A trajetória e o sentido da afetividade no direito brasileiro são detalhados na obra “Princípio da Afetividade no Direito da Família”, do professor Ricardo Calderón, publicada pela Editora Forense, e lançado nesta terça-feira (21), na na Livraria da Vila, em Curitiba.

 

Obra aborda o sentido jurídico da afetividade

Doutorando e mestre em Direito Civil pela Universidade Federal do Paraná, o autor afirmou que o livro, além de narrar o percurso da afetividade no direito brasileiro, comenta as recentes decisões do STF – Supremo Tribunal Federal e STJ – Superior Tribunal de Justiça na matéria, de modo a demonstrar as atuais repercussões práticas decorrentes da leitura jurídica da afetividade.

Ministro Fachin assina prefácio

O livro tem prefácio assinado pelo ministro do STF, professor Luiz Edson Fachin, posfácio escrito pelo professor titular da Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Anderson Schreiber, e apresentação pelo doutor em Direito Civil pela Universidade de São Paulo e professor titular da FADISP, Flávio Tartuce.

Amigos, colegas e alunos prestigiam o lançamento

Para Calderón, a afetividade é, atualmente, o grande vetor dos relacionamentos e assume o perfil de verdadeiro princípio do direito de família. O livro descreve as projeções da afetividade no direito das famílias e das sucessões, de modo a destacar os grandes temas que estão hoje em debate nos tribunais brasileiros. Com um enfoque teórico-prático, o que permite delinear o sentido jurídico da afetividade.

Fotos: Bebel Ritzmann