Quarteto brasileiro trabalha pelo título mundial no boxe nesta temporada

905

O boxe brasileiro tem a possibilidade de retornar aos grandes eventos internacionais em 2019. Esquiva Falcão, Yamaguchi Falcão, Patrick Teixeira e Robson Conceição são nomes cogitados para enfrentar os melhores representantes do mundo em suas categorias nos próximos meses.

Esquiva Falcão, ranqueado nas principais organizações do boxe, deve lutar em 20 de abril nos Estados Unidos. Em caso de vitória, poderá enfrentar no segundo semestre o norte-americano Rob Brant, campeão dos médios da Associação Mundial de Boxe. “A ideia é essa e estamos negociando para isso”, afirmou Sergio Batarelli, conselheiro do boxeador. “Eu estou pronto para buscar o título”, disse Esquiva.

Medalha de prata em Londres/2012, Esquiva ficou muito perto de uma chance pelo título. Ele era o principal nome para enfrentar Ryota Murata, que o venceu na final olímpica, mas o japonês perdeu para Brant em outubro e o duelo foi adiado.

Patrick Teixeira viaja este mês para os Estados Unidos, onde inicia treinamento para a sua luta de março, ainda sem adversário definido. A intenção é que ele faça esse combate, permaneça no exterior e dispute o título mundial até julho. “Temos reunião nos próximos dias com a Golden Boy”, afirmou Patrick Nascimento, empresário do lutador.

Já Robson Conceição, campeão olímpico no Rio/2016, luta no próximo dia 18, em Verona, estado de Nova York, nos Estados Unidos, e tem como meta desafiar um campeão dos penas, uma categoria abaixo na qual se apresenta atualmente. “Este vai ser meu ano”, afirmou o baiano. Batarelli, que também orienta Conceição, revelou que o boxeador deve fazer cinco lutas em 2019. “Vai depender dele. Se fizer três lutas muito boas, poderá disputar o título ainda este ano”.

Futuro papai, Yamaguchi Falcão também busca uma oportunidade de disputar o título. Sexto colocado no ranking do Conselho Mundial entre os médios, o medalha de bronze em Londres/2012 esteve próximo de enfrentar o norte-americano Demetrius Andrade, atual campeão mundial, mas as negociações não foram fechadas.

“Sabiam que Esquiva e Yamaguchi iriam ganhar medalha na Olimpíada e agora sei que eles vão ganhar o título mundial. Chegou a hora. Eles já estão na idade de serem campeões. Podem colocar qualquer um na frente deles”, disse Touro Moreno, pai dos pugilistas.

FEMININO – Mas a luta de maior impacto para o boxe do País pode ser entre Rose Volante e Katie Taylor. A brasileira é a atual campeã dos pesos leves da Organização Mundial de Boxe e tem contatos para encarar a irlandesa dona dos cinturões da Associação Mundial e Federação Internacional de Boxe. “Quero todos os títulos em 2019”, disse Taylor, pentacampeã amadora e medalha de ouro nos Jogos de Londres/2012. “A luta vai sair e nós estamos preparados”, disse Felipe Moledas, técnico de Rose. “Eu também quero essa luta”, afirmou a pugilista, que mora em Santos e ostenta o título desde dezembro de 2017.

Um duelo entre Rose e Taylor pode ser realizado em grandes centros do boxe como Nova York, Londres ou Las Vegas, pois a pugilista europeia possui contrato com Eddie Hearn, um dos homens mais poderosos da nobre arte atual, que cuida da carreira, por exemplo, do peso pesado Anthony Joshua.