Impulsionado pelo setor de serviços e a indústria de transformação, o Oeste paranaense vem se destacando na geração de empregos no Estado. De acordo com levantamento do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), vinculado ao Ministério da Economia, a região abriu 9.172 postos no acumulado de janeiro a outubro deste ano.

O número representa 13,71% do total de 66.901 vagas criadas no Paraná em 2019, consolidando a área como a terceira no ranking da empregabilidade no Estado, atrás apenas de regiões mais populosas como a Metropolitana de Curitiba (32.183) e o Norte (14.026). Cascavel, com saldo de 3.375 contratações, Toledo (+1.309) e Foz do Iguaçu (+983) foram os municípios que mais se destacaram no Oeste.

Economista do Departamento do Trabalho da Secretaria de Justiça, Família e Trabalho, Suelen Glinski explicou que a abertura de vagas foi alavancada especialmente pela grande quantidade de frigoríficos na região. Apenas a atividade de abate de suínos, aves e outros pequenos animais contabilizou 828 empregos.

Ainda segundo a economista, o setor acaba tendo também impacto direto em outras áreas, como as de comércio e serviço, reforçando a cadeia como um todo. “É reflexo da produção de carne para consumo interno e externo também. Sem contar que é justamente a indústria de transformação, por precisar de profissionais com maior qualificação, que paga os melhores salários”, afirmou Suelen Glinski.

Ela citou o transporte rodoviário de carga (427 empregos gerados), fornecimento e gestão de recursos humanos para terceiros (412), preservação e fabricação de produtos do pescado (316) como exemplos dessa ramificação do setor.

Com AEN