O momento definitivamente não é nada favorável ao prefeito Rafael Waldomiro Greca de Macedo, que está em Brasília para se filiar ao DEM.

Deputado Tadeu Veneri: Câmara aprovou absurdo (foto: Sandro Nascimento / Alep)

Volta à Capital Federal depois de ter passado por lá como expoente de outras siglas, como o PDT de Brizola, o antigo PDS do regime militar, PFL e, se não me engano também do PSDB.

Pois o deputado Tadeu Veneri, cidadão que não tem rabo preso e nunca embarcou em certas nas canoas de seu partido, o PT, está denunciando mais uma do alcaide: diz que Rafael Waldomiro aprovou na Câmara a contratação de funcionários temporários – em lugar de concursados – pois assim montou “um exército de cabos eleitorais”.

Uma barbaridade, enfim, e que pode, no final das contas, virar “feitiço contra o feiticeiro”. Assunto essencial para a campanha política.

E A MODERNIDADE?

O noticiário distribuído por Veneri é o seguinte:

“O prefeito Rafael Greca pediu e a Câmara Municipal aprovou a contratação de servidores temporários, sem concurso público, através de Processo Seletivo Simplificado para todas as áreas da administração de Curitiba. Com essa autorização, Greca simplesmente deixará de convocar concurso público para preenchimento dos cargos, que poderão ser ocupados por apadrinhados políticos dele e de seus aliados. Essa é a modernidade que essa gente tanto prega. SEM SURPRESAS…

CONCURSO, NÃO

Ao invés de um quadro de servidores qualificados e independentes para prestar serviços à população, teremos um exército de cabos eleitorais a serviço de Greca e amigos.

“No primeiro mandato, Greca já seguia a linha de desmonte do serviço público ao criar as Organizações Sociais. Agora, segue a mesma lógica.

Não há surpresas”, disse o deputado.


Por onde anda o pai de Lucas?

Como tiveram de agilizar uma solução para o caso de Regis Ataíde Navarro, pai de Lucas Navarro, protegido do prefeito de Curitiba, que não podia continuar ganhando R$ 10 mil num cargo comissionado da Prefeitura (configuraria nepotismo), admite-se que esteja a caminho da Curitiba S/A.

Ou em vias de lá entrar. Ou, ainda, o que também é provável, me orienta alguém do Gabinete do Prefeito: “ele poderá ser um dos contratados sem concurso, decisão do prefeito aprovada pela Câmara”.

Régias não tem o segundo grau completo, ao que consta.

Plenário da Câmara de Curitiba: sede histórica

Orélio foi castigado. É um suspeito

Orélio Fontana é um cidadão que, dizem, sempre cumpriu bem suas missões como policial militar (está aposentado), e nos últimos dois anos serviu como segurança do prefeito de Curitiba.

Até foi candidato a deputado estadual, no que recebeu muito incentivo de Rafael Waldomiro.

Não se elegendo, voltou a cuidar do “Pinguim”, com outros colegas da mesma área.

Agora, para surpresa geral, foi despedido do corpo de segurança do alcaide, sob suspeitas de vazar informações para jornalistas. Foi encostado na Regional do Cajuru.

Desta maneira, vai se consolidando o universo das suspeitas na Prefeitura, tudo diante da grande batalha que Waldomiro se prepara – orientado por “aranha marrom” e outros, a enfrentar em 2020.


Em SP, deputado quer banir trans da vida esportiva

Você sabia que no Brasil apenas um atleta transexual vem chamando a atenção no esporte? Trata-se de Tifanny Abreu, jogadora do SESI Vôley Bauru, que disputa a Superliga Feminina.

Deputado Altair Moraes, Assembleia Legislativa de S.Paulo; Tifanny Abreu, jogadora trans de voleibol

A trans foi aceita conforme orientação geral para tais casos manifestada do Comitê Olímpico Internacional, plenamente acatado pela Confederação Brasileira de Voleibol.

É CONTRA

Em São Paulo, um deputado estadual, Altair Moraes (PRB, partido da Igreja Universal) não concorda com essas coisas. E apresentou projeto de lei estabelecendo o sexo biológico como único critério para definição de gênero em partidas esportivas oficiais em SP.

CONTRA A CORRENTE

O deputado está no seu papel, não aceita os chamados transgêneros, indo assim contra a corrente política e científica de países do Ocidente.

Fato é que o “equívoco genético” identificado nos seres trans merece ampla reflexão. Não pode ser simplesmente visto como “crime” ou “mera anomalia”. Não é fácil entender o fato de um homem viver num corpo de mulher e vice-versa. Por isso, o tema tem de ganhar foros mais amplos do que aqueles do simples a favor e/ou contra.


DELITO

Professor perde emprego por ficar contra propina

Nota curta e grossa, porque até me arrepia tratar do assunto: professor de Construção Civil, 1, 2, 3 e de Tópicos Especiais de Construção Civil, numa escola paranaense superior, o engenheiro REKP perdeu o emprego por um simples “crime”: condenou em sala de aula e junto a outros professores, o colega – da Cadeira de Solos – que ensina seus alunos a preverem $$$ em “facilitação” nos cálculos de um orçamento.

Quer dizer: o suposto mestre considera que a propina, especialmente em órgãos públicos, é fato consumado e os novos profissionais terão de ir se habituando com o delito. Nos custos de uma obra, a propina é a lição assumida como fatalidade.


Novo estudo de Soldado Fruet amplia crítica à reforma

Deputado Soldado Fruet

O deputado estadual Soldado Fruet (PROS) apresentou nesta terça (02) na ALEP, o estudo feito sobre a nova versão da reforma administrativa do Governo do Estado do Paraná. A proposta de reforma, feita pela equipe do Governador Ratinho Junior, teria como objetivos principais enxugar a máquina e economizar dinheiro público.

“MANDATO CRÍTICO”

O deputado, que vai formando na linha do “mandato crítico”, sem fazer oposição ao governo, nem ser de seu grupo de apoio, diz que a versão primeira da reforma administrativa de Ratinho Junior em fevereiro deste ano, “foi retirada para correções e mais uma vez apresenta irregularidades”. Essas falhas somam às antigas apontadas pelo deputado Soldado Fruet. “no quesito pertinente à austeridade”.

PONTOS SALIENTES

Em seu discurso, Soldado Fruet apontou “pontos de incoerência da nova reforma proposta pelo Governo”. Citou, como exemplo, o número total de cargos em comissão, que subiu de 2240 para 2254 e o custo total mensal destes cargos comissionados que subiu de 11,6 milhões para 12,9 milhões de reais.”

O parlamentar disse que votará contra o projeto. Não por sua essência – “mas pela sua incoerência e inconsistência. Não podemos aprovar aumento do número total de cargos em comissão e principalmente aumento dos gastos com estes salários”, destacou Fruet.

NOVO ESTUDO

Ao final de seu pronunciamento, Fruet colocou à disposição de todos os colegas de bancada e também à imprensa, o novo estudo feito por sua equipe, que aponta as irregularidades na nova versão da reforma administrativa.


CURSOS & CONFERÊNCIAS

Odontologia UniBrasil ganha conceito máximo do MEC

Campus da UniBrasil

O curso avaliado com nota máxima no MEC, iniciará no próximo dia 10 de abril. As inscrições são gratuitas.

Estão abertas as inscrições para o novo curso de Odontologia do UniBrasil Centro Universitário. Os interessados no curso – credenciado com a nota máxima pelo Ministério da Educação (MEC) – podem se inscrever gratuitamente pelo site “vestibular.unibrasil.com.br”. As provas na modalidade Agendada, acontecem no próximo dia 6 de abril, nas dependências do campus, situado no bairro Tarumã, em Curitiba.

Com quatro anos de duração, no período integral, o curso de bacharelado em Odontologia possibilitará ao aluno, uma atuação técnica e científica para o desenvolvimento pleno de suas atividades como profissional da saúde. Para o curso foram autorizadas pelo MEC a oferta de 100 vagas.

EXCELÊNCIA DE ENSINO

Na última semana, o Centro Universitário conquistou o conceito máximo no MEC. Isso significa que a instituição atendeu com excelência, todos os critérios exigidos pelo órgão responsável nos quesitos: infraestrutura, laboratórios, salas de aula, biblioteca, acessibilidade (vagas preferenciais, rampas), corpo docente, checagem de documentos entre outros critérios. Ou seja, além de conquistar o conceito máximo no curso de Odontologia, o UniBrasil agora possuí a nota máxima também.


“Como construir time campeão”, promoção da Câmara da Alemanha

Heverson do Valle

A convivência em equipe é fundamental para o bom andamento de um trabalho, mas muitas vezes as características pessoais e vícios profissionais de cada pessoa podem acabar gerando conflitos no dia a dia corporativo. A fim de evitar situações como essa e estimular uma melhor convivência organizacional, a Câmara de Comércio e Indústria Brasil Alemanha (AHK Paraná), promove, nesta o dia 04 de abril, quinta, o café-palestra “Resultados Positivos – Como construir um time campeão”.

PONTOS CRUCIAIS

Ministrado pelo trainer e instrutor de cursos da AHK, Heverson do Valle, o evento tem como objetivo trabalhar pontos crucias na convivência institucional diária. “É imprescindível afastar comportamentos negativos, como o pré-julgamento e o “boicote” ao outro, e pensar que no ambiente de trabalho os objetivos devem ser coletivos”, comenta Do Valle. “Rever e policiar atitudes que possam gerar desconfortos entre os colegas é uma boa forma de iniciar esse processo”, complementa.

NEUROLINGUÍSTICA

Para potencializar os resultados, o trainer utiliza técnicas de programação neurolinguística. Segundo o especialista em PNL, as ferramentas auxiliam na autoavaliação e, consequentemente, reforçam a autoconfiança do indivíduo. “Antes de mais nada, é importante entender que não temos que mudar o outro, e sim a nós mesmos. Todos possuem recursos internos capazes de promover essa mudança, e para tal, basta exercitar o olhar”, diz o palestrante, que em julho deste ano lançará o livro “Eupresário Nunca Mais”. “É aí que entra o meu trabalho, ajudar as pessoas a encontrarem suas ferramentas particulares para promover a mudança que desejam”, finaliza.

SERVIÇO:

Café Palestra “Resultados Positivos – Como construir um time campeão”

Data: 04 de abril (quinta-feira)

Horário: Welcome Coffee – 8h30 às 9h00 / Palestra – 9h00 às 10h13

Local: Pestana Curitiba Hotel

Rua Comendador Araújo, 499 – Centro (Curitiba – PR) *Estacionamento não incluso.

Inscrições e informações: ahkparana@ahkbrasil.com


DATAS:

O Paraná de 4 de abril

  • Romário Martins, historiador do Paraná

    1897 – Júlio Pernetta e Romário Martins lançam, em Curitiba, o primeiro número da revista cultural “A Pena”;

  • 1898 – No interior, Guarapuava, então pequeno povoado sem grande contato com os principais centros urbanos do país, ganha seu primeiro jornal: “O Guaíra”, dirigido por Luiz Daniel Cleve.

 

 

 

 

 

 

 


OBITUÁRIO:

Maria Luiza Xavier Cordeiro

Maria Luiza Xavier Cordeiro

O futuro de um país é construído na educação. E também seu presente e seu passado, com respeito e amor a sua história. Poucas pessoas têm esta percepção em mente com tanta clareza como a educadora Maria Luiza Xavier Cordeiro. Falecida neste 1º de abril, “Tia Mariza”, como era carinhosamente chamada, tomou a formação de crianças e jovens como uma missão.

Teve uma vida dedicada à instrução: foi aluna, mãe de alunos, professora e vice-diretora do Colégio Sion Curitiba. “Tia Mariza deixou sua marca de amor e conhecimento em cada um de nós. Para nossa querida Tia Mariza, o nosso eterno respeito e admiração. A todos os familiares, nossos mais sinceros sentimentos”, enaltece o Colégio Sion Curitiba, em nota.

Maria Luiza Xavier Cordeiro foi presidente do SINEPE-PR (Sindicato das Escolas Particulares do Paraná) em dois períodos: 1994 a 98 e 2000 a 2004.

A professora deixa marido, filhos, netos e bisnetos. O velório e o sepultamento ocorreram no Cemitério Parque Iguaçu, em Curitiba.


ESTILO DE VIDA

3 palavras que você deveria parar de dizer… e o que você deveria dizer

Medindo palavras. Elas influenciam (Crédito: Jacob Lund / Shutterstock)

O que dizemos tem muito impacto no nosso sucesso pessoal e profissional

Zoe Romanowsky | Aleteia

Palavras têm poder. Elas podem levantar pessoas ou esmagá-las. Elas afetam nossa autoconfiança, nossos relacionamentos e nosso grau de sucesso na vida. As palavras que usamos são importantes, mas muito do que dizemos é apenas por hábito. Acostumamo-nos a usar displicentemente termos e frases que estão em desacordo com nossos valores e com quem queremos ser.

Aquilo que dizemos e como dizemos têm um impacto tão grande no nosso sucesso pessoal e profissional, que faríamos bem em nos certificar de que as palavras que usamos estão nos ajudando a alcançar nossos objetivos. Aqui estão três palavras ou frases para você pensar duas vezes antes de dizer (e o que você pode dizer no lugar).

“TENTAR”

O mestre Yoda disse bem em Star Wars para Luke Skywalker: “Faça ou não faça. Não existe ‘tentar’.”

Dizer coisas como “vou tentar voltar na semana que vem” ou “vou tentar começar a me exercitar novamente” é realmente apenas uma maneira de permanecer descompromissado. Quando, exatamente, você voltará? Quando, exatamente, você está se comprometendo a se exercitar novamente?

“Tentar” é uma palavra fraca. Se você quer ter mais sucesso, pare de dizer que vai “tentar” e decida fazer ou não fazer. E deixe que isso se reflita em você.

“TALVEZ”

Uma amiga que você não vê com muita frequência liga e pergunta se sua filha Susie pode ir à festa de aniversário da pequena Amy no próximo final de semana. “Talvez”, você responde.

Claro que você pode não ter sua agenda à sua frente, ou exista algum outro impedimento. Poderiam existir várias razões para responder “talvez” a um pedido. Mas na maioria das vezes dizemos isso porque queremos ser educados; nós simplesmente não gostamos de dizer “não”.

A polidez vale muito, é claro, mas “talvez” não é uma palavra que expressa boa educação. É descomprometido e, às vezes, desonestidade. Recusar um convite ou dizer “não”, usando um modo gentil, transmite respeito pela outra pessoa e protege seu próprio tempo. Não podemos fazer tudo. Dizer sim quando queremos dizer sim e não quando queremos dizer que não comunica integridade e força.

Além de dizer sim ou não sempre que possível, você também pode substituir talvez por outras expressões: “Vou checar minha agenda e retorno para você”. “É improvável que consigamos, mas vou checar e lhe dou um retorno até amanhã”

“EU NÃO TENHO TEMPO”

Quem nunca disse: “Eu não tenho tempo para…”. A maioria de nós diz muito isso.

Mas não é verdade que você e eu não temos tempo. Todo mundo tem a mesma quantidade de tempo em um dia – 24 horas, nem mais nem menos. E cada um de nós decide como vai passar essas horas, de acordo com suas necessidades, desejos e responsabilidades. Claro, precisamos ganhar a vida, cuidar da nossa família, dormir e comer. Mas a verdade é que tendemos a arranjar tempo para as coisas que são mais importantes para nós.

Nós não temos tempo para algo porque não encontramos tempo para isso. Dizer que “você não tem tempo” significa negligenciar sua responsabilidade sobre como você decide gastar o seu tempo.

Pense bem na diferença entre tempo e ter tempo. E, em vez de usar a frase “não tenho tempo”, considere dizer: “Meu tempo está sendo usado para outras prioridades agora”. Ou “Neste momento, não posso destinar tempo para isso por causa de outros compromissos”.


AÇÕES DE GOVERNO

Governo quer aproximar universidades da gestão do Estado

Governador Carlos Massa Ratinho Junior, recebe reitores das universidades do Paraná. (Foto: Gilson Abreu/Anpr)

Em reunião com os reitores das instituições estaduais de ensino superior, governador Ratinho Junior cobrou a participação das universidades e seus professores na solução de desenvolvimento regional.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior afirmou nesta quarta-feira (3), em reunião com os reitores das sete universidades estaduais do Paraná, que quer aproximar as instituições de ensino superior da gestão do Estado. A ideia, afirmou, é que as universidades contribuam com ações nas áreas econômica e social para fortalecer o desenvolvimento regional e de todo o Paraná.

“Temos centenas de mestres e doutores, com muito conhecimento, que podem nos ajudar a pensar o desenvolvimento regional, principalmente as questões econômicas e sociais”, afirmou Ratinho Junior. “Os reitores têm papel de liderança e podem conduzir ações que fortaleçam o crescimento de municípios e regiões. Portanto, queremos mais eficiência, criatividade e novas ideias que possam melhorar a vida das pessoas”, disse.

Ratinho Junior afirmou que o governo busca criar ambientes para que as instituições possam desenvolver seus trabalhos da melhor forma, e pediu um novo encontro de trabalho com os reitores, para discutir questões específicas de cada instituição, nas próximas semanas. Ele lembrou que universidades são um ativo importante do Estado, e que o investimento em ensino superior é de cerca de R$ 2,5 bilhões ao ano.

COOPERAÇÃO

Para o futuro superintendente de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldo Nelson Bona, reitor da Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro), essa primeira reunião com o governador foi importante para breves relatos dos reitores e para que eles pudessem conhecer o que o governo espera.

“Queremos fazer um trabalho de estreita cooperação e de construção conjunta, visando utilizar esse capital intelectual e científico que temos nas instituições a serviço da população e do desenvolvimento regional”, disse.

As universidades estaduais estão à disposição do Estado, afirmou a reitora da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), Fátima Aparecida da Cruz Padoan, que também é presidente da Associação Paranaense das Instituições de Ensino Superior Pública (Apiesp). “Temos consciência de que a inovação tecnológica está atrelada às nossas atividades e queremos ajudar a transformar o Paraná em um estado mais inovador”.

ENXUGAMENTO

Ratinho Junior reforçou que a extinção da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, como parte das medidas de enxugamento da máquina pública, não afetará o trabalho no setor. “Transformamos a secretaria de ensino superior em superintendência com o objetivo de dar mais trânsito a ela em outras secretarias de estado. Dessa forma, será mais dinâmica e terá mais eficiência”.


CCJ aprova reforma de Ratinho Jr

CCJ na Assembleia Legislativa do Paraná

Depois de muitas “idas e vindas”, a Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa finalmente aprovou nesta quarta (3) a proposta de reforma administrativa do governo Ratinho Júnior (PSD). A proposta, que prevê a redução do número de secretarias de 28 para 15, e segundo o governo resultará na extinção de 339 cargos com economia de R$ 10,6 milhões ao ano, foi apresentada originalmente em 12 de fevereiro, mas desde então sofreu uma série de questionamentos que atrasaram sua tramitação.

A expectativa inicial da liderança governista na Casa era de que a reforma fosse aprovada em plenário no início de março. Mas logo que o texto foi apresentado aos deputados, porém, ela começou a sofrer contestações. O principal deles veio de um estudo apresentado pelo deputado Soldado Fruet (PROS), apontando que ao invés de promover redução de gastos, a proposta elevaria as despesas com cargos comissionados em R$ 10 milhões. Isso porque, segundo ele, apesar de extinguir cargos com salários mais baixos, a reforma criaria outros, com vencimentos superiores.

(FABIO CAMPANA)


Diretor-geral brasileiro de Itaipu reafirma compromisso da empresa com a região

A política de austeridade adotada na Itaipu Binacional, com a posse do general Joaquim Silva e Luna como diretor-geral brasileiro, em 26 de fevereiro, não afetará o bom relacionamento com os municípios de toda a área da região. Desde 2017, a atuação socioambiental de Itaipu passou a abranger os 52 municípios do Oeste do Paraná, mais Altônia, no Noroeste, e Mundo Novo, no Mato Grosso do Sul.

Silva e Luna: olhar de atenção para os municípios. (Foto: Alexandre Marchetti)

Para garantir o adequado emprego do dinheiro público, segundo os princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência, o general Joaquim Silva e Luna já determinou a criação de uma estrutura na Diretoria Geral Brasileira para centralizar as informações e articular as ações intersetoriais. Além disso, mandou proceder a revisão de todos os convênios, parcerias, projetos e patrocínios. Essa nova forma de gerir a usina, segundo o general, não exclui um olhar de atenção para toda a região.

“Ao contrário, a ideia é que, a partir dessa reavaliação e do combate ao desperdício, seja possível melhorar a qualidade do emprego dos recursos de Itaipu”, diz Silva e Luna. Ele afirma que a Itaipu estará de portas abertas para receber os gestores municipais, para ouvir suas contribuições e tentar encontrar soluções, mas sempre com a preocupação de utilizar o capital financeiro de forma mais eficiente e garantir que um maior número de pessoas seja comprovadamente beneficiado com as parcerias.

MISSÃO AMPLIADA

Ao reafirmar esse compromisso com a região, o general Joaquim Silva e Luna reconhece que a missão ampliada de Itaipu permitiu um maior alcance da atuação socioambiental e do número de convênios de Itaipu com municípios em ações de recuperação de passivos em microbacias hidrográficas e na promoção dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que fazem parte da Agenda 2030.

Desde que assumiu o cargo, o diretor-geral brasileiro de Itaipu também determinou que todos os pedidos feitos por entidades externas sejam analisados sob a ótica de sua aderência à missão da Itaipu, à oportunidade, à disponibilidade e imprescindibilidade da relação despesa-investimento. “Com mais rigor nos gastos, vamos ter condições de investir em projetos mais consistentes na região”, garante.

ROYALTIES

O general Joaquim Silva e Luna lembra que, para os 16 municípios lindeiros ao reservatório (15 no Paraná e um no Mato Grosso do Sul), os recursos serão ampliados automaticamente, por meio da Lei 13.661/2018, que alterou os porcentuais de distribuição dos royalties: agora, do total repassado ao Tesouro Nacional por Itaipu, 65% serão destinados aos municípios (antes eram 45%), 25% aos Estados (eram 45%) e 10% para órgãos federais (Ministério do Meio Ambiente, Ministério de Minas e Energia e Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico).

Os lindeiros recebem 85% dos 65% destinados aos municípios que têm direito. Eles são mais beneficiados porque foram mais diretamente atingidos pela formação do reservatório da usina. Os 15% restantes da fatia de 85% são distribuídos entre municípios indiretamente atingidos por reservatórios a montante (rio acima). Para os Estados, também se aplicam os porcentuais de 85% e 15% para os diretamente e indiretamente afetados, respectivamente.