As medidas adotadas pelo governo para garantir liquidez nas instituições financeiras de pequeno porte foram bem recebidas pela indústria de transformação paulista.

As medidas adotadas pelo governo para garantir liquidez nas instituições financeiras de pequeno porte foram bem recebidas pela indústria de transformação paulista. Entretanto, o presidente da da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, afirma que, isoladas, essas ações não bastam para permitir a continuidade do crescimento da atividade produtiva.

“A ajuda aos pequenos bancos é bem-vinda, mas é preciso atender a atividade produtiva”, ressalta Skaf.. Segundo ele, uma das reivindicações do setor é a implementação de ações efetivas de estímulo à produção, que incluam mais acesso ao crédito a um custo mais baixo.

“Para que não haja um travamento no setor, é necessário que tenhamos acesso a crédito, além de sinalização de uma baixa da taxa de juros.”

Quanto aos reflexos da crise financeira norte-americana sobre a indústria, Skaf afirmou que ainda é prematura qualquer previsão .O momento exige cautela, disse ele. “Não devemos antecipar a crise.”

Ao falar hoje (7) na cerimônia de abertura do 3º Congresso da Micro e Pequena Indústria, que está sendo realizado na sede da Fiesp, Skaf disse que tem conversado com o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, e manifestado sua posição de que “o momento é de queda na taxa de juros para minimizar os efeitos da turbulência que se iniciou nos Estados Unidos e já atinge países europeus”.