O ex-ministro e presidiário José Dirceu desistiu do pedido para cumprir pena no presídio da Papuda, em Brasília, onde estaria próximo a sua família. Alegou “falta de segurança”. Ele já sinalizava a desistência na noite em que se despedia de amigos em Brasília, antes de seguir de carro para se entregar em Curitiba: “A Papuda já não é a mesma onde cumpri a primeira sentença [a do Mensalão]. Não há segurança”, disse.

O ex-braço-direito de Lula ficou impressionado quando soube do crescente domínio da Papuda por uma gangue que controla presídios. Presos por crime de corrupção são alvos de extorsão de organizações criminosas em presídios. Cobram da família pela “segurança” do preso. O ex-braço-direito de Lula ficou impressionado quando soube do crescente domínio da Papuda por uma gangue que controla presídios.

Presos por crime de corrupção são alvos de extorsão de organizações criminosas em presídios. Cobram da família pela “segurança” do preso. A notícia de que mais de 300 presos de facções do tráfico dominariam a Papuda não espantou Dirceu, que parecia saber disso ao ser preso. O governador do DF, Ibaneis Rocha, protestou contra o ministro Sérgio Moro quando Marcola, bandido nº 1 do País, foi levado para a Papuda.

Pré-candidato a prefeito

O Presidente nacional do PTC (Partido Trabalhista Cristão), lançou ontem Zé Boni, como pré candidato a prefeito da capital Curitiba. Zé Boni, no ano passado foi candidato a senador e fez 265.518 votos no estado do Paraná. Em Curitiba, fez uma expressiva votação de 33.000 mil votos, chegando a 5% dos votos na capital. Eleitor há anos da capital, Zé Boni se apresenta como a nova política, “Curitiba, precisa de Juventude, renovação, bons projetos e velocidade”, disse ele.

Valor da cota

O presidente paraguaio Mario Abdo Benitez informou que o governo trabalha em um sistema de formalização e fortalecimento do turismo de compras. Nesse sentido falou da possibilidade de aumentar a cota de compras na fronteira, como forma de dinamizar a economia em Cidade do Leste, afetada pela crise no Brasil.

Moeda única

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), criticou nesta quinta-feira, a ideia apresentada pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo ministro Paulo Guedes de uma moeda única entre Brasil e Argentina. A sugestão foi feita a empresários argentinos e brasileiros.

Em Buenos Aires, Bolsonaro chegou a dizer que o ‘peso real’, como vem sendo chamada a moeda, seria um primeiro passo para a construção de um “sonho de ter uma moeda única no Mercosul”. Ele citou a experiência do euro, moeda usada em parte dos países da União Europeia, e disse que apoiava a ideia, de autoria de Paulo Guedes.

No entanto, Maia questiona se a medida não desvalorizaria o real e traria a inflação de volta ao Brasil.

Fortalecimento

“Queremos avançar sobre um sistema de formalização e fortalecimento do turismo de compras. Aumentar a cota, aumentar o mínimo autorizado para exportar na área de turismo de compra, transformando em formal”, disse Abdo durante um evento de inauguração de casas populares na cidade de Itaguaí, no departamento Central, nesta sexta-feira (7).

Aposentadorias

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) pediu para o Supremo Tribunal Federal (STF) se manifestar sobre as oito aposentadorias de ex-governadores do Paraná que ainda estão sendo pagas, a despeito da revogação, no último dia 29, do trecho da Constituição do Estado que permitia o benefício. Com a mudança na Constituição do Paraná [Emenda Constitucional 43/2019], ficou assegurado que nenhum futuro ex-governador terá direito ao benefício, mas os oito atuais beneficiários seguem recebendo o dinheiro – cerca de R$ 30 mil por mês.

O retrato da violência

Elaborado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada e pelo Fórum Brasileiro da Segurança Pública, com base em dados extraídos do Sistema de Informação sobre Mortalidades do Ministério da Saúde, o Atlas da Violência de 2019 revela que o número de homicídios no País bateu novo recorde em 2017, chegando a 65.602 ocorrências. Esse número é o dobro da média anual de homicídios ocorridos no período de 1984 a 2004, quando levantamentos comparativos nessa área começaram a ser feitos com regularidade por órgãos oficiais.

Pelos professores

Membros da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados entregaram nesta quarta-feira, 05, ao relator da Proposta de Reforma da Previdência (PEC 6/19), Samuel Moreira (PSDB-SP), uma moção de apoio à manutenção da aposentadoria especial para os professores. A moção foi aprovada por unanimidade na Comissão e tem como propositor o deputado federal Danilo Cabral (PSB-PE), apoiado pelo deputado federal Aliel Machado (PSB-PR).

Contra a reforma

Os governadores do Nordeste divulgaram agora há pouco uma carta em que defendem a manutenção dos Estados na reforma da Previdência e se mostram contrários a pontos vitais da proposta, como a desconstitucionalização das regras de aposentadoria e o sistema de capitalização. Eles também afirmam haver divergências em relação às alterações previstas para o BPC (Benefício de Prestação Continuada) e para os aposentados rurais.

Marco Regulatório

O Senado aprovou um novo conjunto de regras para o saneamento básico no Brasil. O marco regulatório está contido no PL 3.261/2019, que veio em substituição a Medida Provisória (MPV) 868/2018, do governo de Michel Temer, que perdeu a validade antes de ser votada na segunda-feira (3). O projeto segue agora para aprovação na Câmara dos Deputados.

Exploração privada

A proposta abre caminho para a exploração privada dos serviços de saneamento. A Agência Nacional de Águas (ANA) irá criar normas de referência para o setor, e essas regras devem “estimular a livre concorrência, a competitividade, a eficiência e a sustentabilidade econômica na prestação dos serviços”, além de “buscar a universalização e a modicidade tarifária”.

Tucanos no centro

O PSDB saiu da convenção de 31 de maio, em Brasília, com a cara de João Doria. Foi ele quem tratorou as antigas lideranças do partido ao eleger o atual presidente, Bruno Araújo. Na condição de novo grão-tucano, Doria defende uma série de mudanças na legenda, que vão do ideário liberal, pró-­mercado, em detrimento da social-­democracia, a uma postura mais firme nos temas nacionais (inclusive na expulsão de membros com denúncias de corrupção). Confira, no Leia Mais, um trecho da entrevista à VEJA em que o governador explica essa mudança.

O PSDB saiu da convenção de 31 de maio, em Brasília, com a cara de João Doria. Foi ele quem tratorou as antigas lideranças do partido ao eleger o atual presidente, Bruno Araújo. Na condição de novo grão-tucano, Doria defende uma série de mudanças na legenda, que vão do ideário liberal, pró-­mercado, em detrimento da social-­democracia, a uma postura mais firme nos temas nacionais (inclusive na expulsão de membros com denúncias de corrupção). Confira, no Leia Mais, um trecho da entrevista à VEJA em que o governador explica essa mudança.

O que muda no PSDB a partir de agora? Passamos a ser um partido que tem posições e toma decisões. Não queremos com isso fazer críticas ao passado. A história do PSDB precisa ser preservada e valorizada, mas não podemos viver da história. Temos de ser protagonistas da história, respondeu Doria.

“Ele deixa de ser um partido de centro-esquerda para ser um partido de centro, que dialoga com a esquerda e a direita mas se afasta dos extremos tanto de um lado quanto de outro. Será um partido que tem uma proposta liberal de economia, com menos Estado, pró-mercado, pró-desenvolvimento”, concluiu Doria.

MPF na cola do MEC

O Ministério Público Federal enviou ao Ministério da Educação um pedido de explicações sobre o bloqueio de verbas para as instituições federais. Os procuradores também pediram informações sobre os cortes aos diretores do Instituto Federal Fluminense de Cabo Frio e do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Arraial do Cabo, na Região dos Lagos. Os diretores terão 15 dias para dizer qual será o exato montante do congelamento de verbas, quais atividades serão mais prejudicadas e quais as medidas para evitar ou diminuir os prejuízos causados aos estudantes.

Haddad brabo com Gleisi

Fernando Haddad ficou enfurecido com a declaração de Gleisi Hoffman à colunista Bela Megale de que ele é o melhor nome do PT para disputar a prefeitura de São Paulo no ano que vem. Haddad fez chegar sua irritação Gleisi. E internamente, no partido, a entrevista de Gleisi foi vista como mais uma tentativa de escantear Haddad do cenário eleitoral nacional.

Diretores da JMK soltos

Os diretores e funcionários da JMK foram soltos. Eles estavam presos pela Operação Peça Chave, deflagrada pela Polícia Civil para investigar fraudes no contrato de manutenção da frota oficial do estado. O alvará de soltura foi expedido pela juíza Sayonara Sedano, da 8.ª Vara Criminal de Curitiba. O empresário Aldo Marchini, titular da JMK, cumpriu prisão temporária juntamente com um filho, sócios e administradores: Julio Vernalha Guimarães, Alessandro Marchini, Jorge Barboza Reis, Cainão Morais e Ghillerme Pereyra.

O crime

A JMK tinha contrato com o governo do estado desde 2015 e era responsável pela manutenção de 18 mil veículos oficiais. Segundo as denúncias da Polícia Civil, teria desviado R$ 125 milhões – fato não confirmado nem mesmo por fontes do governo.

Pró-diversidade

Às vésperas do Dia dos Namorados, cresce o volume de propaganda de empresas que esperam vender mais por conta dos apaixonados. E o que se vê, da televisão à mídia digital, é um festival (quase uma coleção de minis manifestos) de peças publicitárias pró-diversidade (as agências acham que isso é politicamente correto). Então, tem mulheres dando flores para mulheres, homens abraçando e beijando homens, casais na base homem negro, mulher branca e vice-versa e por aí vai. Se tem depoimentos, tem para todos: feios, magros, gordos, negros, nisseis, com tatuagens, gay (com direito a voz anasalada para rápida identificação) e portadores de necessidades especiais.

 

“Garoto”

Até o presidente Bolsonaro se refere a Neymar, nesse episódio do discutido estupro, como “garoto”, o que ele não é. Neymar foge de jornalistas, quem fala sempre é seu pai, Neymar Silva Santos, que gosta de um holofote. Agora, com referencia a novo vídeo ele diz que a moça foi bater no filho e o craque se defendeu com os pés. O depoimento de Najila Trindade de Sousa ganhou páginas inteiras dos jornais e muito espaço nos principais noticiosos. Os movimentos feministas estão recuados e os aplausos a Neymar suspensos. Nas redes sociais, a acusação de que ele, graças a seu talento e seus milhões, acha que “pode tudo”.

 

Falso choro

Nesses dias, jornais publicaram fotos de Neymar nos vestiários, no dia de jogo Brasil-Catar, quando teria torcido o tornozelo aos 17 minutos do primeiro tempo (e deixou o campo), chorando e com gelo na região atingida. Nas redes sociais, a informação de quem convive com ele, sabe bem que ele finge chorar – e até com perfeição. Desta vez, supostamente, para atrair mais pesarosos, num momento em que sua imagem – mais uma vez – é abalada.

 

Prudência

“Prudência e caldo de galinha não fazem mal a ninguém”, diz o dito popular. O Ministério da Agricultura vai passar um pente fino no rebanho de Mato Grosso. Há dias, um animal foi diagnosticado com o mal da “vaca louca”. Trata-se de um caso isolado, mas ninguém está disposto a brincar com o setor que representa perto de 2% das exportações brasileiras.

 

Guest star

Quem diria: Gretchen foi convidada, por sugestão do autor, Walcyr Carrasco, especialista em criar personagens e participações que alavanquem sua novela, para estrear na teledramaturgia em A dona do pedaço. A personagem será a ex-mulher de Eusébio (Marco Nanini). Com isso, a presença da ainda rebolativa cantora (60 anos recém-completados) se duplica: seu hit Freak le boom boom toca na novela Verão 90.

 

Cortando na carne

O Advent, que comprou o Walmart no Brasil no ano passado, quer estancar os seguidos prejuízos da operação. Já desativou sua plataforma de e-commerce e prepara o fechamento de cerca de 25 supermercados e hipermercados. A desativação das lojas será feita no segundo semestre. São pontos de venda deficitários da bandeira Walmart no Sudeste e do Bompreço, no Nordeste. No ano passado, o prejuízo do grupo teria sido de R$ 300 milhões.

 

Outro

A ex-modelo Katheryn Mayroga retirou, voluntariamente, a denúncia de estupro contra Cristiano Ronaldo. Ninguém sabe se houve acordo com o jogador. O processo, contundo, continua. Detalhe: essa outra novela não teve a repercussão que está tendo o caso de Neymar e Cristiano Ronaldo nunca deixou de jogar na seleção de Portugal.

 

Artes marciais

Janaína Paschoal e Alexandre Frota deverão apresentar proposta de lei para instituir aulas de artes marciais para meninas, a fim de que elas possam se defender de seus eventuais agressores. Janaína conta que Frota gostou da ideia e vai apresentá-la na Câmara. “Agradeço por esse ato de grandeza”.

 

Curso

O ex-presidente Lula está  mandando avisar integrantes da área jurídica que, se por ventura passar para o regime semiaberto, jamais usará tornozeleira. Acha que não é pombo-correio. Se a justiça determinar o uso da tornozeleira, Lula usará mesmo – e sem discutir. Os inimigos ironizam e aconselham que melhor seria ele fazer um curso de pombo-correio.

 

Lado familiar

A família de Jair Bolsonaro acumulou 44 multas nos últimos cinco anos. A primeira-dama Michelle e o filho zero um, Flávio Bolsonaro, ultrapassaram o limite de 20 pontos em um ano, o que resultaria na suspensão da carteira e curso para reconquistar o direito de dirigir veículos. Os dois, a propósito, dirigem normalmente seus carros, hoje em dia.

 

Amigo é para isso

O “amigo particular” de Jair Bolsonaro, Carlos Vitor Nagem, acaba de ganhar um cargo na Petrobras. Em janeiro, seu nome tinha sido vetado, mesmo indicado pelo presidente da estatal, Roberto Castelo Branco, para ocupar a gerência de Inteligência e Segurança da companhia, por falta de experiência gerencial anterior. Agora, virou assessor da presidência da Petrobras, com salário de R$ 55 mil mensais. Ele é militar da reserva da Marinha e conhecido como capitão Vitor.

 

Sem confiança

O presidente Jair Bolsonaro resolveu se reaproximar do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que nos últimos dias, anda desancando, até indiretamente, o Executivo. O Chefe do Governo chamou-o até de “meu irmão”, aproveitando para mudar o tom em relação ao Congresso. Ou seja: admitiu que precisa de sua ajuda para “mudar o destino do Brasil”. E garantiu que “hoje, o Congresso tem um espírito diferente, se voltando realmente para o interesse popular”. Resumo da ópera: Rodrigo Maia recebe isso tudo com muita cautela. Aprendeu a não confiar em Bolsonaro.

 

“Multagem mandrake”

O projeto de lei enviado por Bolsonaro à Câmara mudando várias normas vigentes do trânsito, especialmente multas, tem um item especial que o presidente chama de “multagem mandrake”, conforme ele próprio contou a Ratinho. E definiu: “É aquele que o agente da polícia rodoviária está escondido atrás da árvore para tirar a fotografia do cara”. Ele quer “zerar, em um mês no máximo” a possibilidade de alguém ser multado dessa forma.

 

Novo significado

Diante do romance entre o presidente da República e a emissora de Silvio Santos, os próprios funcionários do SBT cunharam um novo significado para a sigla: “Sistema Bolsonaro de Televisão”. E à propósito: agora, está sendo arquitetada uma ida de Bolsonaro ao humorístico A praça é nossa, comandado pelo veterano Carlos Alberto de Nobrega.

 

Homem-chave

O Secretário do Trabalho e Previdência Social, Rogério Marinho, praticamente se mudou para o Congresso. De terça à quinta, tem dado expediente na Câmara e no Senado, cumprindo peregrinação por gabinetes e explicando cada detalhe da proposta da reforma da Previdência, com a maior paciência. Hoje, é considerado pelo próprio ministro da Economia, Paulo Guedes, como homem-chave para o sucesso da Nova Previdência.

 

De fora

A rede Sephora fechou, esta semana, por uma hora todas suas lojas nos Estados Unidos, para dar treinamento aos funcionários sobre diversidade, depois que a cantora SZA sobre racismo numa de suas lojas. No Brasil, as lojas funcionaram normalmente: seu pessoal acha que já sabe tudo.

 

Avanço

A Notre Dame Intermédica deverá investir mais de R$ 1,5 bilhão nos próximos dois anos na abertura de hospitais e laboratórios próprios. E continua procurando aquisições. Há pouco tempo, disputou a compra do grupo hospitalar São Francisco, de São Paulo, mas perdeu a batalha para a Hapvida, que desembolsou R$ 5 bilhões.

 

Roubando a cena

Em determinado momento da reunião de líderes do Senado, esta semana, a pauta virou a atuação da deputada Joice Hasselmann, líder do governo no Congresso, durante a votação da MP de combate a fraudes no INSS. Quem estava lá comentou o exibicionismo de Joice, achando que ela quis “roubar a cena” de Fernando Bezerra, líder do governo no Senado. Joice adora um holofote.

 

Linha dura

A juíza (dura) Carolina Lebbos pode impedir que, no regime semiaberto, Lule volte para São Paulo. Em alguns casos da Lava Jato, os réus tiveram que oferecer para a juíza um endereço em Curitiba, um quarto de hotel ou um apartamento alugado, como endereço provisório. Mais: se ganhar regime semiaberto, o ex-presidente não quer ir morar em seu apartamento em São Bernardo. Quer achar um jeito de ficar perto da namorada, Rosângela da Silva, agora transferida para Foz do Iguaçu.

 

Briga interna

Fernando Haddad está mais que irritado com Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT, que lançou seu nome como candidato à prefeitura de São Paulo em 2020. Acha que é mais uma tentativa dela de escanteá-lo do cenário nacional. Haddad quer se candidatar (de novo) em 2022 à Presidência da República. Os dois, contudo, farão o que Lula mandar.

 

Guloso

Davi Alcolumbre, presidente do Senado, está articulando com aliados a apresentação de uma PEC para permitir reeleição para as presidências da Câmara e do Senado em qualquer circunstância, inclusive dentro de uma mesma legislatura. O apetite de Alcolumbre cresce a cada dia.

 

Visita

Jair Bolsonaro foi visitar Neymar (e posaram juntos para foto distribuído às redes sociais) na clínica para o qual foi levado depois de sofrer lesão no tornozelo. O jogador foi cortado da seleção, por enquanto.

 

Weintraub show

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, quer instituir um dia fixo para fazer lives nas redes sociais. A ideia é apresentar balanços semanais das atividades do ministério, mas até assessores acham que, a se julgar pelo vídeo “Cantando na Chuva” que distribuiu, tudo pode virar um show – ou, quem sabe, um programa de auditório. Weintraub já contou aos chegados que, quando mais jovem, pensara em ser ator.

 

Ameaça

O presidente da Argentina – e candidato à reeleição – Mauricio Macri pediu ao presidente Jair Bolsonaro, através de seus chanceleres, que ele se abstivesse, nessa visita a Buenos Aires, de críticas a Cristina Kirchner, como faz habitualmente. A assessoria de Macri registrou que um apoio direto à sua candidatura pelo colega brasileiro, mais ataques à viúva de Nestor Kirchner, significaria perda de intenções de voto.

 

Em busca do ouro

O governador do Pará, Helder Barbalho, deverá viajar para a China em agosto. Vai em busca de investimentos para a área de infraestrutura, especialmente portos e ferrovias. Em seu roteiro está uma parada na China Construction Company, que participará da instalação de uma siderúrgica no estado, ao lado da Vale, ao custo de US$ 450 milhões.

 

Sabe tudo

O número um da Avon no Brasil, José Vicente Marino, deverá comandar o processo de incorporação da empresa à Natura. É o homem certo para a missão. Marino foi vice-presidente da companhia brasileira por sete anos.

 

Afastado

O excelente jornalista esportivo Mauro Naves, foi afastado da cobertura das reportagens no tumultuado episódio do estupro envolvendo o jogador Neymar. Motivo: foi Naves que passou o telefone do pai de Neymar ao ex-advogado da modelo, José Edgar Cunha Bueno.  O jornalista afirma que só passou o telefone, porque já conhecia o advogado e porque esperava receber algumas informações com exclusividade. Não deu certo.

Frases

 “Por mim, eu botaria 60, porque afinal de contas, a indústria da multa vai deixar de existir no Brasil.”

Jair Bolsonaro, sobre limite para suspensão da CNH.