Ratinho JR presidenciável

292

Pois, pois, não há quem chegue ao governo do Paraná que não pretenda ser presidente da República. Isso desde os idos de Bento Munhoz da Rocha e Ney Braga. Agora não é diferente. O chamado núcleo estratégico de Ratinho Jr trabalha para torná-lo presidente na sucessão de Jair Bolsonaro.

Partem das seguintes certezas: 1) a reeleição vai acabar na reforma política e Bolsonaro não será, portanto, candidato. Poderá apoiar Ratinho Jr, o mais alinhado ao bolsonarismo dos candidatos.

2) os demais possíveis pretendentes estão em queda livre nas pesquisas de opinião, aí incluídos Doria, de São Paulo, e Witzel, do Rio.

3) Ratinho Jr vai se dedicar prioritariamente a esse projeto, o que impõe uma agenda nacional e internacional que ele já está cumprindo. Mais da metade do tempo de mandato ele dedicou a viagens pelo Brasil e ao exterior.

4) a função executiva direta do governo ficará por conta do núcleo duro, que tem na cabeça o chefe da Casa Civil, Guto Silva, hoje com poderes para nomear, demitir, decidir, aprovar e fazer a interlocução com a base política e seus apetites. Ou seja, um supersecretário que subordina os demais.

Isso ajuda a explicar a atuação de Ratinho Jr e do governo até agora e assim será, sendo que os próximos seis meses já estão agendados.

Toffoli quer punir

O presidente do STF, Dias Toffoli, interrompeu a sessão para anunciar que vai representar contra o procurador Diogo Castor (foto), membro da Lava Jato em Curitiba. Ele ficou profundamente irritado com um artigo de Castor que acusa o STF de participar de um golpe contra Lava Jato, caso julgue ser de competência da Justiça Eleitoral a destinação de dinheiro oriundo da corrupção como se fosse delito de caixa 2.

Fim da Lava Jato

Segundo o procurador, uma decisão neste sentido decretaria o fim da Lava Jato. Toffoli considerou o artigo de Diogo Castor uma ofensa às instituições judiciárias e que deve ser punido por difamação.

 

Fora do ar

Facebook e Instagram ficaram fora do ar na tarde desta quarta-feira (13). Não é possível comentar ou publicar conteúdo no Facebook — tanto em perfis pessoais quanto páginas. No Instagram, uma das mensagens exibidas é “Erro de rede desconhecido”, a outra é “Ops. Ocorreu um erro. Estamos trabalhando para resolvê-lo o mais rápido possível”.

Pelé em Curitiba

Pelé é o único brasileiro reconhecido mundialmente. Atleta do século, jogador de futebol insuperável, o melhor de todos os tempos, faz de Edson Arantes do Nascimento um homem admirado em todo o planeta. Ontem, milhares de crianças, adolescentes, gente de todas as idades foram ao Palácio Iguaçu e lotaram a sala de eventos para reverenciar Pelé, numa demonstração de carinho e admiração em grau que nenhuma outra figura pública tem hoje no país. Para recebe-lo lá estavam craques de sua época, como Sicupira.

Pelo esporte

Pelé veio participar do lançamento de uma campanha para incentivar cidadãos e empresas a apoiarem projetos esportivos por meio da destinação de impostos. Ele defende a ideia de que o esporte realmente afasta as crianças e os jovens das drogas, do crime e de outras consequências da grave crise econômica e social que vivemos.

Boca aberta

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) negou três liminares, sendo duas de ex-deputados e uma do Ministério Público, que pediam a cassação e a perda imediata de mandato do deputado federal Boca Aberta (PROS). A decisão partiu do ministro Jorge Mussi, e foi publicada oficialmente.

 Assembleia se equipa

O deputado Romanelli (PSB) afirmou nesta quarta-feira, 13, que a Assembleia Legislativa do Paraná vai criar novos instrumentos de participação popular, de controle e de transparência para garantir melhor acesso da população aos serviços públicos. “Estamos criando o Procon Assembleia e a Defensoria Assembleia. A população terá acesso às duas instituições na Assembleia de uma forma diferenciada para ser bem atendida nas áreas do direito do consumidor”, disse Romanelli.

Descentralizar

“Além disso, estamos trabalhando em criar novos mecanismos para descentralizar a Assembleia. Por exemplo, uma experiência que temos realizado, muito bem sucedida, é do Parlamento Universitário”, completou Romanelli ao citar ainda outros dois programas – “Geração Atitude” e a “Escola do Legislativo” – que são referências para legislativos de outros estados e cidades.

Time Olavo pede cabeça

Aliados de Olavo de Carvalho tentam evitar que Rubens Barreto, escolhido por Ricardo Vélez Rodríguez para ser o número dois do MEC, seja efetivado na vaga. Barreto é amigo e braço direito de Luís Antônio Tosi, o secretário-executivo anterior, demitido por Vélez depois de sofrer ataques dos olavistas.

Polícia nas escolas

O secretário General Luiz Felipe Kraemer Carbonell, da Segurança Pública, lança hoje em Curitiba o plano estadual de segurança pública. Entre os programas que serão apresentados está o Escola Segura que prevê a contratação de policiais militares da reserva para prestar segurança às mais de 2,2 mil escolas estaduais do Paraná.

Bakri anuncia

O deputado Hussein Bakri, líder do governo na Assembleia, anunciou a construção de 700 casas, investimento de R$ 53,7 milhões, em 13 cidades paranaenses: Fernandes Pinheiro, Teixeira Soares, Bituruna, Sengés, Wenceslau Braz, Nova Itacolomi, Marilândia do Sul, Manoel Ribas, Jandaia do Sul, Foz do Iguaçu, Jaguaraíva, Piraquara e Cambará.

Francischini se prepara

Deputado novato na Câmara e futuro presidente da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), Felipe Francischini (PSLPR) se prepara para presidir a comissão mais importante da Casa. O parlamentar de 27 anos contou que revê vídeos de sessões antigas e estuda a legislação “até de madrugada”. As informações são de Guilherme Mazieiro no UOL. Seu pai, Fernando Francischini é o presidente da CCJ no Paraná.

Athlético tem patrocínio

O Banco Renner é o novo patrocinador master do Athlético Paranaense. O anúncio oficial deve ser feito nos próximos dias. Assim como no contrato de patrocínio com o Cruzeiro, anunciado há duas semanas, um dos produtos do banco, o banco digital Digi+, será estampado na camisa do clube. Também como no caso do Cruzeiro, o Athlético receberá um fixo e mais um percentual sobre as contas digitais e serviços do banco usados por torcedores cadastrados. O Banco Renner tem o bispo Edir Macedo como um dos seus controladores.

Depois de arrombada

Na Câmara Municipal de Rolândia, faltou lugar para tanta gente que foi assistir a sessão na expectativa de encontrar o presidente, vereador Eugênio Serpeloni (PSD), protagonista de um escândalo pela divulgação de um vídeo em que ele aparece se masturbando e que foi visto por milhares de usuários de um aplicativo de mensagens instantâneas desde a noite de domingo. Depois, o vídeo ganhou o mundo em redes sociais. Serpeloni não compareceu. O vereador João Gaúcho (PSC) afirmou que ele estava recolhido ao lado de sua família. Provocou risos.

Olha o apelido

O ex vereador de Rolândia e agora deputado federal Boca aberta pediu a deposição de Serpeloni, que é presidente da Câmara de Rolândia. Outros vereadores fizeram um apelo para que deixem de chamá-lo pelo apelido pejorativo que recebeu, por denegrir a imagem da cidade. Com o perdão dos leitores, “o punheteiro de Rolândia,”

Do horror

Polícia diz que assassinos aparentemente eram adolescentes, que se mataram no local; há mais 9 feridos. Ao menos cinco crianças foram mortas em um ataque a tiros em uma escola estadual de Suzano, na região metropolitana de São Paulo. Segundo informações da Polícia Militar, dois homens encapuzados, que aparentam ser adolescentes, atiraram contra os estudantes e, em seguida, se mataram na escola Raul Brasil, na região central da cidade. A PM informou que uma funcionária da escola, a diretora, também foi atingida pelos disparos e morreu.

Rocha Loures liberado

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) revogou o recolhimento domiciliar imposto a Rodrigo Rocha Loures (MDB-PR), ex-deputado federal e ex-assessor do ex-presidente Michel Temer, flagrado recebendo R$ 500 mil da JBS, em 2017. A decisão é do juiz federal Marcelo Albernaz, que foi convocado na ausência do desembargador Neviton Guedes. Na prática, o TRF-1 liberou Loures para sair de casa entre 20h e 6h, e também nos finais de semana e feriados.

Onaireves na chincha

A Justiça mandou prender o ex-presidente da Federação Paranaense de Futebol (FPF) Onaireves Nilo Rolim de Moura, condenado a 22 anos, 4 meses e 12 dias de prisão em regime fechado por estelionato, apropriação indébita e formação de quadrilha. O mandado de prisão foi expedido pela 5ª Vara Criminal de Curitiba na segunda-feira (11). Ele não tinha sido preso até a publicação desta reportagem. A condenação de Mouta ocorreu em junho de 2015 – junto com outras oito pessoas. Conforme a sentença, Onaireves Moura é considerado o comandante de uma quadrilha que desviou recursos da FPF. Ele presidiu a entidade de 1985 até 2007.

Recuo

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB) recuou da proibição de concessão de isenção de rodizio para portadores de deficiência intelectual, como Síndrome de Down e condutores de seus veículos, permitindo que apenas deficientes físicos possam usufruir do benefício. Covas foi pressionado por rápida e eficaz campanha de familiares e amigos de deficientes pela internet.

Apelido

A propósito de Bruno Covas: ele anda irritado com o apelido que os petistas lhe arrumaram, Bruno Surfistinha.

Queria aparecer

O governador Wilson Witzel, do Rio, não perde a chance para aparecer: comandou entrevista coletiva depois da prisão de dois ex-PMs que podem ser os assassinos de Marielle Franco, em cuja investigação a polícia fluminense teve rara participação. Aí, chamou as procuradoras para ficarem a seu lado e elas não toparam, ficaram de longe e organizaram outra coletiva. Para quem tem memória curta: Witzel é o mesmo que, em comício em Petrópolis durante campanha, apareceu num vídeo comemorando a destruição de uma placa com o nome da vereadora.

Pichação

Na novela Verão 90, ainda repleta de exageradas caricaturas, teve uma cena, nesses dias, rodada numa pensão ambientada perto do Catete, no Rio, onde na parede da frente aparecia a pichação Ele, não!, destinada na campanha presidencial a Jair Bolsonaro e depois mantida em outras ocasiões. A trama se passa em 1990. Entre muitos integrantes da novela a discussão é saber se houver um tropeção ou se a pichação apareceu propositalmente. Ou ainda se foi feita de encomenda.

 

Elegância

Em meio à sua briga com o ministro Vélez Rodriguez, até envolvendo o próprio Jair Bolsonaro, o ex-astrólogo e filosofo autoditada Olavo de Carvalho, do alto de sua mesa no interior da Virgínia, no Estados Unidos, dedicou uma preciosidade em direção ao ainda titular da Educação: “O ministério é do Vélez. Que o enfie no c…”. Elegante, como sempre.

Roteiro

O prefeito de São Paulo e globe-trotter (ele sempre diz que paga suas viagens do próprio bolso e só viaja de primeira classe) Bruno Covas mandou espalhar que, nos feriados do Carnaval estava em Berlim. Não estava: seu roteiro iniciava em Praga e emendava (só que teve de voltar) em Genebra, na Suíça.

Processo difícil

Para a Febraban – Federação Brasileira de Bancos, a recuperação de crédito inadimplido é um processo difícil. No caso de empresas que vão à falência, mesmo em empréstimos com garantias só se recupera 15,8% no Brasil, enquanto a média mundial é de 69%. E o tempo que leva essa recuperação no país é de quatro anos, enquanto a média mundial é de 1,8 ano.

É o Brasil!

Empresário respeitado na área de turismo, Guilherme Paulus, da CVC, é o novo personagem do teatro da corrupção nacional: acaba de confessar à PF que repassou R$ 39 milhões para livrar uma de suas empresas da cobrança de R$ 161 milhões de tributos federais. Suspeita-se que os conselheiros do Carf, o tribunal da Receita, tenham ajudado Paulus. Agora, todas suas empresas serão investigadas, embora em algumas seja sócio minoritário.

Alternativa

Enquanto as novelas são recheadas de novos atores e atrizes contratados por trabalho e preço baixo e os veteranos com talento ficam no banco de espera por economia e sem contrato, a saída tem sido o teatro. Montagem de peças sem os benefícios da Lei Rouanet naufragam: três sessões por semana mal pagam os custos. Agora, está proliferando outra solução: é a montagem de monólogos, sem cenários e de curta temporada. O produtor pode ser o próprio interprete e textos escritos especialmente custam menor. Dá para pagar o supermercado da semana.

De volta

Quem está de volta ao campo é o ex-presidente da CBF, Ricardo Teixeira, que atravessou período de dores: denúncias de corrupção e problemas de saúde. Ele está conversando com o pessoal de sua antiga casa e também com dirigentes de clubes brasileiros. Entre outras jogadas, Teixeira está representando investidores do Oriente Médio. E como Marco Polo del Nero, ex-presidente da CBF, também prefere não sair do país.

 

Freio

Se a força tarefa da Lava Jato não tivesse solicitado a suspensão do curioso e um tanto surpreendente fundo de R$ 2,5 bilhões por reações de vários setores e, nesses dias, castigado pela procuradora-geral Raquel Dodge, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, já havia providenciado freio de arrumação. Para ele, a criação do fundo e a apropriação do dinheiro exigem autorização legislativa. Deltan Dallagnol está inconsolável.

Aplaudido

O MST ocupou uma fazenda do médium João de Deus, que continua preso, enquanto Abadiânia vê afundar seu comércio e as pousadas vazias. A presidente do PT, Gleisi Hoffmann aplaudiu. O presidente Jair Bolsonaro considera invasão de terras ato de terrorismo e a ocupação vai para as mãos de Sérgio Moro, da Justiça e Segurança Pública.

Lado a lado

O senador Renan Calheiros, que anda aparecendo muito pouco, deverá visitar, nos próximos dias, o ex-presidente Lula na cela-sala da PF de Curitiba, onde daqui a pouco completará um ano de prisão. Renan reelegeu-se senador em Alagoas devido a uma dobradinha com as forças do PT de lá, incentivadas por Lula. Agora, o senador quer continuar atuando na cena política lado a lado com o ex-presidente (um dentro e um fora, claro).

Olho nas greves

Os homens da Abin – Agência Brasileira de Inteligência têm conseguido evitar com suas informações antecipadas novas greves em setores importantes. Até o momento, o governo Bolsonaro conseguiu escapar de pelo menos duas greves. A mais grave seria nova paralisação dos caminhoneiros e outra, uma tentativa de greve dos auditores da Receita Federal. Agora, há nuvens no horizonte envolvendo movimentos semelhantes nas universidades.

Papel de crítico

O deputado Eduardo Bolsonaro, que faz meio de campo entre seu pai e o guru Olavo de Carvalho, resolveu defender o ex-astrólogo. Ele disse que Olavo não está causando nenhuma crise dentro do governo. “Ele está no papel dele de crítico. Ele pode muito bem falar. A outra opção que ele tem seria ficar quieto e olhar coisas que ele não concorda acontecendo. Certamente, ele, como brasileiro, não vai fazer isso. Gente, serão quatro anos assim. Eu não vejo como crise, vejo como saudável. Você não é a favor da democracia, das críticas? Superfaturam isso”.

Indenização

Enquanto o caso de Marielle Franco não é totalmente resolvido o Ministério Público do Rio pediu que a Justiça fixe uma indenização por danos morais e materiais à filha e viúva Mônica Benício da vereadora, aos filho e viúva do motorista Agatha Reis e à ex-assessora parlamentar Fernanda Chaves de pelo menos 500 salários mínimos. A indenização deverá de basear no salário do ano de 2018 ano (R$ 954,00), quando o crime foi cometido chegando a R$ 477 mil para cada.

 

Maior prudência

A Comissão de Ética da Presidência passará a ser mais prudente no governo Bolsonaro. Paulo Lucon, que acaba de assumir o comando do órgão, recebeu a orientação de só abrir processo ético contra autoridades da administração federal depois da conclusão de inquérito policial apontando indícios de culpabilidade.

Olho nos bancos

Hoje, no Brasil, bancários trabalham seis horas e a economia funciona oito horas. Nos bancos, cargos de gerência para cima, as pessoas ganham uma gratificação para trabalhar duas horas a mais que o horário de funcionamento das agências. Quando se aposentam ou são demitidas, recebem o contato de um advogado incentivando-as a entrar na Justiça para exigir as horas extras. E isso custa por ano R$ 3,1 bilhões.

Novos voos

A KondZilla, terceiro maior canal de YouTube do mundo, com quase 47 milhões de inscritos (um vídeo do funk Bum bum tam tam, de MC Fiotti, alcançou 1,2 bilhão de visualizações), se prepara para novos voos comandados por Konrad Cunha Dantas. Ele vai lançar o Portal KondZilla (conteúdo para jovens da periferia), estrear a série ficcional Sintonia da Netflix (dirigida por Konrad e Johnny Araújo) e assumir a direção criativa da marca de vodca Orloff.

Protesto

O velório do polêmico ex-presidente do Vasco, Eurico Miranda foi marcado por um protesto dentro da capela onde estava sendo velado. Os manifestantes cobravam salários em dia. O padre presente teve de interferir, pedindo respeito ao falecido e ele mesmo. Eurico faleceu em decorrência a um câncer no cérebro.

Caindo fora

Dados do Inep mostram que, em 2017, 2,5 milhões de pessoas entraram em cursos superiores, a grande maioria no setor privado e 1,2 se formaram. Depois de quatro anos, 31% dos estudantes haviam abandonado o curso e só 11% se formaram. O abandono é muito maior nas instituições privadas (37%) e em áreas como ciências matemáticas e computação (40%), ciências sociais (35%) e cursos à distância (42%).

Não dá

Depois da Lush, que fechou lojas e fábricas no Brasil em junho do ano passado, cansada de ver seus lucros serem devorados pelo volume de tributos, agora é a vez da marca britânica de cosméticos Kiehl’s arrumar a mala e cair fora. O motivo é sempre o mesmo: nem na gulosa Europa se pagam impostos tão elevados.

Memória

Nesse episódio de Bruno Covas estar passeando pela Europa, enquanto a Grande São Paulo ameaçava sucumbir debaixo d’água alguém, lembrou que o tucano tinha algo em comum com a ex-prefeita e ex-senadora Marta Suplicy. Ainda no PT e no comando da prefeitura paulistana, há anos, ela também foi flanar em Paris com São Paulo debaixo d’água.

Boquinha

Ex-assessora que escapou do atentado à Marielle Franco, Fernanda Chaves contou ao jornal português Diário de Notícias que, há algum tempo, Dilma Rousseff foi à sua casa oferecer “ajuda com contatos de entidades fora do Brasil”. Se necessário, só precisaria de passagens e estadia lá fora.

Entra e sai

O PSD acaba de receber a filiação do deputado federal Wladimir Garotinho, filho do ex-governador do Rio, Anthony Garotinho. Em contrapartida perdeu o ex-deputado Índio da Costa, que anunciou sua saída em forma de protesto contra o novo integrante do partido.

Bravo, Jô

O apresentador e humorista Jô Soares, que deixou a TV no final de 2016, fez uma rara aparição esta semana em São Paulo. Ele foi homenageado no Prêmio do Humor, criado por Fábio Porchat e é o único prêmio de teatro em que somente espetáculos de comédia concorrem. Foi a primeira edição em São Paulo, a terceira no Rio acontecerá no próximo dia 19 e a homenageada será Berta Loran. Jô agradeceu a homenagem e até tirou algumas fotos com alguns convidados, entre eles Denise Fraga, com quem tem muito carinho.

Frases

“Caiu o único da equipe do MEC que somava dois mais dois com desenvoltura”,

Fernando Haddad