Paulo Vasconcellos, presidente interino do TJPR.

Numa objetiva reunião, começada às 13 horas de ontem, e terminada às 15 h., o presidente interino do Tribunal de Justiça do Paraná apresentou aos candidatos à Presidência do TJ uma espécie de agenda da eleição.

Informou oficialmente que a escolha do sucessor do desembargador Clayton Camargo será amanhã, quinta, dia 3, estando o pleito marcado para começar às 13h30 min. Não terá hora para terminar, terminando quando o último eleitor presente na sede do TJ votar.
O desembargador presidente, Paulo Roberto Vasconcellos, informou que a posse do novo presidente ocorrerá na própria quinta-feira, 3, logo que proclamado o resultado final.

A grande novidade ficou por conta da desistência do desembargador Neiva de Lima, que apresentara seu nome ao rol de candidatos no final da tarde de segunda-feira, dia 1. Não deu explicações sobre os motivos da retirada da candidatura.

Os avaliadores desse restrito colégio eleitoral de desembargadores admitem que deverão votar 100 eleitores.
O total de votantes é de 119 (pois morreu o desembargador Lopes Cortes, semana passada). Muitos dos desembargadores encontram em férias ou em licença.

Ontem à noite, na Casa do Magistrado, um dos candidatos, o desembargador Antenor Demeterco Junior, recebeu colegas para encontro de confraternização. E como sinal de que “reina paz“ entre os que querem presidir o TJ, Demeterco havia convidado para o evento todos os demais candidatos.

Newton Sampaio

“CÂNDIDO” SOB FOGO

O jornal “Cândido”, da Biblioteca Pública do Paraná, entrou no olho do furacão: amanhã a coluna vai publicar manifestações de gente valiosa da área cultura criticando o que considera exageros cometidos pelo último número do periódico. Tudo por conta de, à guisa de homenagear (merecidamente) o contista Newton Sampaio, acabar apresentando-o como o ponto de partida da vida inteligente na literatura do Paraná.

JAIME, COM CLAREZA, NA CPI

Jaime Lerner

Depois de 12 anos longe da política, Lerner continua causando frisson por onde passa. Não foi diferente na reunião de ontem, 1, na CPI do Pedágio, onde se fez acompanhar de dois antigos colaboradores e amigos: Cid Campêlo Filho e Heinz Herwig.
Até ontem, muitos achavam que Lerner não aceitaria o convite. A imprensa não se importou com isso e compareceu em peso. Esperou, inclusive, pelo encerramento de sua participação na CPI, mais de duas horas depois do início dos trabalhos, às 9h15.

JAIME, COM CLAREZA (2)
Mas, como não tem nada a esconder, foi e defendeu seu projeto de governo, o Anel de Integração. O programa estadual de concessões, disse, foi a solução encontrada por seu governo diante de um quadro de rodovias sucateadas e poder público depauperado, sem condições de fazer frente aos investimentos.
E aproveitou para acabar de vez com um velho mito: em momento algum esteve em jogo a duplicação de todo o Anel. “Só trechos essenciais”, esclareceu.

A TIETAGEM EXPLÍCITA
Além dos deputados que se declararam francamente favoráveis ao regime de concessões para gestão de rodovias – como foi o caso de Clayton Kielse, Artagão Filho e Bernardo Carli, um outro surpreendeu pelo teor da revelação. O petista Péricles de Mello declarou-se admirador do urbanista Jaime Lerner, por quem, inclusive, submeteu-se a uma exaustiva fila de autógrafos.
A CPI recebeu também o presidente da Fetranspar, Sérgio Malucelli, que se posicionou da mesma forma que a poderosa Faep sobre o tema. “O que nós queremos é estrada em boas condições de tráfego, seguras e eficientes para a economia do Estado. Se vai continuar sendo por concessão, se vão prorrogar essas concessões, isso é com o poder concedente e com essa CPI, que analisa toda essa questão”, disse o dirigente.

Adriano Massuda: Médicos da Família

SAÚDE ATENDEU MAIS
Ontem, em gabinetes da Prefeitura, auxiliares diretos do prefeito Fruet não se continham de satisfação e proclamavam em voz alta: sem ‘fazer milagres’, os serviços de saúde pública da Municipalidade atenderam 57% de clientes a mais, de janeiro a agosto deste ano, do que no em todo o ano de 2012. Foram 338 mil atendimentos em 2012; em 2013, somente até agosto, 377 mil, segundo a Prefeitura.

Para bons avaliadores, muito significativo tem sido o trabalho de Médicos da Família, serviço que, com o atual secretário, Adriano Massuda, ganhou reforço de novos médicos e auxiliares.

OS VERDES EXAMINAM RUMOS

Deputada Rosane Ferreira

Enquanto Marina Silva, ex-PV, vai penando e com enormes barreiras para viabilizar seu partido Rede Solidariedade, o Partido Verde movimenta-se em todo o Brasil, crescendo. Em Curitiba, o presidente da Câmara, Paulo Salamuni, pertence à sigla partidária; e um dos parlamentares federais paranaenses com maior visibilidade, Rosane Ferreira, vai presidindo em âmbito estadual o PV.

O partido marcou encontro para dia 5, sábado, em Curitiba, às 13 horas, na sede da Associação Paranaense do Ministério Público. Objetivo desse encontro estadual: examinar os caminhos que o PV tomará no Estado, nas eleições de 2014.

OS VERDES (2)
“Será um momento de aprendizado. Lideranças de todo Paraná estarão presentes e vão mostrar a realidade de cada local, principalmente em relação às questões ambientais e de desenvolvimento sustentável. Com essas informações, vamos começar a elaborar os principais pontos do plano de governo do PV para o próximo ano. Também vamos oficializar as novas filiações tendo em vista as eleições de 2014”, disse a presidente Rosane Ferreira.

GRANATO: 50 ANOS NO FRISCHMANN
Neste mês de outubro o Laboratório Frischmann Aisengart está em festa.

Cinquenta anos de Emílio Salvador Granato

Isso porque Emilio Salvador Granato, responsável técnico e pelo Canal do Médico do Laboratório, completa 50 anos de dedicação à instituição.
“Orgulha-nos ter como líder da nossa equipe um dos mais respeitados patologistas clínicos do Sul do Brasil, acadêmico honorário da Academia Paranaense de Medicina”, enaltece Milton Zymberg, diretor do Laboratório.
A história de Granato no Frischmann Aisengart começou em 1963, quando conheceu o casal de médicos Oscar e Fani Frischmann Aisengart, fundadores do Laboratório. Na época, ficou incumbido de cuidar da área de Hematologia. Em 1978 foi convidado para ser sócio da empresa. “Hoje sou responsável técnico pelo Laboratório e pelo Canal do Médico, comemoro mais de 50 anos de formação em Medicina, além dos 32 anos de carreira como professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR), 37 anos como médico da Reitoria da UFPR e 50 anos dedicados ao Frischmann Aisengart”, celebra.
De origem simples, quando se formou em Medicina pela Universidade Federal do Paraná, ainda não existia a prática da residência médica.

GRANATO: 50 ANOS (2)
A solução encontrada pelo jovem doutor para se especializar foi ser médico voluntário do Departamento de Clínica Médica do Hospital de Clínicas (HC) da UFPR, que tinha, recentemente entrado em atividade.
Foram quatro anos de um trabalho não remunerado, mas que rendeu ótimos frutos, segundo Granato. “Desde o início, tenho amor pelo que faço e pelas pessoas, pois o amor é a melhor coisa do mundo”, comenta.
O médico não gosta de mencionar as premiações conquistadas mas, além de ser Acadêmico Honorário da Academia Paranaense de Medicina, Emilio Salvador Granato foi condecorado com o Diploma de Mérito Ético-Profissional e Estatueta da Medicina do Conselho Regional de Medicina do Paraná (CRM-PR), “outorgada a médicos com 50 anos ininterruptos do exercício da profissão, sem sanção ético-profissional”.
Este, entre vários outros prêmios e homenagens que já recebeu..

HERANÇA DE IRMÃOS UNI E BILATERAIS
A Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) aplicou a regra do artigo 1.841 do Código Civil de 2002 para modificar acórdão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais envolvendo a participação de irmãos um bilateral (mesmo pai e mesma mãe), outros unilaterais (filhos do mesmo pai ou da mesma mãe) na partilha de bens deixados por irmão falecido.
O artigo determina que, concorrendo à herança do falecido irmãos bilaterais com irmãos unilaterais, cada um destes herdará metade do que cada um daqueles herdar.
No caso julgado, a controvérsia envolveu o correto percentual devido ao irmão bilateral e a três irmãs unilaterais na locação do apartamento deixado pelo irmão falecido, para efeito de depósito judicial de parcela relativa a aluguéis devidos ao espólio.
Segundo os autos, o falecido indicou o irmão bilateral como único herdeiro de sua parte nos bens deixados pela mãe. As irmãs ingressaram na Justiça questionando a validade do testamento. O tribunal mineiro admitiu a inclusão das irmãs unilaterais no inventário e determinou o depósito em juízo de um terço do valor do aluguel do imóvel.
As irmãs recorreram ao STJ, sustentando que a decisão violou o artigo 1.841 do Código Civil ao determinar que apenas um terço do valor do aluguel do imóvel que caberia ao herdeiro falecido fosse depositado em juízo. Alegaram que o percentual correto deveria ser elevado para no mínimo três quintos, equivalentes a 60% do valor do aluguel.

Ministro do STJ Paulo de Tarso Sanseverino

HERANÇA DE IRMÃOS (2)
Citando doutrinas e precedentes, o relator do recurso especial, ministro Paulo de Tarso Sanseverino, concluiu que, de acordo com a fórmula de cálculo extraída do artigo 1.841 do Código Civil, cabe ao irmão bilateral o dobro do devido aos irmãos unilaterais na divisão da herança, atribuindo-se peso dois para cada irmão bilateral e peso um para cada irmão unilateral.
No caso dos autos, existindo um irmão bilateral e três irmãs unilaterais, a herança divide-se em cinco partes, sendo dois quintos para o irmão germano e um quinto para cada irmã unilateral, totalizando para elas 60% (ou três quintos) do patrimônio deixado pelo irmão unilateral falecido, concluiu o relator.

HERANÇA DE IRMÃOS (3)
Segundo o ministro, não há dúvida de que o irmão bilateral, como herdeiro legítimo de seu irmão falecido, tem direito a uma parte da herança e pode levantar os aluguéis correspondentes a essa parcela.
Assim, por unanimidade, a Turma decidiu que, enquanto persistir a polêmica em torno da validade do testamento deixado pelo irmão falecido em favor do irmão bilateral, as irmãs têm direito a 60% do montante dos aluguéis auferidos com a locação do imóvel, ficando o irmão bilateral com 40%.

CONCURSO DO ITAÚ É DIFERENTE E P’RA VALER

Neste dia 2, quarta, às 17 horas, no MON, uma equipe da programação cultural do Banco Itaú estará ema Curitiba para detalhar e debater o novo formato do projeto “Rumos”, como está acontecendo em várias cidades brasileiras. O programa “Rumos Itaú Cultural” se realiza há 16 anos.
Nesse período, possibilitou ações artísticas e culturais que atingiram um público de mais de 5,1 milhões de pessoas, selecionou 1.130 artistas, pesquisadores e produtores, construiu relações culturais e afetivas e gerou outros programas, se reinventando a cada edição.

MUDANÇAS
Em 2013, o “Rumos Itaú Cultural” apresenta mudanças profundas e estruturais em seu conceito, fruto do diálogo entre artistas, produtores, pesquisadores, cientistas e gestores da instituição. O resultado é uma estrutura adaptável que, independente da área de expressão ou do campo de reflexão, encara deslocamentos e desafios em seu processo e não apenas atende uma ação tradicional de constituição permanente e estável. Memória e transformação juntos em busca de melhoras.
“Rumos Itaú Cultural” abrirá inscrições para projetos em todas as áreas e em vários formatos. No caso da literatura, projetos de obras, tradução, pesquisa, residência de escrita, publicação etc..

FILOSOFIA
Os organizadores do certame afirmam que “nosso papel é propiciar ambientes para criação, experimentação, encontros, desencontros, leituras, releituras, assumindo os riscos e a incerteza como princípios da dinâmica do processo. É nossa obrigação criar diálogos e fomentar produções culturais de todos os tipos, individuais e/ou coletivas, de uma ou mais áreas de expressão artística e do pensamento. Porque o artista, o agente, o coletivo ou o pensador sabe qual a melhor forma para seu trabalho e para se relacionar com os interlocutores, os critérios são móveis, livres, nunca reduzidos em suas complexidades. E porque um programa de fomento e apoio a artistas e pesquisadores deve ter o olhar voltado para o público e sua formação cultural”.
No lugar de regulamento, o programa está estruturado em forma de perguntas e respostas.
Conferir em: – www.rumositaucultural.org.br.

__________________________________________________________________________

O volume 5 da coleção Vozes do Paraná, um apanhado de nomes paranaenses que estão fazendo o dia a dia do Paraná de hoje, pode ser adquirido na livraria do CHAIN, no site RoseaNigra.com.br ou com o autor: (41) 3243-2530 e (41) 8809-4144 (Hélio).Os paranaenses que têm vida e obra registrados nesse livro-documento de autoria do jornalista Aroldo Murá G. Haygert que é Vozes do Paraná 5 são: Adélia Maria Woellner, Antenor Demeterco Jr., Carlos da Costa Coelho, Carlos Harmath, Carlos Jung, Carlos Marassi, Cassiana Lacerda, Creso Moraes, Domingos Pellegrini Jr., Edson José Ramon, Eduardo Rocha Virmond, João Casillo, João José Bigarella, Pe. Joaquin Parron, Newton Freire-Maia, Oriovisto Guimarães, Oscar Alves, Raul Anselmi Jr., Sabine Wahrhaftig, Segismundo Morgenstern, Sergio S. Reis e Sonia Lyra.
Há atualizações biográficas de personagens de livros Vozes do Paraná anteriores: Airton Cordeiro, Fábio Campana, Fernanda Richa, Gustavo Fruet, Luiz Carlos Martins e Wilson Picler.

__________________________________________________________________________

Esta coluna é publicada diariamente no jornal Indústria&Comércio.

Para acessar a coluna diretamente, basta acessar

http://www.icnews.com.br/editoria/colunistas/aroldo-mura

__________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________