O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) declarou em Plenário, nesta sexta-feira, que "não é verdade que o PMDB seja noiva (do governo federal).

O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) declarou em Plenário, nesta sexta-feira, que "não é verdade que o PMDB seja noiva (do governo federal); o partido está casado com o futuro do Brasil de forma indissolúvel".

Segundo o parlamentar, a agremiação "é insubstituível no que se refere à governabilidade". “E o presidente Lula continuará contando com esse apoio insubstituível”, disse.

Renan destacou que a sigla "tem atualmente seis ministérios e é a que detém o maior número de prefeitos, vereadores, deputados federais e senadores no país". Ele afirmou ainda que o PMDB é a principal legenda da região Nordeste, "maior que o PT e o PSDB".

O senador também argumentou que, diante da crise financeira internacional, "o país precisa continuar crescendo e, para que isso ocorra, é fundamental que o partido seja firme na defesa da governabilidade e no apoio ao presidente da República".

Previdência
Outro assunto tratado por Renan em Plenário foi a situação da Previdência Social. Essa instituição, ressaltou ele, tem papel importante na composição da renda dos idosos, das famílias e, assim, na redução da pobreza.

Citando dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o senador declarou que, "do ponto de vista fiscal, não existe um comprovado risco de explosão da necessidade de financiamento da Previdência, desde que sejam mantidas as atuais regras".

Renan disse que, em 2007, as despesas com a Previdência somaram cerca de 7% do Produto Interno Bruto (PIB).

E que um crescimento econômico de 4% ao ano garantiria estabilidade às necessidades de financiamento do Regime Geral de Previdência Social – as quais, segundo ele, "não têm impacto no déficit público".