O termo compliance, que tem origem no verbo inglês to comply e significa estar em conformidade com leis e regulamentos internos e externos, ganha cada vez mais espaço nas empresas, especialmente as que têm relação com a administração pública. A companhia que tem profissionais especializados em compliance está em vantagem competitiva, à medida em que a atividade reduz o grau de exposição e responsabilização em relação a potenciais comportamentos irregulares ou ilegais dos colaboradores.
Para contribuir com aumento de eficiência e ganho de competitividade e produtividade, a Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) e o Sistema Ocepar (Organização de Cooperativas do Paraná), por meio do Sescoop/PR, acabam de lançar o Programa de Compliance do Cooperativismo Paranaense. O propósito é qualificar as cooperativas para atender a todos os requisitos que implicam estar em compliance.
“Compliance não é uma moda, assim como outras que tivemos no passado e que, com o tempo, desapareceram. É uma forma de atuar e é o mercado que está solicitando isso”, afirmou o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, ao abrir o seminário de lançamento do Programa de Compliance do Cooperativismo Paranaense.
Cultura
Para o decano da Escola de Negócios da PUCPR, Bruno Henrique Rocha Fernandes, outro ponto importante da ação é o desenvolvimento da cultura do compliance.
“O que queremos trabalhar nessa parceria com a Ocepar e Sescoop/PR é justamente como mapear e desenvolver processos efetivos mas, ao mesmo tempo, desenvolver a cultura de compliance em cada uma das cooperativas que aderirem ao programa”, diz.
“É um programa que envolve uma parte de capacitação, com conceitos fundamentais, mas irá, principalmente, formar grupos em cada uma das cooperativas para que possamos construir coletivamente boas práticas de compliance. Construir, transmitir e ajudar na institucionalização dessas práticas”, completa.
Com início do atendimento as cooperativas previsto para junho, a PUCPR pretende oferecer soluções customizadas, de acordo com a realidade de cada cooperativa participante, sempre trabalhando em uma ação articulada, com a união de competências complementares entre Sistema Ocepar, Sescoop e PUCPR.
Os profissionais envolvidos utilizarão metodologias ativas, desta forma eles serão protagonistas do processo de aprendizagem, sempre trabalhando com situações contextualizadas e contribuições práticas, para a realidade da cooperativa.
“Esperamos equipes multifuncionais, formadas por assessores jurídicos, contábeis, administrativos, enfim, de todas as áreas da cooperativa, para a amplitude do compliance”, afirma o superintendente do Sescoop/PR, Leonardo Boesche. O período de duração varia de acordo com o estágio e os desafios de cada cooperativa. A estimativa é de processo de seis meses a um ano.
Para conhecer mais sobre o Programa e obter informações sobre inscrições, disponíveis somente para as Cooperativas que compõem o Sistema Ocepar, acesse: http://www.compliance.sistemaocepar.coop.br/