Estava com este blog/coluna pronto. O tema de abertura, que quase terminei, longo, substancioso, fazia justiça a Ayrton Luiz Baptista, amigo, jornalista exemplar a quem o Paraná – e o mundo da imprensa – muito deve.

Rafael Waldomiro Greca de Macedo: quer calar críticos (Foto: Agência Brasil); e Lucas Navarro: salário de R$ 15 mil

Fui obrigado mudar de rumo, porque me senti atingido num dos meus direitos mais sagrados: o de exercer a profissão em que trabalho há 60 anos. Liberdade que hoje, dia 27, está ameaçada porque o alcaide Rafael Waldomiro Greca de Macedo deu ordem a um seu assessor (neste caso informal) e advogado, para “dar um tranco no professor Aroldo. Mas tranco pesado, com porradas”.

LUCAS É A CAUSA

Homem de bom senso, mesmo que de sabido estopim curto, o italiano assessor fez ouvidos moucos. O faniquito ameaçador do prefeito veio no começo da tarde do dia 26, terça, quando seu hoje preferido companheiro e assessor, Lucas Navarro, advogado 28 anos, dono de um salário exemplar (R$ 15 mil pagos pelo gabinete do alcaide) baixou hospital Marcelino Champagnat.

Pois o mancebo simplesmente não suportou – é o que se comenta no Gabinete do Prefeito – “o peso das críticas que o jornalista fez à ligação e a influência que Lucas, neófito em quase tudo, jejuno em conhecimentos gerais, exerce na vida da Municipalidade.

DEPRIMIDO

Lucas entrou em depressão, com as críticas bem fundamentadas. Imagine-se como ele e o alcaide enfrentarão uma campanha eleitoral ano que vem…

ERRO DE AVALIAÇÃO

Ora, pois, pois, senhor Rafael Waldomiro Greca de Macedo: o senhor não endireita mesmo. Continua o mau avaliador do próximo, com gritinhos histéricos que me lembram os do piá que eu abriguei – a pedido de seu pai, o santo Eurico Dacheux de Macedo – na redação do jornal Voz do Paraná, começo de 1970.

Ao histerismo juvenil acrescenta-se hoje a ele, ao sexagenário prefeito, a mentalidade coronelesca de “dar sumiço nos opositores”.

Coisa de mafioso.

Poupe-me, Rafael Waldomiro.

Só não entendo que além do invejável salário de cargo comissionado de R$ 15 mil, o alcaide ainda tenha dado uma camioneta Hylux, da Cotrans, para ficar à disposição do jovem que até o estaciona na garagem do prédio em que Greca mora com Margarita.

UM TRAIDOR HABITUAL

Também não entendo, mais ainda, o prefeito que foi se marcando por traições ao longo da vida (a Lerner, a Requião…).

Mas posso compreender que ele garanta, com Lucas Navarro ao seu lado, a presença de um valet de chambre. Afinal, Greca de Macedo, obeso mórbido, tem dificuldades para se calçar, vestir, arrumar a gola do paletó, caminhar. Isso é feito com assistência de Lucas, no apartamento, é voz corrente na Prefeitura.

HORÁRIO INTEGRAL

O que não se sabe é se o prefeito “amplia” a carga horária de Lucas na Chácara São Rafael, Laranjeiras, Piraquara, onde o jovem disputa espaços – diurnos e noturnos – com outro envolvente assessor, o Filipe Pachcot.

Lucas e Filipe não se bicam, disputam o mesmo espaço prefeitural. E por vezes se encontram no edifício da Vicente Machado, onde também mora a avó de Filipe. Este, dias atrás, quase teria chegado às vias fato com Lucas. Os motivos? Não são difíceis de imaginar.


Abuso de poder? Greca escreve peça sobre Curitiba e usa espaços públicos para encená-la

O “espetáculo” de Rafael Waldomiro Greca de Macedo (Foto: Rodrigo Fonseca/CMC)

Auto de Fundação da cidade está sendo apresentado nas ruas da cidadania e teve sessão para vereadores

Do Plural 27/03

O prefeito Rafael Greca (DEM) sempre quis ser poeta – até já publicou alguma coisa por aí, o que foi suficiente para ser eleito “imortal” da Academia Paranaense de Letras. Agora, voltou à carga e cometeu um Auto de Fundação de Curitiba. Aproveitando que é ao mesmo tempo prefeito e autor, mandou que levem sua obra-prima aos quatro cantos da cidade.

Segundo ele, o texto foi escrito em parceria com sua esposa, Margarita Sansone. Quem encenou foi o diretor Edson Bueno. Além de fazer apresentações nas Ruas da Cidadania, Greca fez questão de ter uma récita especial para seus vereadores – que além de votar com o prefeito tiveram de assistir e aplaudir o seu trabalho.

De apenas dez minutos, o auto conta a relação entre os índios e os primeiros europeus que chegaram aqui como se fosse um filme de Sessão da Tarde. “Esses índios estavam numa boa até que apareceu uma turma da pesada que começou a maior confusão.” Mas o clima é mais para o feliz-romântico, em que todos se dão bem e a cidade é uma maravilha.

Brincadeiras à parte, seria de o Ministério Público ver se o prefeito ficar espalhando seu próprio trabalho, “uma obra que revela nosso amor por Curitiba”, com dinheiro público, e usando estruturas públicas, um ano antes de tentar a reeleição não se encaixa em abuso de poder.


Em Prudentópolis, Apaes do Paraná têm reunião

Nos dias 29 e 30 de março, o senador Flávio Arns participa da reunião da Diretoria e Conselhos da Federação das Apaes do Estado do Paraná, que acontece em Prudentópolis. No encontro, estarão reunidos os conselheiros que representam as 30 regionais da entidade no Estado.

PARCERIA

Um dos assuntos da pauta é a manutenção da parceria entre o governo estadual e as entidades que atendem pessoas com deficiência.

Na segunda-feira, o senador Flávio Arns se reuniu com o governador Ratinho Jr e apresentou uma sugestão de decreto para regulamentar a cessão de servidores que atuam nessas instituições.

FUNCIONÁRIOS

No encontro, Arns disse ao governador que a possibilidade levantada pela Secretaria de Estado da Educação de encerrar a cooperação técnica e financeira existente há décadas com as escolas especiais seria uma atitude inadmissível. Ratinho Jr recebeu as sugestões e disse que tratará do assunto pessoalmente.


Jogo de empurra no PT

POR LAURO JARDIM / O GLOBO
Givaldo Barbosa | Agência O Globo

Jacques Wagner e Gleisi Hoffmann: pela Presidência do PT

Parte expressiva do PT quer ver Jaques Wagner na presidência do partido, sucedendo Gleisi Hoffmann, na escolha do novo comando do partido, em novembro.

Mas a quem pergunta sobre o assunto, Wagner tem uma resposta pronta. Diz que não quer a presidência e que seu colega de Senado, Humberto Costa, seria o nome ideal.


Na Ecco Salva, atrasos comprometem vidas

A empresa Ecco Salva tem histórico de bons serviços em Curitiba. De origem, uruguaia, está há 20 anos no Paraná, tem milhares de associados que esperam – e pagam – por pronto atendimento. Sua qualidade de serviços ficou comprometida, no entanto, no último 23, sábado, quando o associado AM a ela recorreu às 17h45 min, pedindo atendimento: apresentava quadro de fortes tonturas e perda de equilíbrio, posteriormente identificados como crise de labirintite.

Resumo: tendo esperado até as 20h09, o associado da Ecco Salva desistiu de esperar. Sozinho em casa, o associado apanhou taxi e procurou o Hospital Santa Cruz onde foi prontamente atendido, com qualidade, pela médica Nicole.

A equipe que chegou mais de duas horas depois do pedido (às 20h12 min), era comandada por Anderson.


Leprevost mantém multas a 3 grandes bancos

Cláudia Silvano: Ney apoia fiscalização

O secretário da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost não brinca em serviço: manteve multas aplicadas pela diretora do Procon-PR, Cláudia Silvano, a 3 grandes bancos acusados de terem lesados consumidores.

Os recursos dos bancos foram enviados a Ney.

O secretário mostra disposição de não se intimidar diante do tamanho das encrencas que vão ao Procon: pediu ainda que o órgão amplie seus rigores, fiscalizando com redobradas atenções companhias de aviação, planos de saúde, instituições financeiras, empresas de televisão a cabo.

 

 

 

 

 


Afinal, por quê um secretário carioca?

Maria Vitória: quer saber…; Secretario Renê Garcia: … o que responder

Pelo menos dois grandes centros de formação em Economia, Finanças e Administração paranaenses estão nos melhores ranking de avaliação universitária do país: a FAE e a UFPR, nos cursos de graduação e pós.

Apesar desses centros notáveis, o Governo do Paraná foi buscar no Rio de Janeiro, estado que não tem nenhum sinal de excelência na gestão do dinheiro público, o secretário de Fazenda, Renê Garcia.

O porquê da escolha não se sabe, ainda. Sabe-se, isso sim, que Garcia foi secretário de Fazenda do Estado do RJ no Governo da folclórica Benedita da Silva, que só se diferenciou dos governos Sergio Cabral e Pezão porque não era desonesta.

Mas a gestão da Fazenda nos dias de Benedita foi igualmente caótico, desastroso, com Renê.

A propósito: está em vias de vencer o prazo que o secretário da Fazenda tem para responder à deputada Maria Vitória sobre a real situação em que Cida Borghetti deixou o caixa estadual ao transmitir o governo.


DATAS:

Fernando Wagner e Maria Oliva Samek

Maria Olivia Samek

Dez anos da morte do empresário Fernando Wagner de Abreu Duarte, pioneiro na defesa dos pequenos empresários, cuja associação de classe criou e presidiu. Ele foi também um dos fundadores do Instituto Ciência e Fé de Curitiba. Estaria fazendo 67 anos, nesta quarta, 27.

Muito lamentada, também, a morte de Maria Olivia Samek, que foi casada com Jorge Samek, e tinha 64 anos. Mãe de 3 filhas, Maria Olívia, testemunham amigos dela, teve uma vida toda dedicada a causas sociais e ao engajamento político. Era conhecida especialmente por sua fidelidade aos amigos.

 

 

 

 

 


COMPORTAMENTO

“Viva Como se Estivesse de Partida”: Rafael Henzel sabia que a passagem seria curta

Rafael Henzel e sua paixão

Córneas do jornalista que sobreviveu à tragédia aérea da Chape e morreu jogando futebol serão doadas: Rafael parece que insiste, sempre, de alguma forma surpreendente, em sobreviver

Redação Aleteia Brasil

Foi velado na manhã desta quarta-feira, 27, o corpo do jornalista Rafael Henzel, que morreu às 21h10 desta terça-feira, 26. Por meio de nota, o Hospital Regional do Oeste, em Chapecó, SC, comunicou que Rafael chegou à unidade com parada cardiorrespiratória, “vítima de um mal súbito durante jogo de futebol com amigos e colegas de imprensa de Chapecó“.

SOBREVIVENTE

O velório, aberto ao público, aconteceu no Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nes, ao lado da Arena Condá. É mais um dos inúmeros vínculos de Rafael com a Associação Chapecoense de Futebol: o jornalista era um dos quatro brasileiros que tinham sobrevivido à tragédia aérea sofrida pela Chape em 28 de novembro de 2016, quando perderam a vida 71 pessoas a bordo do voo LaMia 2933, que levava a delegação para a final da Copa Sul-Americana em Medellín, na Colômbia.

HOMENAGEM

Uma cerimônia em homenagem ao jornalista ocorreu á tarde, antes do sepultamento no Cemitério Parque Jardim do Éden. O súbito falecimento do jornalista sobrevivente de 45 anos causou grande comoção nas redes sociais. A prefeitura de Chapecó decretou luto oficial de três dias.

Capa do livro

Rafael Henzel deixa a esposa, Jussara, e o filho Otávio, de 10 anos. Por ocasião do acidente, ao falar sobre os momentos dramáticos em que as notícias ainda eram desencontradas, Otávio tinha emocionado o mundo ao declarar que “sentia que o pai estava vivo”.

“VIVA COMO SE ESTIVESSE DE PARTIDA”

Particularmente chamativo é recordar que Rafael tinha consciência da fugacidade da vida neste mundo e parecia preparado para partir a qualquer momento.

Em 2017, ele tinha lançado o livro “Viva Como se Estivesse de Partida“, no qual contava a sua experiência pessoal de reavaliação da vida após a improvável sobrevivência a uma catástrofe aérea.

OLHOS QUE SOBREVIVERÃO

Na madrugada desta quarta-feira, os médicos de Chapecó fizeram uma cirurgia para retirar as córneas de Rafael, com autorização da família, para serem doadas e transplantadas em algum dos pacientes em fila de espera.

Rafael parece que insiste, sempre, de alguma forma surpreendente, em sobreviver.


AÇÕES DE GOVERNO

Governador anuncia conjunto de ações para crianças e famílias

O governador Carlos Massa Ratinho Junior assinou convênios que beneficiarão crianças, famílias e pessoas com deficiências física e mental. As ações são da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho. (Foto: Rodrigo Félix Leal/ANPr)

Ratinho Junior confirmou recursos para novas sedes do Conselho Tutelar em três municípios e para cursos de qualificação de famílias em situação de vulnerabilidade. O Estado também apoiará com recursos o Pequeno Cotolengo, que acolhe pessoas com deficiência.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior assinou nesta quarta-feira (27) uma série de convênios que beneficiarão crianças, famílias e pessoas com deficiências física e mental. As ações são da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho. Serão repassados recursos para a construção de sedes do Conselho Tutelar em Prudentópolis, Campo Largo e Maringá e para a criação de cursos de qualificação destinados a famílias em vulnerabilidade pessoal e social.

Também será destinado recurso de custeio ao Pequeno Cotolengo, entidade social de Curitiba, que acolhe pessoas com deficiência em situação de risco ou abandono. Na solenidade, no Palácio Iguaçu, em Curitiba, o governador assinou um termo de cooperação técnica para a realização de campanhas de divulgação de crianças desaparecidas.

Ratinho Junior afirmou que o Governo do Estado está pautado em um tripé formado por gestão eficiente, planejamento de infraestrutura e promoção social. “Temos um olhar voltado para as crianças e para as pessoas que mais precisam. Queremos estar cada vez mais perto desses públicos, dando o amparo necessário do poder público para que possam ter qualidade de vida”, afirmou.

“Esse conjunto de ações tem como objetivo criar uma barreira de defesa de crianças e adolescentes e de famílias em situação de vulnerabilidade, e fortalecer instituição que há décadas faz um excelente trabalho de inclusão social”, disse o governador.

CONSELHOS

Os municípios de Campo Largo, na Região Metropolitana de Curitiba, Prudentópolis, no Centro-Sul, e Maringá, no Noroeste, são os primeiros a participar do projeto de revitalização de Conselhos Tutelares, que prevê a construção de 31 novas sedes em municípios do Paraná. “Faremos tudo o que pudermos para melhorar o atendimento nos conselhos tutelares, pois eles fazem um trabalho fundamental para em prol das pessoas que mais necessitam”, afirmou o secretário da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost.

Atualmente, o Estado conta com 423 conselhos tutelares nos seus 399 municípios. “Nosso objetivo é fortalecer a atuação dos conselhos tutelares, proporcionando qualidade no atendimento, com espaços individuais que garantam o sigilo e mais conforto”, afirmou Leprevost.

Por meio dos convênios, as prefeituras de Prudentópolis, Campo Largo e Maringá cederão os terrenos e a Secretaria da Justiça, Família e Trabalho investirá cerca de R$ 2,1 milhões na construção das novas sedes dos conselhos. Segundo o prefeito de Prudentópolis, Adelmo Luiz Klosowski, a obra será importante para a cidade. Hoje, o conselho está instalado em um prédio sem muitas condições de uso. “A nova sede, portanto, vai colaborar com a melhoria da qualidade de atendimento, pois os nossos profissionais estão em um ambiente mais estruturado.”

Marcelo Puppi, prefeito de Campo Largo, destacou o papel do Conselho Tutelar na proteção e garantia de direitos das crianças e dos adolescentes. “Com uma estrutura adequada, nossos profissionais, que já se dedicam ao trabalho, conseguirão desempenhar suas funções de forma ainda mais eficaz”, afirmou.

PROTEGER

O Pequeno Cotolengo, instituição social de Curitiba, atua no acolhimento de pessoas com deficiências em situação de risco ou abandono. Pelo convênio, serão repassados R$ 3,85 milhões para o projeto “Acolher para Proteger”, voltado ao atendimento contínuo em regime de acolhimento de 127 pessoas com problemas físicos e mentais. Os recursos são do Tesouro Estadual.

Para o padre Renaldo Amauri Lopes, diretor-presidente do Pequeno Cotolengo, essa parceria é fundamental para o funcionamento da instituição. “Os recursos serão usados para gestão hospitalar, alimentação, folha de pagamento e manutenção da nossa estrutura. Sem isso não conseguiríamos manter o atendimento e expandir nosso trabalho”, disse ele.

CIEE

Ainda foi assinado um convênio com Centro de Integração Empresa Escola (CIEE) para a criação de cursos de qualificação destinados a famílias em vulnerabilidade pessoal e social e com violação de direitos em todo o Estado. A cooperação foi assinada com o presidente do CIEE, Domingos Murta.

A previsão inicial é que os cursos sejam ofertados em 30 municípios, com turmas de aproximadamente 35 participantes. As aulas serão dadas por meio do programa Família Paranaense, da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho, que selecionará as famílias beneficiadas.

COOPERAÇÃO

O termo de cooperação técnica assinado pelo governador visa uma parceria entre as pastas da Segurança Pública e Administração Penitenciária e Justiça, Família e Trabalho para a reprodução de campanhas preventivas do Serviço de Investigação de Crianças Desaparecidas (SICRIDE). “A ideia é dar cada vez mais publicidade aos rostos de crianças desaparecidas”, disse o governador.