Para sair da crise e deixar a recessão definitivamente no passado, o Brasil precisa de reformas. Só com mudanças profundas e inteligentes o país poderá respirar aliviado, voltando a experimentar a queda da inflação, o aumento na geração de empregos, a diminuição dos juros, da carga tributária e do rombo na dívida pública. Para colocar em prática as reformas, no entanto, é necessário que os poderes Legislativo e Executivo, ou seja, Congresso Nacional e Presidência da República, estejam dispostos a colaborar com o desenvolvimento do país e deixar em segundo plano as diferenças políticas.

É aí que a situação fica mais complicada, já que governo e oposição historicamente não conseguem combinar seus atos. Atualmente, o governo recém empossado de Jair Bolsonaro se prepara para apresentar e enviar ao Congresso Nacional a reforma da Previdência, o que deverá ser feito até o próximo dia 7, segundo o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. A equipe do governo tem admitido diversas possibilidades sobre o tema, inclusive o aproveitamento de itens do texto que havia sido submetido ao Legislativo pelo ex-presidente Michel Temer. O esforço, segundo ministros de Bolsonaro, é para que as mudanças na legislação avancem, o que, na verdade, é o anseio de todo o povo brasileiro.