Muita coisa vai acontecer daqui a outubro de 2020, mas se a eleição para prefeito de Curitiba fosse hoje, haveria segundo turno. É o que dizem as pesquisas de opinião. As mesmas pesquisas mostram o prefeito Rafael Greca sempre em primeiro lugar. A controvérsia é seobre quem disputaria com ele o segundo turno.

O deputado federal e secretário da Justiça, Ney Leprevost? Pode ser, diz uma pesquisa do instituto IRG. Será o deputado Fernando Francischini? É o que diz outra. E há até pesquisa que mostra Gustavo Fruet, do PDT, em condições de disputa.

O IRG explica que foram pesquisados quatro cenários na estimulada. E os quatro apontam para segundo turno. No primeiro cenário, Greca está absoluto. Iria com ele para a segunda rodada o Ney Leprevost. Entraram nessa Gustavo Fruet, Delegado Francischini, Luciano Ducci, Christiane Yared, João Arruda, Tadeu Veneri, Luizão Goulart, Maria Victoria e Eduardo Pimentel. Greca e Ney passariam ao segundo turno com 22% e 14,8% dos votos, respectivamente.

Bovo na CPI da JMK

Sob a presidência do deputado estadual Soldado Fruet (PROS), a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da JMK da Assembleia Legislativa do Paraná realiza sua 23ª reunião amanhã, terça-feira (12), às 9 horas. Serão ouvidos o ex-secretário estadual da Fazenda, José Luiz Bovo, e a ex-diretora geral da Secretaria Estadual da Administração e Previdência (SEAP), Samira Célia Neme Tomita. “Estamos na reta final das oitivas e o objetivo é sanar algumas dúvidas e divergências que surgiram em depoimentos anteriores”, explica o presidente da CPI.

Esclarecimentos

Bovo foi convocado para prestar esclarecimentos quanto às datas e ao processo de solicitação da dotação orçamentária para o reajuste financeiro de R$ 18 milhões, concedido à JMK no final de dezembro de 2018. Por sua vez, Samira foi diretora-geral da SEAP, em novembro de 2014, como secretária em exercício, solicitou ao, então, governador Beto Richa a autorização do procedimento licitatório para contratar a empresa gerenciadora da frota oficial.

O lixo do Fruet

O Tribunal de Contas do Paraná julgou irregulares as contas de 2016 do Consórcio Intermunicipal para Gestão de Resíduos Sólidos Urbanos de Curitiba (Conresol), sob responsabilidade do então presidente, Gustavo Fruet, prefeito de Curitiba na gestão 2013-2016. O motivo foi o déficit orçamentário nas fontes financeiras não vinculadas, no valor de R$ 31.241.563,58. O ex-gestor recorreu da decisão. Além da irregularidade, foram constados atrasos, que variaram de 15 a 79 dias, em oito ocasiões ao longo de 2016, na entrega de dados ao Sistema de Informações Municipais – Acompanhamento Mensal (SIM-AM) do TCE-PR. Essa falha acabou convertida em ressalva.

Salve Lerner!

De Curitiba para o mundo! É assim que o prefeito Rafael Greca (DEM) se posicionou sobre os ao saber que o pioneiro sistema de ônibus expressos de Curitiba está entre os 50 projetos mais influentes do mundo nos últimos 50 anos, de acordo com um ranking elaborado pelo Project Management Institute PMI – Instituto de Gerenciamento de Projetos.

Comemorações

A notícia foi comemorada no Instituo Jaime Lerner, que implantou o sistema. A lista de projetos notáveis não é de somenos, entre eles figuram a Rede Mundial de Computadores, o Projeto Genoma Humano, a conquista do espaço pela Apollo 11 e o avião Boeing 747, entre outros, o expresso curitibano, que deu origem ao sistema BRT (Bus Rapid Transit), é destacado “por desencadear uma revolução no transporte em cidades ao redor do mundo”.

Repúdio a Oriovisto

Em Cascavel, durante as comemorações dos 50 anos da Associação dos Municípios do Oeste do Paraná (Amop), o presidente da entidade, Junior Weiller (MDB), prefeito de Jesuítas, foi duro e ofensivo com o senador Oriovisto Guimarães, que nem desembarcou do carro. Escafedeu-se. Weiller entregou a Oriovisto nota da entidade em que repudia a proposta do governo federal que prevê a extinção das cidades com menos cinco mil habitantes e com menos de 10% de receitas próprias.

Semelhante

Oriovisto Guimarães tem projeto de lei semelhante apresentado no Senado Federal. Pela proposta da equipe econômica, serão extintos 1.254 municípios brasileiros, dos quais 64 são do Paraná. Na região Oeste, seis cidades podem perder autonomia político-administrativa e virar distritos: Anahy, Diamante do Sul, Iguatu, Ramilândia, Santa Lúcia, São José das Palmeiras e Serranópolis do Iguaçu.

Quem recebe mais?

Não, não é a Globo. A Record e o SBT levaram muito mais. Com apenas 15% do público da TV aberta, a Record recebeu mais que a Globo, líder de audiência no país. Hoje, é a empresa com maior mídia contratada pelo governo de Jair Bolsonaro (PSL) em 2019. Recebeu R$ 7,9 milhões, o equivalente 35% da verba para publicidade televisiva empenhada pela Secretaria de Comunicação da Presidência da República (Secom) entre janeiro e outubro deste ano, de acordo com análise do Vortex Media.

Sem critério

A Globo tem 36% da audiência e ficou com R$ 4,1 milhões, equivalente a 18% dos recursos da Secom . A Globo também recebeu menos do que o SBT, que ficou com R$ 6,2 milhões, ou 27% dos recursos de 2019 e tem 14,9% da audiência, segundo medição do Kantar Ibope Media compilada pelo relatório anual “Mídia Dados 2019”.

Ativo e operante

Alberto Youssef cumpriu pena de três anos por corrupção e lavagem de dinheiro. Mas graças ao acordo de delação premiada aceito pelo juiz Sergio Moro, ele voltou ao mercado financeiro na bolsa brasileira B3.As operações envolvendo dólares no mercado paralelo, que lhe renderam fortuna e o levaram a prisão, estão proibidas. Todas as operações “lícitas” estão liberadas para ele atuar.

Depois da quebradeira

Youssef, que começou a trabalhar com câmbio após a quebradeira no Plano Collor (1990), é pioneiro em acordos de delação premiada no Brasil. Foi preso em 2003 e teve sua pena atenuada graças ao novo instituto. Nas duas ocasiões em que colaborou com a Justiça em troca de ter a pena por seus crimes atenuada, ele contou com a aprovação do então juiz e atual ministro da Justiça, Sérgio Moro.

Bakri libera

O deputado Hussein Bakri (PSD) assinou, nesta segunda-feira (11), a liberação de recursos a 34 municípios de todas as regiões do estado por meio do Paraná Mais Cidades. O programa conta com um total de R$ 351 milhões, oriundos de economias feitas ao longo do ano pelo Governo do Estado e pela Assembleia Legislativa.

Bolsonaro confirma saída

O presidente Jair Bolsonaro confirmou a O Antagonista que sua decisão de sair do PSL está tomada. Ele ainda não definiu uma data, mas a desfiliação deve ocorrer em dezembro. Como não encontrou nenhuma outra legenda com as características que buscava, Bolsonaro vai fundar um novo partido, que pode se chamar “Aliança”. O grupo responsável por coletar assinaturas usará um aplicativo para acelerar o processo.

Mais um bode na sala?

Diz o ditado popular que não há nada de ruim que não possa piorar. E é exatamente isso que está acontecendo no governo federal ao tentar aprontar mais uma com uma parcela significativa de brasileiros, principalmente aos que moram nos rincões do país. Depois das reformas trabalhista e da reforma da previdência que retiram os direitos dos trabalhadores e penalizam as pessoas mais pobres, agora a equipe econômica do governo, guiada pelo ministro Paulo Guedes (Economia), propõe a pura e simples extinção das cidades com menos de 5 mil habitantes e que não tenham arrecadação própria superior a 10% de suas receitas.

O que faltou na reforma

Diz Renato Follador: Tardou muito, mas a reforma da Previdência passou. Por enquanto, vale apenas para trabalhadores do setor privado e servidores da União. A aposentadoria só por tempo de contribuição acabou; agora há a aposentadoria por idade e tempo de contribuição: idade mínima de 65 anos para homens e 62 para mulheres, e tempo mínimo de contribuição de 15 anos para homens e mulheres que já recolhem para o INSS. Para os homens que entrarem no mercado de trabalho a partir de agora, mínimo de 20 anos. No caso dos servidores federais, tempo mínimo de 25 anos. Para quem já trabalha, haverá sete regras de transição (cinco para o setor privado, duas para o público), e infelizmente os trabalhadores terão de consultar especialistas para saber a mais vantajosa.

 

Motivação de Moro

Mesmo não sendo “terrivelmente evangélico”, o ministro Sergio Moro continua com um objetivo na cabeça: ser indicado para a próxima vaga do Supremo, que se abrirá dentro de um ano com a aposentadoria de Celso de Mello. Por isso, ainda precisará de muito estômago para aguentar o que Jair Bolsonaro lhe tem imposto. As informações são de Lauro Jardim n’O Globo.

Frases

“Nosso BRT é um projeto de Curitiba para o mundo.”

Rafael Greca