Ora, pois, mudanças no relacionamento do governo Ratinho Jr e o governo federal. Não é que, para surpresa de todos, o Paraná indeferiu a cessão de três soldados da PM para trabalhar no escritório de inteligência integrada na fronteira, em Foz do Iguaçu, um órgão considerado de extrema importância para a segurança pública do Estado e uma das peças centrais do projeto de Sergio Moro.

Como o Paraná se nega a participar, os PMs serão repostos por soldados de Santa Catarina e São Paulo. O Ministro Sérgio Moro inaugurou esse Escritório de Inteligência este ano em Foz do Iguaçu. O projeto é inspirado no modelo norte-americano, coordenado pela Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública, de Moro, JSP e deve receber aportes do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES).

O escritório vai se chamar Fusion Center, assim como nos Estados Unidos, e o projeto piloto funciona em uma área de 600 metros quadrados no Parque Tecnológico de Itaipu. Segundo o coordenador-geral de combate ao crime organizado da Seopi, Wagner Mesquita, 16 instituições trabalham na implementação do projeto, como Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Agência Nacional de Inteligência (Abin), Ministério da Defesa, Unidade de Inteligência Financeira (UIF – antigo Coaf), Receita Federal, entre outros órgãos.

Richa mostra força

Pouca gente repercutiu. Mas, nesta semana, houve uma movimentação atípica relatada por vizinhos do edifício onde moram Beto e Fernanda Richa. Vinte prefeitos e vereadores visitaram o ex-governador em seu apartamento no bairro Mossunguê, em Curitiba. No vídeo publicado nas redes sociais de Berto Silva, prefeito de Laranjeiras do Sul, a palavra “gratidão” foi usada.

Pé quente

A bancada Athleticana na Assembleia Legislativa foi a Porto Alegre e deu sorte. Acompanhou a conquista do título da Copa do Brasil. Os deputados Ademar Traiano, Romanelli, Tiago Amaral e Alexandre Curi torceram com a fúria da Fanáticos.

Bolão do PT

O bilhete vencedor da Mega-Sena de ontem saiu para uma aposta coletiva feita por funcionários da liderança do PT na Câmara dos Deputados. O “bolão” acertou sozinho o prêmio de R$ 120 milhões. Os números sorteados foram 04 – 11 – 16 – 22 – 29 – 33. As informações são de Renato Onofre e Dida Sampaio no Estadão. O grupo que apostou é formado por assessores e funcionários da Câmara. De acordo com dois vencedores, que pediram anonimato, cada cota tinha valor de R$ 10. Pelo rateio, cada um dos cotistas receberá R$ 2,5 milhões. Há, no entanto, pelo menos dois casos de pessoas que compraram mais de uma cota e vão levar um prêmio maior. Segundo um dos vencedores, eles apostam há mais de dez anos, em todos os sorteios.

Athlético campeão

O Athletico Paranaense é campeão da Copa do Brasil de 2019, com a vitória por 2 a 1 sobre o Internacional, na partida de volta da final. No jogo de ida, em 11 de setembro, na Arena da Baixada, o time paranaense venceu por 1 a 0. Com isso, só precisava do empate para garantir o título em Porto Alegre. O gol como visitante não é critério de desempate na competição. A equipe gaúcha precisava vencer por dois ou mais gols de diferença para ficar com a taça.

Olha o abuso!

A cadeia de saúde aumentou em 3,4% o número de empregos formais no setor entre julho do ano passado e julho deste ano, o que equivale a quase 120 mil pessoas contratadas, apesar de ter-se reduzido em 0,3% o total de beneficiários de planos de saúde médico-hospitalares no mesmo período, o equivale a menos 133 mil pessoas atendidas pelos planos.

Na pior fase

“Enquanto na economia como um todo, continuamos com altíssimo desemprego e um nível de demissões que está, no máximo empatando com o de novas contratações, mostrando, portanto, estabilidade no número total de empregos, na área da saúde, houve crescimento expressivo de 3,4% em um ano, enquanto o emprego cresceu 0%”. A avaliação foi feita à Agência Brasil pelo superintendente executivo do Instituto de Estudos da Saúde Suplementar (IESS), José Cechin, e se baseia em dados do Relatório de Emprego da Cadeia Produtiva da Saúde, que foi divulgado hoje (18) pelo IESS.

Senador deixa liderança

O senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) disse nesta quinta-feira, 19, que colocou à disposição o cargo de líder do governo Jair Bolsonaro no Senado. Ele é um dos alvos de uma operação da Polícia Federal autorizada pelo ministro Luis Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF). Bezerra Coelho é suspeito de integrar um esquema criminoso de pagamentos de vantagens indevidas, por parte de empreiteiras, em favor de autoridades.

Bolsonaro quieto

Ao deixar seu apartamento funcional em Brasília, o senador afirmou que teve uma conversa com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e com o ministro Onyx Lorenzoni, chefe da Casa Civil. Ele disse que caberá ao Palácio do Planalto avaliar se deve deixar a liderança do governo. Não houve manifestação da Presidência da República até o momento.

Farra continua

O plenário da Câmara votou o projeto de lei que altera regras sobre o Fundo Partidário e o fundo eleitoral. O PL havia sido aprovado anteriormente pelos deputados, mas sofreu modificações no Senado. Os senadores mantiveram apenas a destinação de recursos ao fundo eleitoral, rejeitando todas as outras alterações feitas pela Câmara. O texto aprovado segue agora para a sanção presidencial, com a redação da Câmara dos Deputados, trazendo algumas exclusões propostas pelos senadores. O relator do texto, deputado Wilson Santiago (PTB-PB), deu parecer favorável para a exclusão proposta pelos senadores de quatro pontos do PL original.

Do jeitinho proposto

Os deputados aprovaram a exclusão dos quatro pontos e mantiveram no projeto a obrigatoriedade de uso do sistema eletrônico do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para a prestação de contas, rejeitaram o trecho que previa a aplicação de multa de 20% sobre montante considerado irregular no julgamento da prestação de contas apenas no caso de dolo, manteve os prazos atuais de prestação de contas por parte dos partidos e excluiu do texto o item que permitia aos partidos corrigirem erros formais e materiais, omissões ou atrasos em sua prestação de contas até o seu julgamento para evitar a rejeição das mesmas.

Novas situações

O projeto aprovado manteve novas situações em que será permitido o uso de recursos do Fundo Partidário. Pelo texto aprovado pelos deputados, o fundo poderá ser usado para serviços de consultoria contábil e advocatícia; pagar juros, multas, débitos eleitorais e demais sanções relacionadas à legislação eleitoral ou partidária; compra ou locação de bens móveis e imóveis, construção de sedes, realização de reformas; e pagamento pelo impulsionamento de conteúdos na internet, incluindo a priorização em resultados de sites de pesquisa.

Vexame internacional

Amanhã de manhã a equipe médica que cuida de Bolsonaro fará nova avaliação de suas condições físicas para permitir ou não que ele viaje no domingo para Nova York para a abertura a 74ª Assembleia Geral da ONU. Alguns assessores e sua mulher Michelle querem que ele desista da viagem e por motivos diferentes. Ela defende a saúde do marido e eles querem que Bolsonaro escape de protestos envolvendo queimadas da Amazônia. Agentes da Abin – Agência Brasileira de Inteligência também tem informações de que, quando Bolsonaro falasse, representantes de diversos países e chefes de Governo se retirariam do plenário, o que caracterizaria um vexame internacional.

 

Mais magro

Quem esteve com Bolsonaro nos últimos dias constatou que o presidente emagreceu muito depois da 4ª cirurgia em um ano e mantém uma palidez fora do normal, embora seus médicos garantam que ele está se recuperando. As formas de alimentação ainda são controladas e ele se movimenta com alguma dificuldade.

 

De sunga

Circula pelas redes sociais, debaixo de alguns gritinhos de fãs muito entusiasmadas e acompanhamento de respeitadas figuras da Igreja Católica no Brasil, um foto do padre Fábio de Mello, campeão de vendas de CDs e de shows pelo Brasil, à beira de uma piscina, só de sunga – e que permitiria a exibição de contornos de volume, por assim dizer.

 

Candidato

Parte do PT, incluindo o ex-presidente Lula, quer lançar a candidatura do ex-ministro José Eduardo Cardozo à prefeitura de São Paulo. Por pesquisas internas, as chances são remotas.

 

Nova agenda

Enquanto não é batido o martelo sobre a viagem de Bolsonaro, grande parte da agenda presidencial nos Estados Unidos já foi cancelada. De cara, o Planalto retirou passagem por Dallas, no Texas, onde teria encontro com empresários ligados ao setor militar. Também foram suspensas reuniões bilaterais com sete chefes de Estado e de governo. Saíram da programação encontros com Boris Johnson e Donald Trump, além de conversas com líderes da Polônia, Colômbia, Peru, Ucrânia e África do Sul. O embarque da comitiva brasileira ainda está marcado para segunda-feira, dia 23, às 8 horas.

 

Olho no blogueiro

O cantor Lobão está denunciando que o blogueiro Allan dos Santos, que comanda a milícia virtual bolsonarista mora numa mansão no Lago Sul de Brasília bancada pelo deputado Eduardo Bolsonaro. O deputado Alexandre Frota também estava atento às andanças de Allan dos Santos em Brasília, depois que o clã Bolsonaro decidira coloca-lo no comando da EBC – Empresa Brasileira de Comunicação, que inclui a TV Brasil, campeã de traço.

 

Mais um

Está fechando suas portas o jornal econômico DCI – Diário Comércio, Indústria e Serviços, em São Paulo, depois de 85 anos de atividade. A publicação faz parte do grupo Sol Panamby, fundado pelo ex-governador Orestes Quércia e a viúva Alaíde Quércia cansou de colocar dinheiro para cobrir dívidas do DCI, há anos deficitário.

 

Novo corte

O pessoal da novela Malhação acha que a direção da Globo vai cortar a cena do primeiro beijo gay entre Guga (Pedro Alves) e Serginho (João Pedro Oliveira) como aconteceu em Órfãos da terra, com as personagens Camila (Anaju Dorigon) e Valéria (Bia Arantes). A sequência já gravada está prevista para ir ao ar amanhã. A alta direção global acredita que suas novelas apresentam dose elevada de participação do universo LGBT.

 

Bem-humorado

Preso desde 2016, o ex-presidente da OAS, Leo Pinheiro, agora solto, usará tornozeleira. Durante todo seu período de prisão manteve o bom-humor e chegou a fingir que deixaria a prisão, peça pregada ao lado do doleiro Adir Assad (era 1º de abril). Ajudou Palocci a criar um pequeno jardim na carceragem, elaborado vasos antidengue com garrafas pet. Assistia todas as novelas da Globo sem se levantar e não perdia os jogos do São Paulo e Bahia, seus prediletos.

 

Conar em campo

O Conar – Conselho Nacional de Auto-regulamentação Publicitária vai tirar do ar anúncio do Boston Medical Group publicado em Veja que promete sexualidade firme enquanto a vida dure e combate a ameaça da impotência. Ou seja: a fixação da rede de clínicas médicas internacional é manter a virilidade em pé e à postos. Já a dificuldade do orgasmo feminino não é sua praia.

 

Sem visão

Nas redes, circula vídeo do último show de Roberto Leal, morto em decorrência de um câncer de pele que atingiu visão, fígado e rins. Ele aparece (já não enxergava) de óculos escuros e cantando sentado.

 

Mais um

Marina Silva, da Rede Sustentabilidade, está pensando em lançar Eduardo Bandeira de Mello, ex-presidente do Flamengo, como candidato à prefeitura do Rio, no ano que vem. É uma aposta de risco alto. Até agora, ele não conseguiu passar para a política o sucesso que teve à frente do clube. Em 2018, à propósito, não conseguiu se eleger deputado federal.

 

Quer ficar

O senador Major Olímpio (nove milhões de votos) quer ficar no PSL depois do veto à sua filiação pelo presidente do Podemos-SP, Mário Covas Neto. Mas, Bolsonaro quer ver Olímpio de longe, depois dele afirmar que Flávio Bolsonaro, contrario à CPI da Lava Toga, é que deve sair do partido. o senador sonha com o governo de São Paulo em 2022.

 

Em pé de guerra

Ex-secretário da Política Econômica e sócio de Armínio Fraga na Gávea, Amaury Bier está usando toda sua diplomacia para restabelecer as boas relações entre a família e o BNDES, que está reclamando dos royalties pagos aos controladores da empresa, sem o conhecimento do banco.

 

Discutir gênero

Em suas últimas horas na PGR, Raquel Dodge manifestou apoio a uma ação do PSOL no Supremo que busca obrigar as escolas a discutir gênero em sala de aula para combater o bullying contra estudantes gays. O partido reclama da exclusão desse tipo de conteúdo na aprovação do Plano Nacional de Educação pelo Congresso em 2014.

 

Novo partido

Suspensa por votar a favor da reforma da Previdência, a deputada Tabata Amaral não quer se desligar do PDT. Contudo, já conversa com o Cidadania ou até numa nova legenda, a ser criada. PDSB e DEM, nem pensar.

 

Contra

O general ex-ministro-chefe da Secretaria do Governo e ex-amigo de Jair Bolsonaro, Carlos Alberto dos Santos Cruz deu entrevista a Roberto D’Ávila e criticou a indicação de Eduardo Bolsonaro para embaixador de Washington. Disse que o governo dos EUA não trabalha com relações de amizade, mas com profissionalismo e que o cargo deveria ser entregue a um diplomata experiente.

 

Outro

O MDB agora quer lançar o ex-ministro Henrique Meirelles, secretário da Fazenda do estado de São Paulo, à sucessão de Bruno Covas, no ano que vem. O partido acha que, com algumas pesquisas, Bruno se convencerá de que não tem a menor chance de ser reeleito e acabará apoiando Meirelles.

 

Olho na mídia

Reinaldo Gottino, ex-Record, assina com a CNN e deverá ancorar o principal noticiário da futura emissora ao lado de Monalisa Perrone. Na revista Época, depois da matéria sobre Heloísa, mulher de Eduardo Bolsonaro e do grande e duro pedido de desculpas da Globo, são afastados da revista envolvidos na história, incluindo-se a diretora Daniela Pinheiro.

 

Expressões

Quem criou a expressão “rebanho bovino” para os entusiasmados seguidores de Bolsonaro foi Olavo de Carvalho e agora, Carlos Bolsonaro prefere chamar o bloco de “gado”. Só falta agora alguém soprar o berrante.

 

Fica

Bolsonaro desistiu – pelo menos, por enquanto – de exonerar Mauricio Valeixo da direção-geral da Polícia Federal, um dos maiores responsáveis pela queda do número de assassinatos no Brasil. Anderson Torres, que era cotado para o cargo, avisa que permanecerá na Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal. É um ponto – suado – para Sérgio Moro.

 

Sonho

O sonho do Podemos é filiar o ministro Sérgio Moro em suas fileiras e candidatá-lo à presidente em 2022. Renata Abreu, presidente do partido, diz que ele “representa muito para o Brasil e se ele viesse para o Podemos seria o nome escolhido para o Planalto na hora”. O governador João Doria também já ofereceu um lugar no secretariado de São Paulo, caso o ministro deixe o governo de Bolsonaro – e adotaria ter Moro na sua vice quando em campanha para o Planalto.

 

Troca

Rosângela Moro, mulher de Sérgio Moro, é entusiasta da candidatura dele ao Planalto, mas está proibida de tocar nesse assunto – e nessa possibilidade. E Rosângela ainda faria um troca: Moro na cabeça da chapa e Doria na vice.

 

Outro partido

O senador Jorge Kajuru, que deixou o PSB, estava em dúvida para qual partido iria. Cogitou ir para o Patriotas, e chegou a anunciar sua ida para o Podemos, mas sua filiação foi negada porque a sigla não poderia acomodar dois assessores de sua confiança. Depois de conversar com José Luis Datena, resolveu se filiar ao Cidadania, que já havia recebido convite. Kajuru afirma que o partido é dirigido por um homem de bem, Roberto Feire.

 

Sem base

O ex-presidente Fernando Collor de Mello disse que o presidente Jair Bolsonaro deverá enfrentar muitos problemas se não começar a se movimentar para ter uma base. “O que me preocupa é o fato de a base do governo no Congresso não estar constituída. Nós estamos com oito meses de governo e não temos uma definição clara sobre quem é base e quem é oposição”.

 

Corrigindo

O ex-presidente Michel Temer, que chegou a falar a palavra “golpe” no episódio do impeachment de Dilma Rousseff, no programa Roda Viva, da TV Cultura, resolveu se corrigir.  Afirmou que a queda da petista “só foi golpe se a Constituição for golpista”. Garante que não se arrepende de ter assumido a presidência. “Não me arrependo, não. Acho que fiz um pouco pelo Brasil. Eu assumi com uma oposição feroz. Achava-se que isso não poderia ter acontecido. Eu ignorei as eventuais agressões argumentativas e levei o país adiante. Tanto que peguei o país com 4% de índice negativo em maio de 2016. Em dezembro de 2017, o PIB já era positivo em 1%”.

 

Sem cabimento

O governador da Bahia, Rui Costa, declarou que o PT errou nas eleições presidenciais. Que o partido deveria ter apoiado Ciro Gomes, em vez de apostar num candidato do partido, mesmo com apoio de Lula. E foi duramente criticado pela declaração, com direito até a nota da Executiva Nacional do PT. Jaques Wagner padrinho do governador, não gostou e saiu em sua defesa. “Nunca vi executiva fazer nota daquele tamanho para repreender ou atacar um governador do maior estado governado pelo PT e o mais bem avaliado do PT, em território que mais deu voto a Dilma e Haddad”.

 

Mais um cutucão

O governador de São Paulo João Doria está no Japão para tentar novos investimentos para o estado. Em conversa com a governadora de Tóquio, Yuriko Koike, o assunto Amazônia acabou virando tema. E ao explicar a situação deu um pequeno cutucão em Bolsonaro. “Eu tenho defendido que o Brasil está fazendo todo o possível para evitar os incêndios. Mas eu tenho, por obrigação, defender meu Estado. São Paulo não tem desmatamento, queimada, nem invasão em sua área de reserva e nos parques florestais. Aliás, a cobertura vegetal cresceu nesses dois últimos anos”.

 

Homem de palavra

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, garantiu que o assunto CPMF ou qualquer imposto semelhante está encerrado. “A CPMF está descartada. Caiu o cara da Receita, Marcos Cintra, por causa desse negócio. O presidente Bolsonaro é homem de uma palavra só: disse que não vai ter e não vai ter. A CPMF morreu”.

Frases

 “Com sua integridade ética e primor técnico, Dodge restabeleceu a dignidade do Ministério Público.”

Gilmar Mendes, ministro do STF