Foto: Divulgação/SESP

O Batalhão de Polícia Militar Ambiental Força-Verde (BPAmb-FV) e o Ministério Público do Paraná divulgaram o balanço da operação Mata Atlântica em Pé. Em quatro dias de ação, foram apreendidas mais de 14 toneladas de carvão e 104 m³ de madeira. O Batalhão da Força Verde lavrou ainda 85 autos de infração ambiental e prendeu uma pessoa em flagrante. Os resultados foram apresentados em coletiva de imprensa, que aconteceu na sede do Ministério Pública do Paraná, no Centro Cívico, em Curitiba, na tarde desta sexta-feira (20/09). No Paraná foram patrulhados mais de 13 mil quilômetros em áreas de mata e aplicados mais de R$ 6 milhões em multas.

Esta é a terceira edição da Mata Atlântica em Pé, que vem sendo realizada anualmente no Paraná desde 2016. “Este ano, a operação abrangeu 63 polígonos em quatro municípios: Prudentópolis, Guaparapuava, Pinhão e Reserva do Iguaçu. Pudemos constatar 688 hectares de área desmatada, o que superou o número do ano passado”, afirmou o comandante do BPAmb-FV, tenente-coronel Adilson Luiz Correa dos Santos.

A Operação ocorreu em 16 estados que possuem áreas de Mata Atlântica, com a participação do Ministério Público (MP), do Instituo Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), da ONG SOS Mata Atlântica, entre outros órgãos estaduais e polícias militares de vários estados. “Nós pegamos as imagens da SOS Mata Atlântica e do INPE e verificamos in loco o que está ocorrendo. Uma vez constatadas irregularidades, adotam-se as medidas cabíveis e tudo é encaminhado ao Ministério Público”, explicou o coordenador nacional da Operação e promotor de justiça, Alexandre Gaio.

O efetivo empregado nesta terceira fase da Operação contou com 80 policiais militares distribuídos em quatro postos de comando, 27 viaturas, um helicóptero e um drone. “As equipes se utilizam de GPS como meio de encontrar os alvos, que são identificados através da localização geográfica”, afirmou o tenente-coronel Santos.

Nos quatro dias, foram fiscalizados 53 pontos, o que gerou multas que totalizaram R$ 6,204 milhões. Ao todo, 85 autos de infração foram lavrados, 53 ofícios encaminhados ao MP – feitos quando não há prisão em flagrante. Uma pessoa foi presa e outras 294 foram abordadas. Foi feito patrulhamento aéreo (6h de voo), à pé (360 km) e motorizado (13.340km). Foram apreendidos 104 m³ de madeira (equivalente a oito caminhões carregados), 14.290 kg de carvão e um trator.