 


Transformação digital nas empresas

Termo bastante utilizado atualmente, a transformação digital é o uso da tecnologia para melhorar o desempenho das empresas e garantir resultados mais efetivos. Segundo Renata Bassanetto, assistente comercial da DBACorp “com essa transformação, a empresa atinge seus receptores de forma mais abrangente na rede. Internamente, é possível usar a tecnologia para realizar pesquisas, prever possíveis resultados, armazená-los para avaliações posteriores, acompanhar em tempo real a percepção dos consumidores etc.”
De acordo com Renata, “a empresa se posiciona como digital – como complemento ao modelo atual ou migrando totalmente – mas ainda existem diversas dúvidas sobre seus benefícios e como se deve promover essa ideia “digital”, tais como:Quais empresas podem desenvolver uma cultura digital?O processo deve ser iniciado e estruturado no planejamento estratégico das organizações, considerando o tempo de aplicação do processo e os recursos envolvidos. Isso significa que todas as áreas da empresa devem ser envolvidas em um plano de negócios, não somente a área de Tecnologia da Informação.

 

Julho é o mês do câncer ginecológico

Muito se fala sobre a saúde da mulher, especificamente sobre o câncer de mama, durante o Outubro Rosa. Mas poucos sabem que o mês de julho também é dedicado a elas. A fita verde escura representa o combate ao câncer ginecológico, que compreende basicamente 5 tipos de tumores: colo de útero, endométrio, ovário, vulva e vagina. A estimativa do INCA é que no Brasil, em 2016, ocorreram 16.340 casos de câncer de colo de útero e 6.150 de câncer de ovário.
Segundo o Dr. Fábio Roberto Fin, médico especialista em Cancerologia Cirúrgica do Hospital São Vicente, alguns sinais merecem a atenção da mulher: dor pélvica – abaixo do umbigo, dor persistente nas costas, sangramento vaginal anormal, seja para mulheres em idade fértil ou na pós-menopausa, perda de peso inexplicável, inchaço no abdômen ou alterações intestinais e feridas na vulva e na vagina.