O caminhoneiro Dedéco, que é do Paraná, é um homem simples, direto, que gosta de conversa clara. Foi dessa forma que ele deu um ultimato ao poderoso chefe da Casa Civil de Jair Bolsonaro: “se subir o óleo diesel, ministro, nós vamos parar e ponto final”. Dedéco, Wanderley Alves, é líder dos caminhoneiros e não quis ser agressivo ou mal-educado. Apenas honesto.

Aqui, no Paraná, o governador Ratinho Jr enfrenta situação idêntica no trato com os professores da rede de ensino estadual. A líder do movimento, dirigente da APP-Sindicato, porta voz dos mestres em luta, Marley Fernandes, já avisou. Não aceita mais um não. Os professores e todo o funcionalismo público querem aumento de, no mínimo, 4,5%. Ou vão à greve, com todas as suas consequências, inclusive manifestações no Centro Cívico, daquelas que viram batalha campal.

Caminhoneiros de um lado, Petrobras e o mercado do outro, com quem ficará o governo?  Professores, policiais, funcionários da saúde e todos os demais a pressionar Ratinho Jr, o que o governo do Paraná vai fazer para evitar mais uma batalha do Centro Cívico no dia 29 de abril?

Ninguém sabe onde vai parar esta temporada dos ultimatos.

Se a moda pega…

Alan García, ex-presidente do Peru, cometeu suicídio nesta quarta-feira, 17, com um tiro na cabeça quando policiais chegaram em sua residência, na capital do país, para prendê-lo por conexões com uma investigação sobre suborno no caso relacionado à construtora brasileira Odebrecht. García chegou a ser levado a um hospital, onde sofreu três paradas cardíacas e passou por cirurgia, mas morreu após três horas no centro cirúrgico, segundo fontes médicas.

Na Justiça Eleitoral

Pois, pois, se respeitada a decisão do STF, de que os crimes comuns conexos ao de caixa 2 devem ser julgados no âmbito eleitoral, o processo do empresário Jorge Atherino deve sair da Justiça Criminal de primeira instância e passar para a Justiça Eleitoral. Afinal, Atherino cometeu ilícitos apenas relacionados ao caixa dois de campanhas eleitorais. Foi o pedido feito pela defesa do empresário ao juiz da 23.ª Vara Criminal de Curitiba.

MPF contra

Mas o Ministério Público não concorda. Um parecer assinado pelo chefe da força-tarefa da Lava Jato, Deltan Dallagnol, argumenta que Atherino não deve ser atendido. Diz que o processo esteve sob a tutela da Justiça Eleitoral, mas esta decidiu que não lhe cabia julgá-lo.O juiz ainda vai apreciar os dois lados para decidir – se atenderá o pedido de Atherino ou se concordará com o parecer do Ministério Público Federal.

Carbonell fora

Como este blog adiantou em primeira mão, no dia 10 de abril, o general Luiz Felipe Carbonell entrega o quepe a Ratinho Jr, que há uma semana quebra a cabeça para encontrar o substituto ideal para o cargo. Não há nome definido, mas muita especulação na área e muitos lobbies para emplacar um dos mais de vinte candidatos. Carbonell vai para Itaipu, zona de conforto, onde já foi chefe da Assessoria de Informações.

Rossoni na chincha

O ex-deputado federal e ex-deputado estadual Valdir Rossoni (PSDB) virou réu neste mês em uma ação civil pública ligada à Operação Quadro Negro. A decisão, do último dia 9, é assinada pelo juiz Luís Mauro Lindenmeyer Eche, da 1ª Vara da Fazenda Pública de União da Vitória. O tucano, de acordo com o Ministério Público do Estado do Paraná (MP-PR), teria se beneficiado de dinheiro destinado a obras de escolas em Bituruna, seu reduto eleitoral. Ele nega. Rossoni responderá por improbidade administrativa junto com outras cinco pessoas, incluindo seu filho Rodrigo Rossoni, ex-prefeito de Bituruna

Tucanos se esforçam

Ainda sujeito a raios, chuvas e trovoadas, o PSDB de Curitiba elegeu nesta segunda-feira a nova Executiva Municipal, que será presidida por Edson Lau Filho. Durante a convenção, realizada na sede do partido, foi destacada a importância de ampliar o trabalho nas zonais e estimular a participação dos filiados para a construção de candidaturas para 2020.

Greca e Margarita em Roma

Bons católicos, apostólicos, romanos, Margarita e Rafael Greca vão a Roma para pequenas férias pascais. Serão 11 dias de oração, reafirmação da fé e, óbvio, descanso das obrigações fatigantes da vida de prefeito de Curitiba. O prefeito vai em caráter pessoal, sem ônus nenhum para a Prefeitura.

Pimentel assume

Assume o vice, Eduardo Pimentel. Leal e competente. “Tenho certeza que nossa cidade estará em boas mãos. O Eduardo é um excelente gestor público e tem a confiança minha e de Margarita para dar andamento aos projetos da nossa administração”, afirmou Greca.

STF decreta censura

Uma coisa é a instauração de um inquérito criminal para investigar ameaças veiculadas na internet envolvendo ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Outra coisa bem diferente é um ministro do STF determinar, no âmbito desse inquérito, o que pode e o que não pode ser publicado por um veículo de comunicação a respeito do presidente do Supremo, ministro Dias Toffoli. Isto é censura e, no Brasil, a Constituição de 1988 veda explicitamente a censura.

É censura mesmo

Não há outras palavras para descrever a decisão do ministro Alexandre de Moraes. Ao determinar “que o site O Antagonista e a revista Crusoé retirem, imediatamente, dos respectivos ambientes virtuais a matéria intitulada ‘O amigo do amigo de meu pai’ e todas as postagens subsequentes que tratem sobre o assunto, sob pena de multa diária de R$ 100.000”, o relator do inquérito ordenou a censura de dois veículos de comunicação. O assunto tem especial gravidade tendo em vista que a missão do STF é precisamente proteger a Carta Magna.

“Oportunamente”

Diante da pressão de seus pares, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), prometeu levar a plenário “oportunamente” a discussão sobre criar ou não uma comissão parlamentar de inquérito para investigar integrantes de Cortes Superiores, a chamada CPI da Lava Toga.

Decisão do presidente

Um recurso sobre a matéria havia sido arquivado pelo Senado na segunda-feira (15), mas Davi recuou nesta terça-feira (16). “É verdade o que está aqui? É decisão do senhor, presidente? O senhor acaba de arquivar a CPI da Toga, sem ouvir o plenário, sem deixar que este plenário decida, sabendo que, no plenário, a CPI será derrotada? Aí o senhor, sozinho, decidiu isso, presidente?”, indagou o líder do PSB no Senado, Jorge Kajuru (GO).

Recorde paranaense

O ano de 2018 foi recorde de produção de carne bovina no Paraná. De acordo com o IBGE, o Estado produziu quase 350 mil toneladas da proteína vermelha, incremento de 12% frente ao ano anterior, em volume e no número de abates, que totalizou 1.441.473 cabeças. A quantidade de carne produzida representa quase 11 mil toneladas a mais que o recorde anterior, de 2010, que apresentou 338,5 mil toneladas.

Previdência adiada

O presidente da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara dos Deputados, Felipe Francischini, encerrou a sessão de ontem pouco depois das 23h30, sem que o relatório de admissibilidade da reforma da Previdência fosse votado. Os trabalhos serão retomados nesta quarta-feira, em sessão convocada para as 10h, e a expectativa de Francischini é que o parecer sobre a proposta seja finalmente votado.

Francischini bloqueado

A Justiça do Paraná determinou o bloqueio de bens do deputado federal Felipe Francischini (PSL), presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, por suspeita de gastos irregulares com alimentação com verba da Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP). O bloqueio no valor de até R$ 103,2 mil foi decretado pela juíza Bruna Greggio, da 2ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba, na sexta-feira (12). O processo, que estava em sigilo, foi tornado público nesta terça-feira (16).

 

Maior repercussão

Dias Toffoli, presidente do Supremo, se irritou com matéria da revista digital Crusoé, que dizia que o ministro era tratado em e-mails da Odebrecht pelo apelido de “amigo do amigo do meu pai”. O ministro Alexandre de Moraes entrou no circuito e determinou que a matéria fosse retirada do ar (também do site O Antagonista) e mandou a PF tomar depoimento dos jornalistas. Jurista e entidades do Direito e do Jornalismo classificaram a ação como “censura”, abrindo grave precedente. E pior do que tudo: a matéria de Crusoé tivera repercussão limitada. Depois da censura, foi parar nos telejornais e primeira página dos jornais impressos, além dos portais de notícias.

 

Barrado no baile

A Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos está encontrando outro lugar fazer sua festa de “Personalidade do Ano”, dia 14 de maio, depois que o Museu Americano de História Natural barrou o evento porque o homenageado era o presidente Jair Bolsonaro. A decisão foi tomada depois de uma série de protestos de integrantes da instituição cientifica que consideraram o Chefe do Governo brasileiro “inimigo” da preservação ambiental e “fascista”. Todos os ingressos já estavam vendidos, alguns por até US$ 30 mil. Grandes empresários participam para ter oportunidade de se aproximar do homenageado – e a Câmara fatura muito.

 

Outro evento

Em Nova York, Bolsonaro deverá participar de outro evento, aproveitando a viagem, para conversar com empresários e investidores. Será organizado pela Lide, associação empresarial fundada pelo governador de São Paulo, João Doria (ele está afastado) e agora tocada por familiares. A dúvida é se será um almoço, também com convites pagos.

 

Sem dinheiro

O novo presidente da Associação Comercial de São Paulo, Alfredo Cotait Neto, está estudando a extinção dos conselhos da entidade e suas formas de atuação. Uma das mais tradicionais instituições de São Paulo (é ela que mantém o Impostrometro, criado na gestão de Guilherme Afif Domingos), a associação atravessa difícil situação financeira. Já fez cortes no pessoal e tem andares inteiros desocupados no prédio que ocupa, há anos, no centro da cidade.

 

Reação

Enquanto senadores entravam com recursos no Supremo, para invalidar censura à revista digital Crusoé, o vice-presidente Hamilton Mourão reagia: “Não tenho dúvida de que é censura, mas vai além da censura. No momento em que a decisão, além de interditar a publicação, convoca jornalistas a depor, significa que já estão respondendo a inquérito”.

 

Bruxa em alta

Depois que a bruxa Circe, personagem da Odisseia, que transformava em porcos marinheiros de Ulisses, foi transformada em inimiga da Mulher-Maravilha pela DC Comics, a feiticeira do poema épico de Homero está em alta. Circe, livro de Madeline Miller, alcançou o topo da lista dos mais vendidos do The New York Times e outras bruxas invadiram livrarias, cinemas, canais de TV e serviços de Streaming. Circe é a primeira bruxa a assombrar a literatura (apareceu no século VIII A.C) e possuía uma varinha de condão para transformar homens em suínos. E era sedutora, bonita e sem verruga no nariz.

 

Ainda o diesel

O governo já atendera os caminhoneiros em março, impondo reajustes quinzenais à Petrobras. Desta vez, eles rejeitaram o aumento de 5,74% no diesel, ameaçaram nova greve e o presidente revogou a mudança que se traduziu em perdas de US$ 8 bilhões para a estatal num só dia. Para se ter melhor ideia, a dinheirama perdida é mais que o dobro do que Michel Temer gastou no ano passado com subsídios às empresas e profissionais caminhoneiros. Detalhe: Onyx Lorenzoni teve participação na decisão do presidente, o que deixou Paulo Guedes mais do que irritado.

 

“Muito perigoso”

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, que acompanha o veto do Museu da História Natural para abrigar a festa em homenagem a Jair Bolsonaro, foi radical numa rápida entrevista ao The New York Times: “Esse cara é um ser humano muito perigoso”.

 

Novas derrapadas

O presidente Jair Bolsonaro parece ter uma incontrolável tendência de anunciar ações das mais controvertidas. Agora, quer mudar a lei que corrige o salário mínimo, hoje com percentual medido pelo INPC mais variação do PIB e, por outro lado, quer admitir mil novos policiais federais, aprovados em concurso público, numa fase que Paulo Guedes está fechando todas as torneiras para conter despesas.

 

Mídias digitais

O Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar levantou perfis de deputados e senadores nas redes e a Força Sindical prepara um “tuitaço da Previdência”. A ideia é utilizar as mídias digitais para viralizar críticas e propostas para a PEC da Previdência, constrangendo publicamente os parlamentares. Mais: na cola da chegada de Sérgio Moro no Twitter (620 mil seguidores em uma semana), bolsonaristas fazem campanha nas redes sociais para que Paulo Guedes também crie seu perfil. Ele não é chegado nessa área.

 

Primeira emenda

Bolsonaro estuda enviar ao Congresso proposta de emenda à Constituição ampliando a proteção à liberdade de expressão, com foco na internet e na imprensa. Seria uma adaptação da Primeira Emenda da constituição americana, que impede o Congresso de lá de aprovar leis limitando liberdade de expressão e de imprensa.

 

Rumo à extinção

Um pacote de 20 Medidas Provisórias assinadas por Michel Temer no final do governo pode caducar por falta de aprovação no Congresso. No meio está a MP que prevê a venda de 100% das companhias aéreas para o capital estrangeiro. A decisão expirará na primeira semana de maio caso não seja votada até lá.

 

Mais ganhos

A bilionária indústria dos cartórios no Brasil conseguiu autorização para emitir identidade e passaporte, numa tentativa de impedir a expansão dos serviços de emissão de documentos do tipo Poupatempo, em São Paulo. O objetivo é aumentar o faturamento hoje estimado em R$ 15 bilhões anuais. Será possível obter ou renovar passaportes em cartório de registro civil mediante taxa extra.

 

Olho na bola

A plataforma de streaming My Cujoo prepara nova ação no Brasil. Depois de um período de test drive, com transmissão dos campeonatos estaduais da segunda divisão, a empresa de origem suíça vai entrar na disputa pelos direitos da Copa do Nordeste. E terá como grande adversário a britânica DAZN.

 

Contra a censura

Mais cedo ou mais tarde, o caso da censura à revista Crusoé e ao site O Antagonista, chegará ao plenário. A maioria dos juristas acha que são reais as chances de revogação da ordem que retirou do ar matéria sobre Dias Toffoli. Poderão ser contabilizados votos de dois potenciais aliados: Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski. Na outra ponta, deverão estar Edson Fachin, Luis Roberto Barroso, Luiz Fux, Cármen Lúcia, Rosa Weber, Marco Aurélio Mello e Celso de Mello. Dá 7 a 4.

 

Maior proteção

O Irã acaba de oferecer ao ditador Nicolás Maduro, da Venezuela, o envio de soldados da Guarda Revolucionária para protegê-lo. Detalhe: há uma semana, os Estados Unidos, incluíram a guarda iraniana em sua lista de organizações terroristas.

 

Possível fusão

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles está estudando a fusão do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama), após a demissão do presidente do ICMBio, Adalberto Eberhard. A ideia já havia sido cogitada em dezembro quando o governo ainda estava em transição, mas descartada por causa das criticas dos ambientalistas.

 

Interesse

A CPI Lava Toga foi não foi aprovada no Senado. Mas existe um motivo atrás de tudo isso. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) tem dois processos no STF. As duas ações por caixa dois haviam sido arquivadas pelo TRE de seu estado, mas a MPE conseguiu encaminhá-las ao Supremo.

 

Devolvendo

O juiz Marcelo Bretas atendeu, em parte, o pedido da ex-primeira-dama Marcela Temer que teve alguns itens confiscados durante a ação em sua casa que manteve o ex-presidente Michel Temer 4 dias preso. E mandou devolver um celular, um talão de cheque e um contrato de locação. Por outro, lado, ainda está apreendido um Ipad, que para a polícia federal não parece pertencer a Marcela.

 

No muro

O governador de São Paulo João Doria, também resolveu dar sua opinião no episódio de do STF contra a revista Crusoé e o site O Antagonista. “O Brasil precisa de paz, precisa de equilíbrio, de serenidade, não pode haver confrontos entre Judiciário, Legislativo e Executivo. Isso não contribuiu ao Brasil, isso não vai ajudar a construir nem a democracia nem a aprovação da reforma da Previdência, nem dar ao País a calma e a tranquilidade dentro do exercício democrático para o avanço da economia e o respeito às instituições”.

 

Sono complicado

O presidente Jair Bolsonaro tem um sono complicado: vai deitar, dorme umas quatro horas, acorda, vai até a geladeira ou celular e volta para dormir – e não dorme. Acaba acordando e pela manhã, seu humor não é dos melhores. No final da tarde, dá um cochilo de meia hora no Planalto. Quando não consegue, acaba pescando em reuniões ou até mesmo em eventos.

 

Força em Recife

A espanhola Aena, que desembolsou R$ 1,9 bilhão por seis concessões aeroportuárias no Nordeste no leilão de março, quer acelerar os investimentos no terminal de Recife. A meta é concluir a expansão do aeroporto antes dos cinco anos previstos no edital. O aeroporto de Recife é muito importante para voos entre Portugal e o Nordeste.

 

Patrulha

Quem diria: depois de ouvir alguns hóspedes reclamarem que era um absurdo expor obras que retratam a escravidão, o Copacabana Palace resolveu recolher todos os quadros do pintor francês Jean-Baptiste Debret pendurados em suas paredes. A medida é extrema, mistura arte com períodos longínquos e históricos do passado, mas o Copa não foi o primeiro a adotá-la. Galerias, embaixadas, bancos e residências oficiais também vem retirando de suas paredes obras similares.

 

Má comunicação

Os novos anúncios da prefeitura de São Paulo (no comando, Bruno Covas), descrevendo suas iniciativas em pequenos retângulos dos muitos espalhados em página dupla de revista, foi considerado por veteranos profissionais de comunicação dessa área “o pior” já realizado. Ninguém lê as medidas ou, se consegue ler, espia duas ou três.

 

Despreparado

Analistas políticos estão cada vez mais abismados com o governo Bolsonaro. Na opinião de muitos ele é o presidente mais despreparado que já assumiu o poder, assim como grande parte de seus ministros, com raras exceções. Nem Lula, que só tinha o ensaio primário, estava tão despreparado assim.

 

Justificativa

O Ministério da Relações Exteriores teve que se explicar depois das diversas criticas passaporte diplomático dado a Edir Macedo, líder da Igreja Universal do Reino de Deus e sua esposa. “Este Ministério entende que, por ser líder da Igreja Universal do Reino de Deus, que beneficia, entre outras, comunidades brasileiras em dezenas de países, o requerente exerce atividade continuada de relevante interesse para o Brasil, que exige numerosas viagens ao exterior e justifica a emissão de passaportes diplomático em seu nome”.

Frases

 “Se subir o óleo diesel, ministro, nós vamos parar e ponto final.”

Dedéco, Wanderley Alves, líder dos caminhoneiros ao chefe da Casa Civil de Bolsonaro, Onyx Lorenzoni.

    “Sergio Moro finge não saber o que é milícia porque perdeu sua independência e hoje trabalha para a família Bolsonaro.”

José Padilha, cineasta.