A marca curitibana Reptilia, que já redireciona resíduos, iniciou agora o projeto Ecobags como uma forma da própria marca se responsabilizar pelos seus retalhos. Na loja ou pelo e-commerce, as compras acima de 400 reais vêm acompanhadas das ecobags, que, se trazidas na próxima visita ao ponto de venda físico em Curitiba, garantem um desconto de 15 reais, valor que representa não apenas o custo de embalagens, mas também o impacto do descarte desse produto de uso único. As ecobags também podem ser adquiridas individualmente no valor de 58 reais.
“A ideia é que a pessoa não só leve a ecobag, mas retorne com ela – e receba um valor de desconto para incentivo. E com isso, ela começa a prestar atenção no tanto de outras embalagens que ela pode dispensar, por exemplo, uma sacola de supermercado”, explica a designer Heloísa Strobel.
Há uma perda de 10 a 15% de matéria-prima na fase de corte de confecções, e esse material acaba virando descarte na cadeia produtiva da moda.

“Na Reptilia já tínhamos outras iniciativas para os retalhos: como doação para outras empresas, ou marcas que trabalham com upcycling. Mas, vimos que era importante que nós mesmas, dentro do nosso atelier, déssemos o destino para esse material”, comenta a designer, lembrando que a marca já usa “a ourela em algumas aplicações, também pedaços maiores de tecido para confecção de bolsos. Temos um modelo com barra de seda desfiada, por exemplo, que é sempre feita com retalhos de coleções anteriores”.