Ratinho Júnior participa da primeira reunião da diretoria de 2019

334
“Nosso objetivo é estabelecer uma parceria com o setor, dentro dos termos legais”, disse Ratinho Júnior

A primeira reunião ordinária da diretoria da Ocepar de 2019 e a 44ª da gestão 2015/2019, ocorrida na manhã desta segunda (11/02), na sede da entidade, em Curitiba, contou com a presença do governador do Paraná, Ratinho Júnior, e dos secretários estaduais da Agricultura, Norberto Ortigara, e da Infraestrutura, Sandro Alex. O presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, apresentou os principais indicadores do cooperativismo paranaense e entregou um documento ao governador, contendo demandas e propostas do setor nas áreas de infraestrutura, tributária, meio ambiente, sanidade vegetal e animal, entre outras.

Ricken lembrou que, nos últimos anos, as cooperativas vinculadas à Ocepar têm registrado um média anual de crescimento de 10,5%, saindo dos R$ 26 bilhões de faturamento em 2010 para R$ 83,5 bilhões em 2018. “De acordo com o nosso planejamento estratégico, o PRC100, nossa meta é chegar aos R$ 100 bilhões de faturamento entre os anos de 2020 e 2021. As nossas cooperativas têm atingido resultado líquido de R$ 2,1 bilhões por ano. É um recurso que fica aqui dentro do Estado e que faz toda a diferença. Anualmente, o setor tem feito investimentos na ordem de R$ 2 bilhões em média e já respondemos por quase 60% da produção agropecuária paranaense, sendo que quase a metade com valor agregado. Também temos registrado R$ 2,150 bilhões em impostos recolhidos e geramos mais de 100 mil empregos diretos”, afirmou o presidente da Ocepar. Na sequência, ele fez uma síntese dos principais pontos que integram o documento entregue ao governador, destacando que são medidas importantes para que o cooperativismo e os demais integrantes do setor produtivo paranaense possam continuar avançando.
Depois, o governador discorreu sobre ações em andamento e outras que estão sendo planejadas por sua gestão, especialmente na área de infraestrutura, e que devem ser anunciadas em breve. Disse ainda que reconhece a importância do setor para o Paraná e que quer contar com as cooperativas em um projeto que visa reduzir os bolsões de pobreza no Estado. “Temos cerca de 350 mil pessoas passando fome no Paraná. São pessoas que vivem com o equivalente a menos de US$ 1 por dia. Vamos criar um programa em conjunto com o BRDE (Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul), Fomento Paraná, entre outras entidades, e achamos que o modelo da Ocepar pode nos ajudar a solucionar esse problema da fome, que é urgente. Nosso objetivo é estabelecer uma parceria com o setor, dentro dos termos legais”, disse Ratinho Júnior.