O presidente do Corinthians afirmou na segunda-feira (12), durante reunião do Conselho Deliberativo, no Parque São Jorge, que o clube chegou a um acordo com a Odebrecht para diminuir a dívida total pela construção da arena em Itaquera.
O mandatário confirmou à Folha de S.Paulo que informou aos conselheiros que a dívida atual com a construtora será de R$ 160 milhões, conforme acordo firmado com a empresa, que deverá ser assinado em até duas semanas. Ele não detalhou em quantas parcelas o montante será pago.
Além deste débito, o clube vai seguir pagando o financiamento feito junto ao BNDES com aval da Caixa, que atualmente está em R$ 470 milhões, segundo a construtora.
No total, o Corinthians ainda teria a pagar por seu estádio R$ 630 milhões.
O valor informado por Andrés na reunião no Parque São Jorge é cinco vezes menor do que a Odebrecht estimava receber, conforme a Folha mostrou em 18 de julho deste ano. A empresa estimava receber cerca de R$ 800 milhões.
“O problema é que a soma não existe, pois inclui juros. Ah, hoje o estádio é R$ 1,3 bilhão, mas isso com os juros de 15 anos. Na verdade, o número é muito menor”, garantia o diretor financeiro do clube, Matias Romano Ávila.
Além dos juros, o Corinthians contestava o valor cobrado pela Odebrecht pois alegava que partes da obra da arena não foram feitas. A construtora contestava esta versão e assegurava que fez tudo o que estava previsto no orçamento.