O governador Ratinho Jr anunciou o fim do movimento grevista realizado pelos servidores estaduais. Ele confirmou a implantação da data-base, com a primeira parcela de 2% liberada em janeiro de 2020. No total, o Estado vai pagar 5,08% de reposição.

Com a formalização da proposta deve haver a reposição de aulas na rede estadual, principal serviço público prejudicado pela ação de movimentos grevistas. O trabalho deverá ser realizado durante o período de recesso escolar. Caso não haja reposição de horas e aulas, haverá aplicação de faltas, com desconto em folha dos dias parados.

Ratinho Jr reafirmou que o Estado está fazendo um grande esforço para honrar o compromisso de implantação da data-base. O governador lembra que houve queda do PIB no primeiro trimestre, além de redução de receitas de impostos e de transferências federais neste ano. Somente o IPVA contabiliza inadimplência de R$ 700 milhões.

               Concursos

A proposta apresentada pelo governador confirma a realização de concursos públicos para seleção de 2.560 policiais militares, 400 policiais civis (50 delegados, 50 papiloscopistas e investigadores), 96 peritos e médicos para a Polícia Científica, 1.269 agentes de cadeia, 400 profissionais da Saúde, 80 para a Agência de Defesa Agropecuária e 988 professores.

No Executivo

Também foram previstos concursos para contratação de servidores para o Quadro Próprio do Poder Executivo (QPPE), que inclui profissionais para a Administração Direta, para o Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes) e para o Teatro Guaíra.

Terrivelmente evangélico

Quando o presidente disse ter intenção de nomear jurista “terrivelmente evangélico” para o Supremo Tribunal Federal (STF), muitos pensaram que Jair Bolsonaro se referia ao juiz federal Marcelo Brêtas, titular da 7ª Vara Criminal do Rio e responsável pela Lava Jato no estado. Mas, na verdade, o desejo de Bolsonaro é nomear o ministro da Advocacia-Geral da União, André Luiz Mendonça, que é o jurista “terrivelmente evangélico” mais próximo do presidente da República atualmente. Funcionário de carreira da AGU, André Mendonça é doutor em Estado de Direito e Governança Global e mestre em Estratégias Anticorrupção.

Busca de equilíbrio

Muitos Estados chegam a comprometer entre 70% e 80% de sua receita com gasto de pessoal. Em Nota Técnica sobre a situação fiscal dos Estados, a Secretaria da Fazenda Federal afirma: “O equilíbrio fiscal é um ativo importante para assegurar avanços na prestação dos serviços à população, além de trazer um ambiente seguro para novos investimentos privados, criando mais oportunidades de emprego e renda”. Se fosse só por isso, a Secretaria não teria feito mais que constatar o óbvio – o que não é pouco, considerando-se as políticas fiscais heterodoxas ou simplesmente irresponsáveis adotadas por tantos Estados. Mas a nota traz dados que mensuram o quão verdadeira é esta constatação.

PIB de 0,81% para 2019

O Ministério da Economia revisou nesta sexta-feira, 12, a projeção oficial para o crescimento da economia brasileira neste ano. O Produto Interno Bruto (PIB) deve ficar em 0,81% em 2019. A previsão anterior era de 1,6%, divulgada em maio. O dado consta no Panorama Macroeconômico da Secretaria de Política Econômica (SPE). As previsões de “pibinho” divulgadas nesta sexta ficaram próximas as do último Boletim Focus divulgado pelo Banco Central (BC), divulgado segunda-feira. O relatório, feito com base em análises de economistas do mercado financeiro, prevê crescimento de 0,82% para o PIB de 2019.

Perigos do precoce

Diz Fernando Gabeira. A reforma da Previdência e o acordo comercial com a União Europeia são dois temas que podem animar a economia. Mas não se pode superestimá-los. Um trabalho de reconstrução demanda um trabalho diuturno. O clima de campanha política não é o melhor para desenvolver essas tarefas. Bolsonaro falou duas vezes em concorrer de novo em 2022. Espera entregar um País melhor em 2026, mas parece ignorar que passará pelo grande julgamento no final do primeiro mandato.

Potência fiscal

O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou que o governo, mesmo com os destaques aprovados, mantém uma potência fiscal de R$ 900 bilhões de economia para a próxima década. Lorenzoni foi exonerado do cargo de ministro para assumir o mandato de deputado e garantir um voto favorável à reforma

O ministro mantém a expectativa de votar, inclusive, o segundo turno nesta sexta (12), mas reconhece que é importante aguardar o quórum ao longo do dia para saber se a votação da reforma termina este semestre ou fica para agosto.

Segundo ele, o governo está construindo um acordo com o Senado para terminar a votação naquela casa na segunda quinzena de setembro. Portanto, na avaliação de Lorenzoni, adiar não seria um problema para o governo.

Vazamento

O vazamento entrou na campanha. Moro decidiu por uma saída política, contando com a ambiguidade: os diálogos podem ou não ser verdadeiros. Bolsonaro abraçou a Lava Jato com o mesmo entusiasmo com que levantou a taça da Copa América.

Quebra de decoro

O presidente do PSL, Luciano Bivar, entrou com representação à Mesa Diretora da Câmara Federal por suposta quebra de decoro contra Glauber Braga (PSOL), por chamar o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, de “juiz ladrão”, enquanto prestava esclarecimentos sobre mensagens atribuídas a ele e à força-tarefa da Operação Lava Jato na Comissão de Constituição e Justiça da Casa.

Juiz corrupto?

A sessão, que durou mais de 7 horas, no dia 2, foi encerrada após a fala de Braga. “O senhor vai estar sim nos livros de História como um juiz que se corrompeu, como um juiz ladrão. A população brasileira não vai aceitar como fato consumido um juiz ladrão e corrompido que ganhou uma recompensa por fazer com que a democracia brasileira fosse atingida. É o que o senhor é: um juiz que se corrompeu. Um juiz corrupto. O mais corrupto da história do Brasil”, disse.

 

Igual

A maioria dos colunistas políticos está encantada com a performance de Rodrigo Maia, presidente da Câmara, na primeira aprovação do projeto da reforma da Previdência, que teve votos até da oposição. A colunista Eliana Cantanhede foi além: comparou Maia a Ulysses Guimarães, histórico nome da política brasileira.

 

Está na lei

Jair Bolsonaro quer transformar seu filho Eduardo, deputado federal (PSL-SP) em embaixador brasileiro em Washington. O que diz a lei: chefes de missões diplomáticas devem ser escolhidos entre ministros de primeira classe que chegaram ao topo da carreira no Itamaraty. E “excepcionalmente, podem ser indicados outros brasileiros com mais de 35 anos, de reconhecido mérito e com relevantes serviços prestados ao país. No Senado, Eduardo poderia ser derrotado e o Supremo está meio dividido.

 

O que diz Jair

Para avaliar o perfil de Eduardo Bolsonaro, seu filho, para ser embaixador em Washington, o pai Jair, Chefe do Governo brasileiro diz: “Ele é amigos dos filhos de Trump, fala inglês, espanhol tem vivência muito grande do mundo. No meu entender, poderia ser uma pessoa adequada”. Eduardo também passou num exame para cargo de escrivão da polícia. Nunca passou nem perto do Itamaraty. Detalhe: o chanceler Ernesto Araújo é contra, mas publicamente é a favor.

 

Em alta

A deputada Tábata Amaral (PDT-SP) virou estrela depois de ter votado a favor da reforma (seu partido era contra). Ela foi a parlamentar que teve o nome mais pesquisado no Google no dia da votação – cinco vezes mais do que Maia. Só que nas redes, Tábata perdeu 32 mil fãs no Instagram e 10 mil no Facebook. No Twitter, o saldo foi positivo: entre quem deixou e quem passou a seguir a parlamentar, foram 7 mil a mais.

 

Mais Tábata

O ex-ministro Carlos Lupi, presidente do PDT, quer expulsar todos do partido que votaram a favor da reforma (o partido é contra), mas certamente achará um meio de poupar o nome de Tábata, que pretende lançar à prefeitura de São Paulo. O ex-ministro Ciro Gomes, derrotado na corrida ao Planalto é a favor. Agora, o governador de São Paulo, João Doria quer que ela forme no PSDB – e ela está um tanto perdida, não sabe para onde ir.

Para depois da reforma

O ministro da Economia, Paulo Guedes, reuniu sua equipe de secretários para fazer, junto a eles, um balanço do primeiro semestre e um planejamento pós-Previdência. Cada secretário apresentou “ideias e propostas”. Foram citadas ações como a reforma tributária, a liberação de recursos do FGTS e agendas de melhoria do ambiente microeconômico.

Também foram discutidas privatizações, fator que o governo pretende acelerar neste segundo semestre. “Teremos muitas notícias daqui a duas semanas”, disse na quarta-feira, 10, o secretário de Desestatização do Ministério da Economia, Salim Matta.

O Ministério da Economia revisará nesta sexta-feira, 12, a projeção oficial para o crescimento da economia neste ano para um número entre 0,8% e 1%, de acordo com fontes da equipe econômica. A última estimativa, feita em maio, está em 1,6%.

Mais um

O filme Turma da Mônica – Laços, que já superou um milhão de espectadores vai ganhar sua continuação com Daniel Rezende, o roteirista. Thiago Dottori faz um esboço da história. Também será inspirado numa grafic novel da turma. Lições é o título “Laços” foi publicada em 2015.

 

Querem mais

O staff da comunicação da Presidência prepara uma superação nas redes sociais do Planalto. Uma das ideias é transformar o canal no YouTube em um hub para todos os ministérios, o que permitiria centralizar as informações das mais diversas áreas do governo. O canal do Planalto no YouTube tem apenas 73 mil inscritos. E para comparar, a página do presidente Bolsonaro soma 2,5 milhões.

 

Mais 2022

As vitórias conquistadas por Rodrigo Maia, presidente da Câmara, nos últimos tempos – e já há quem aposte que ele resolverá logo a reforma tributária – fez nascer, para muita gente e não apenas pessoal do partido, a ideia de que ele já é um nome para figurar na lista do que planejam disputar a Presidência em 2022. Perguntado, ele apenas sorri.

 

Crocodilo

O advogado e ex-procurador Regional da República, que atuou na força-tarefa Operação Lava Jato em Curitiba, Carlos Fernando dos Santos Lima criticou duramente a atitude de Rodrigo Maia, presidente da Câmara, que chorou ao final da sessão na aprovação em primeiro turno da reforma da Previdência. Em um artigo escreveu: “Dizem que o crocodilo chora ao abocanhar sua vítima num bote certeiro. Lágrimas lhe escorrem enquanto a esmigalha, tritura e a engole satisfeito. Ao ver Rodrigo Maia chorando, me deixou a mesma impressão. Estava ali não alguém emocionado por ter feito algo bom para o País, mas um político exultante com o recado dado às elites do País: nós, da velha política, somos quem realmente têm poder para aprovar o que vocês precisam, desde que por um módico preço”.

 

James

A rede de supermercado Pão de Açúcar agora tem o James: é uma figura hipotética que entrega compras feitas pela internet num mínimo de tempo. E tem até uma imagem: é jovem, usa boné, barba rala, tênis e colete acolchoado, sempre sorrindo. O nome James foi inspirado em literatura britânica onde, na maioria das histórias, famílias ricas tem um mordomo chamado James.

 

Em ruinas

A prefeitura do Rio está cobrando do fundo Mubadala, dono do imóvel do antigo Hotel Glória, que intensifique a segurança do local. Já foram registradas duas tentativas de invasão por sem-teto. As obras estão paralisadas há seis anos e o edifício virou um elefante branco em ruinas, abandonado no Aterro do Flamengo.

 

Ainda o embaixador

Ainda a propósito da transformação de Eduardo Bolsonaro em embaixador em Washington: apenas em monarquias absolutas, cada filho do rei escolhe o cargo que quer ocupar. A prática é adotada pela Arábia Saudita, controlada pela dinastia Al-Saud. Dos 11 embaixadores que o país já mandou para Washington, nove pertenciam à família real. Hoje, o cargo é ocupado pela princesa Reema Al-Saud.

 

Olho no campo

Nos últimos 40 anos, o PIB agrícola aumentou 3,3% ao ano, dobrando a cada 20 anos. De importador de alimentos, o Brasil se tornou o maior exportador mundial. Agora, é um dos cinco maiores produtores mundiais de 36 produtos agrícolas, com produtividade entre as mais altas do mundo. Tudo isso com mínima participação do Estado.

 

De fora

A Fórmula 1 tem contrato até 2020 com o autódromo de Interlagos, em São Paulo e a briga para tentar levar o evento para o Rio, aumentou ainda mais a crise entre as duas partes. O custo financeiro para trazer um evento deste porte ao país (é o único que abriga GPs na América do Sul), é alto e isso seria mais um ponto que está dificultando as negociações. Resumo da ópera: se não for acertada essa crise financeira em 2021, o Brasil poderá está fora do calendário da Fórmula1.

 

É isso ou nada

Ainda sobre a Fórmula 1: o presidente Jair Bolsonaro quer de, todas as formas, levar o evento para Deodoro, no Rio. Afirma que o autódromo estará pronto e dentro das normas em 2021. O fato é que o Chefe do Governo quer atrair mais turismo, consequentemente, mais investimentos para seu estado. Em uma de suas entrevistas afirmou que se o GP não ocorrer no Rio, estaria disposto a abrir mão do evento. “Será isso ou a saída do Brasil”.

 

Aquecimento da economia

Certo da aprovação da reforma da Previdência, em segundo turno na Câmara e no Senado, Paulo Guedes, ministro da Economia, já começa voltar o foco para outras áreas econômicas. Guedes pediu para seus secretários apresentarem projetos para aquecer a economia. O ministro quer medidas que possam estimular o ambiente econômico, como por exemplo, o incentivo a saques do Pis/ Pasep e do FGTS.

 

108 escolas

O Ministério da Educação quer criar até 2023, ou seja, até depois do fim do mandato de Bolsonaro, 108 escolas cívico-militares. Esta é a primeira vez que a pasta apresenta um plano de ação, que inclui construção de creches e recursos para reformas que ampliarão esse tipo de escola.

 

Impacto fiscal

A reforma da Previdência aprovada na Câmara é o substitutivo do relator, Samuel Moreira (PSDB-SP), que prevê impacto fiscal de R$ 987 bilhões em 10 anos. A proposta original do governo previa R$ 1,23 trilhão na economia no mesmo período e a estima de grupos como Eurasia, Itaú e Safra previa impacto entre R$ 600 bilhões e R$ 800 bilhões. Já na conta da Instituição Independente do Senado, o texto aprovado poupará só R$ 744 bilhões.

 

Quem diria

Na semana que passou, uma surpresa assistida pelos deputados no plenário da Câmara Federal: Alexandre Frota, ex-ator e parlamentar com posições definidas, abraçava, em grande estilo, o colega Davi Miranda (PSOL-RJ), marido de Glenn Greenwald que tem divulgado mensagens atribuídas a envolvidos na Lava Jato. Frota é defensor do ministro Sérgio Moro.

 

Católico

Agora, tem até café da manhã no Alvorada especial para a bancada evangélica que quer que Bolsonaro afrouxe a fúria da Receita Federal sobre as igrejas. Já teve dois encontros do tipo e neles, Bolsonaro exercia procedimentos religiosos do tipo “Aleluia!” ou “Glória”. Detalhe: Bolsonaro é católico e tem um rosário em seu criado-mudo.

 

Privilégios

A alíquota máxima do IR (27,5%) captura o assalariado de R$ 5 mil quanto o de R$ 10 milhões. E a lei é cheia de jabuticabas que o governo quer acabar para levantar R$ 100 bilhões no ano. Detentor do capital não paga IR pessoal sobre sua renda de lucros e dividendos. Quem presta serviço como pessoa jurídica têm o mesmo privilegio. Mais: empresas deduzem o “pagamento” de juros sobre seu “capital próprio”. E a sonegação, no ano passado, chegou a R$ 620 bilhões.

 

Tiririca 2022

O deputado federal Tiririca (PL-SP) que, no final de 2017, havia dito que só cumpriria seu mandato e sairia da política, voltou atrás, se candidatou a reeleição, foi eleito e agora já faz planos para 2022: quer ser candidato a presidente. “Se Deus quiser, daqui a quatro anos eu vou meter as caras para ser presidente. Se eleito for, vou fazer um mandato fantástico, eu já tenho esses dois mandatos aí. Tô empolgado pra caramba”. O deputado votou contra a reforma enquanto a bancada do PL tinha orientação para votar a favor.

 

Está fora

Alguns empresários empenhados na criação de uma nova entidade de defesa da indústria sem recurso estatal envolveram o nome de Jorge Gerdau na história. Ele reclamou: não quer saber disso, não acredita nessa ideia e acha que não falta entidades de classe. “Mais uma só traria custos e acabaria por dividir o setor”.

 

Retrato da dívida

A trajetória atual da expansão da dívida pública é insustentável e a simples aprovação da reforma da Previdência nos moldes atuais, sem a inclusão de Estados e municípios e com elevação de impostos para cobrir déficit previdenciário, é insuficiente para reverter essa tendência negativa. Para zerar no longo prazo o crescimento da dívida líquida seria necessário um superávit primário de 3,4% do PIB. São dados de novo estudo da FGV/ EPGE.

 

Montagem ou sósia

As redes sociais e agora, em grande volume, nas mensagens do WhatsApp, há um verdadeiro festival de fotos da atriz Paolla Oliveira toda nua praticando sexo. Ela já está providenciando ação policial para ver se descobre a origem do vídeo. Com relação a sua fisionomia, não sendo ela, é montagem de rosto ou eventualmente uma sósia. Agora, o autor mistura no vídeo cenas de A dona do pedaço, onde Paolla aparece seminua, provavelmente para tentar dar maior autenticidade.

 

Dívidas perdoadas

O Ministério da Saúde vai perdoar dívidas do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) para atrair mais profissionais para nova versão do programa Mais Médicos, prevista para o segundo semestre. O saldo devedor é de R$ 13,2 bilhões do fundo apenas referente aos cursos de medicina, valor que engloba débito de mais de 26 mil formandos.

 

Um e outro

O grupo Accor vai reabrir até o final do ano o antigo hotel Rio Palace, no Posto Seis, em Copacabana. Será o primeiro da rede francesa com bandeira Fairmont na América do Sul. Em compensação a Accor vai fechar o Sofitel Ipanema, antigo Caesar Park, que entrará em obras, embora não exista certeza de que o hotel será reaberto.

 

Máquina de dinheiro

Mesmo debaixo de críticas, o BNDES é uma máquina de retornar valor ao Estado, ajudando na amenização da crise final e fomentando políticas públicas. Dados recentes revelam que o BNDES obteve o maior lucro trimestral de usa história no primeiro trimestre de 2019 com a marca de R$ 11,1 bilhões, um crescimento de 436,7% em relação ao primeiro trimestre de 2018. O resultado se deve, especialmente, à venda de ações de empresas, com destaque para Petrobras, Fibria, Vale e Rede.

 

Bem cotado

Quem já colocou um pé na Casa Civil, em meio ao desgaste de Onyx Lorenzoni, foi o ministro (muito atuante) da Infraestrutura, Tarcisio Freitas. Teve sucesso no programa de concessões para atrair investimentos de fora, mais obras e geração de empregos. Além disso, a nova atribuição da Casa Civil será acompanhamento de programas prioritários do Executivo e coordenação do trabalho dos ministérios.

MDB elege diretório em Paranaguá

sexta-feira, 12 de julho de 2019 – 14:08 hs

 

Menos de três meses após destituição do MDB de Paranaguá e definição da nova comissão provisória, nesta quinta-feira (11), às 22 horas, foi eleito o novo diretório que manteve o vereador João Mendes Filho como presidente do partido. A votação iniciada ás 17h30 no Clube Olímpico, definida por eleição direta de seus filiados e será válida por dois anos. As informações são do JB Litoral.

 

Os votos ultrapassaram significativamente o quórum necessário e 94 filiados votantes aclamaram o órgão definitivo, atendendo o que determina a resolução nº 23.571/2018 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O processo eleitoral foi auditado pelo membro indicado pela Executiva Estadual, Paulo Galeto, com a Chapa “Novo MDB” sendo eleita por unanimidade.

 

 

Enviado dos céus

O novo secretário do governo, general Luiz Eduardo Ramos, é evangélico e se considera “ungido”. E se apresenta como “um misto de Salomão, Davi, e José do Egito”.

Frases

    “Estamos preocupados com a reforma da Previdência e não com a do sítio ou do tríplex.”

Deputado Marcel Van Hattem