Pesquisa realizada na última sexta-feira pelo Banco Central com uma centena de analistas de mercado mostra que a tendência da inflação é de alta, tanto no varejo quanto no atacado.

Pesquisa realizada na última sexta-feira pelo Banco Central com uma centena de analistas de mercado mostra que a tendência da inflação é de alta, tanto no varejo quanto no atacado.

A perspectiva do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deste mês foi elevada de 0,53% para 0,58% e a projeção de inflação de 2008, de 4,29% para 4,37% .

Os números constam do boletim Focus, também conhecido como Relatório de Mercado, divulgado ontem pelo BC, com os resultados da pesquisa que é realizada todas as sextas-feiras. As comparações se referem ao intervalo entre as duas últimas semanas.

A expectativa média dos analistas de mercado e de instituições financeiras é de que o IPCA de fevereiro fique um pouco abaixo do de janeiro, na casa de 0,50%, em virtude do maior peso dos gastos das famílias com matrículas e material escolar, neste mês. Eles estimam, porém, aumento de 4,22% para 4,31%, no IPCA dos próximos 12 meses.

O Índice de Preços ao Consumidor, medido pela Fundação Instituto de Pesquisa Econômica (IPC-Fipe) da Universidade de São Paulo (USP), que mede a variação do varejo na capital paulista, também teve projeção de alta: 4,01% para 4,07%.

A única projeção estável no varejo diz respeito aos preços administrados por contrato ou monitorados (combustíveis, energia elétrica, telefonia, medicamentos, educação, transporte urbano e outros). De acordo com a pesquisa do BC, esses preços e serviços serão majorados em 3,70% ao longo do ano, e devem aumentar para 4% no ano que vem.

Para avaliar o comportamento de preços no atacado, a pesquisa usa dois indicadores da Fundação Getulio Vargas (FGV). O Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) que previa inflação anual de 4,50% na semana anterior, evoluiu para 4,75%, enquanto o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) aumentou de 4,69% para 4,80%.