Reforma da Previdência deve ser maior mudança na Constituição, em número de palavras

376

DANIEL MARIANI, DIANA YUKARI E FÁBIO TAKAHASHI
FOLHAPRESS – O projeto da reforma da Previdência, que caminha para ser aprovado nos próximos dias no Senado, possui mais de 12 mil palavras. Até hoje, a maior alteração na Carta ocorreu com emenda de 1998, conhecida como reforma administrativa, que teve 5 mil palavras.
Para se ler o texto completo da atual reforma previdenciária, que aumenta o tempo de contribuição do trabalhador, é necessário ao menos uma hora de atenção, considerando um leitor médio.
O cálculo de tempo para a leitura da reforma em curso (uma hora) é conservador -a métrica tem como base a velocidade necessária para textos mais simples, em geral vistos no ensino fundamental.
A PEC (Proposta de Emenda à Constituição) da Previdência, por sua vez, possui trechos complexos, como “a existência de superávit atuarial não constitui óbice à extinção de regime próprio de previdência social e consequente migração para o Regime Geral de Previdência Social”.
Até hoje foram aprovadas 101 emendas constitucionais para a Carta de 1988. Os textos de todas elas foram considerados na análise da Folha de S.Paulo.
A reportagem também estudou 1.010 das 1.277 propostas de emendas constitucionais no Senado feitas para a Constituição de 1988. Foram descartadas as que não possuíam informações no sistema online do Senado ou que o formato do arquivo não permitia leitura digital.