“Estamos esperando este Governo começar”, disse Requião Filho em discurso na Assembleia durante a sessão plenária desta terça-feira na Assembleia Legislativa do Paraná, o Deputado Estadual Requião Filho criticou a falta de transparência e eficiência do Governo Ratinho Jr. O parlamentar cobrou mais respeito aos servidores públicos e questionou os posicionamentos atuais do Chefe do Executivo que, quando foi deputado, integrou o Governo Beto Richa, e já sabia dos desafios que enfrentaria assim que assumisse o Palácio Iguaçu.

Este discurso, que parece apenas uma erupção costumeira do deputado, marca, para os mais experientes deputados, o inicio de uma nova fase nas relações com o governo Ratinho Jr, que passa a ter uma oposição mais atuante e articulada.

A superioridade numérica não é suficiente para deixar o governo tranquilo. Há contradições crescente na base de apoio com a proximidade de definições de candidaturas a prefeito em todo o Paraná. E disputas de espaço dentro do próprio governo. “Um risco na lataria” e tudo pode mudar, diz um deputado aliado do Palácio Iguaçu. Imagine como pensa o resto.

 

Migração em Itaipu

A transferência dos empregados da Itaipu Binacional, do escritório de Curitiba para Foz do Iguaçu, iniciado em junho, atingiu o maior pico em setembro, com 22 pessoas transferidas no mês. A adaptação dos empregados em Foz ocorre de forma tranquila. O setor de recursos humanos vem promovendo uma série de ações de acolhimento para receber os novos moradores da cidade, onde está localizada a usina e funciona o centro de comando da empresa.

Bolsas pagas em outubro

As bolsas vinculadas ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) para estudantes, professores e pesquisadores serão pagas em outubro. A informação foi dada ontem (30) pelo ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Marcos Pontes, por meio de sua conta na rede social Twitter.

Remanejamento

Pontes havia informado neste mês um remanejamento de recursos originalmente previstos para ações de fomento do CNPq. Contudo, para efetuar o pagamento aos bolsistas ainda havia a necessidade de o Ministério da Economia autorizar o repasse, elevando a possibilidade de gastos do Conselho.

Rony Alves no cargo

A Justiça negou um pedido do Ministério Público do Paraná (MP-PR) para prorrogar o período de afastamento do vereador Rony Alves (PRB). Com isso, o parlamentar está autorizado a retomar o cargo, frequentar prédios públicos e ter contato com os demais vereadores depois de um ano e oito meses. Rony Alves é réu na Operação Zona Residencial 3, que investiga o pagamento de propina por empresários a agentes públicos para aprovação de alteração do zoneamento urbano na cidade. O vereador está afastado do cargo desde janeiro de 2018.

 “Troco da propina”

Um motorista resumiu muito bem, segundo o deputado Romanelli (PSB), o que significa os acordos de leniência feitos pelo Ministério Público Federal e as empresas do pedágio no Paraná. “Isso é troco da propina”, disse o motorista ao ser entrevistado por uma emissora de TV sobre a redução em média de 30% na tarifa cobrada em seis praças de pedágio na BR-277. “Ele está absolutamente certo. Digo e repito, os acordos são lesivos. São apenas uma salvaguarda, uma espécie de salvo conduto, que libera as empresas a participar da próxima licitação das concessões das rodovias do Paraná”, disse Romanelli.

Desbloqueados

O Ministério da Educação (MEC) destinará 58% dos recursos desbloqueados para recompor o orçamento das universidades e institutos federais, anunciou, em Brasília, o ministro da Educação, Abraham Weintraub. Os recursos, segundo o MEC, cobrirão despesas de custeio como gastos com água, energia elétrica, aquisição de materiais de consumo e outras prestações de serviço.

Pobreza sobe na Argentina

A pobreza na Argentina aumentou de 32% para 35,4% no primeiro semestre, o nível mais alto desde o colapso da economia em 2001, informou o Instituto Nacional de Estatística e Censo (Indec) nesta segunda-feira (30). As informações são da AFP. O presidente Mauricio Macri, em campanha para seguir no cargo nas eleições de 27 de outubro, lamentou o resultado. “Infelizmente reflete a situação em que vivemos e, apesar de doer, devemos olhar para frente”, disse.

Birra

Confiante, Joice Hasselmann (PSL-SP) ampliou os argumentos para defender sua candidatura à prefeitura de São Paulo. A deputada enfrenta resistência de parte do partido, que não a quer na eleição do ano que vem. “Não posso permitir que uma birra de meia dúzia de gatos pingados jogue a Prefeitura de SP nas mãos da esquerda. Se a esquerda vencer na maior cidade do país, certamente haverá a pavimentação para que ela volte ao cenário nacional”, diz.

Não era ele

Um dos trechos mais hilários do livro de Rodrigo Janot é quando ele conta que telefonou, de madrugada, para o então presidente do Senado, Renan Calheiros, para avisar que, na manhã seguinte, “iria mandar prender um senador”. Seguiu-se um silêncio total – e certamente, com direito a um pouco de suor frio, até que Janot tratou de esclarecer: “Não é o senhor, não”. Era Delcidio Amaral – e Renan deve ter se sentido mais aliviado. Ele é alvo de 18 processos.

 

“Com homens”

Aos 46 anos, segundo protagonista de uma novela de muito sucesso, A dona do pedaço, participando de cenas quentes com Juliana Paes e Agatha Moreira, o ator Reynaldo Gianecchini resolve dizer, numa entrevista, que “já teve romance com vários homens”. A grande massa de telespectadoras conservadoras, especialmente donas de casa classe média, estão decepcionadas.

 

Mais um

Como a deputada Joice Hasselmann resolveu se autoproclamar candidata à prefeitura de São Paulo – e muito provavelmente com apoio de João Doria – sem receber autorização do PSL, o líder do partido na Assembleia Legislativa paulista, Gil Diniz diz que poderá ser candidato a prefeito com apoio de Bolsonaro. Quem escolheu foi Eduardo Bolsonaro.

 

Mínimo

Um em cada dez trabalhadores com diploma de curso superior ganha até um salário mínimo (R$ 998) por mês. No segundo trimestre de 2015, ou seja, antes da crise, o percentual hoje de (10,9%) era menor (8,4%). Os dados são da consultoria IDados.

 

Trabalhar, não!

A namorada de Lula, Rosângela da Silva, quer que o ex-presidente aceite a sentença de passar para regime semiaberto, com direito a sair durante o dia para trabalhar. Lula não quer: só quer deixar a prisão quando recuperar “sua total liberdade e inocência”. No semiaberto, deveria ficar numa prisão especial onde não há disponibilidade – e usar tornozeleira, o que ele não topa. Detalhe: o Judiciário pode obrigá-lo a fazer o que ele não quer fazer. Rosângela, a propósito, quer ter uma vida mais íntima com Lula (visita íntima nunca foi autorizada na sala-cela da PF de Curitiba).

 

Concorrência

O ministro Paulo Guedes, da Economia, está sentindo um cheiro de queimado no ar. Não tem sido chamado pelo presidente para dar sua opinião sobre diversos assuntos, como sempre acontecia. Até na novela da CPMF ficou de fora. Um trio está inspirando consultas a Bolsonaro: Onyx Lorenzoni (recuperado), Augusto Heleno e Tarcísio Freitas, ministro da Infraestrutura.

 

“Velha política”

Ações do governador João Doria estão fazendo crer que ele é adepto da “velha política”.  Há dias, em São Paulo, inaugurou a estação Jardim Planalto do monotrilho da linha 15 – prata do Metrô “dois meses antes do previsto”. Deve ter se esquecido que a obra deveria estar funcionando desde 2014.

 

Outra versão

Mesmo arriscando ficar literalmente sem futuro na carreira, muita gente acha que Rodrigo Janot pretendeu, ao contar a história de querer assassinar o ministro do STF Gilmar Mendes, apenas vender mais livro. Nas redes sociais, contudo, correr outra versão: Janot teria encontrado um jeito de entregar seus computadores e celular para Polícia Federal. É tudo que o ex-PGR queria e Gilmar achava que nunca aconteceria. Agora, a PF conhecerá coisas graúdas dos meios jurídicos.

 

Atos passados

O caso de Janot, que confessou que queria assassinar o ministro Gilmar Mendes, é inacreditável para outros tantos.  Um sincericidio que terá graves repercussões também retroativamente, coloca em dúvida a saúde mental e pode desmoralizar atos de usa gestão frente a PGR. Ele está sendo investigado e o ministro Gilmar Mendes definiu a situação utilizando-se de um paralelo. “Para quem se propõe a matar um juiz, assassinato de reputação não é nada”. E volta a acusar Janot de ter usado o Ministério Público para fins políticos.

 

Em campanha

Depois de ter oferecido um jantar, em São Paulo, reunindo figura conhecidas: FHC, Rodrigo Maia, ACM Neto, Armínio Fraga, Mendonça Filho, Roberto Freire, Raul Jungman e outros, no programa de sábado (28) Luciano Huck parecia estar em campanha percorrendo o interior do Nordeste ao lado de Windersson Nunes, que tem 32 milhões de inscritos no seu canal. A Globo não se manifesta, mas já avisou Huck que, se ele sair e não ganhar, não volta à emissora.

 

Com o MDB

João Doria, governador de São Paulo, está tentando firmar mais uma aliança para as próximas eleições de 2020 (municipais) e 2022 (estaduais e presidencial) para o PSDB. Quem está conduzindo as negociações é o vice-governador Rodrigo Garcia (DE) e as principais conversas estão sendo feitas com o MDB.  Se conseguir esta aliança, Paulo Skaf, um dos principais políticos do MDB, que não está participando das conversas, poderá ficar isolado e não disputar nenhum cargo.

 

Bolsonaro no comando

O deputado Bibo Nunes (PSL-RS) garante que o clima no PSL está muito ruim, quase insustentável. Garante que ele e outros deputados querem que Bolsonaro assuma o comando da sigla e caso isso não aconteça, poderão deixar o partido. “Só continuo no partido se o Bolsonaro voltar a tomar conta do PSL, como foi durante a eleição. Quando acabou a eleição, o Bivar pegou o partido de volta. A maioria quer sair do partido.”

 

Maior responsável

O presidente do BNDES, Gustavo Montezano, está aos poucos entregando a famosa “caixa-preta” solicitada pelo presidente Jair Bolsonaro, que foi culpado pela queda de Joaquim Levy em junho. Segundo informações, o maior responsável pelo prejuízo do banco foi a Odebrecht, que teria uma dívida de R$ 14 bilhões. “Certamente é o grupo econômico que mais trouxe prejuízo na história do banco”.

 

Sem corrupção

Ainda Gustavo Montezano: ele acredita que as perdas do BNDES têm a ver com má gestão e não com corrupção. “De tudo o que soubemos até hoje e foi investigado internamente e externamente, não tem qualquer indício de corrupção de nenhum funcionário do banco”.

 

Aonde quer chegar

Os devaneios de Carlos Bolsonaro parecem que começam a extrapolar os limites da boa postura. Semana passada, usou seu Twitter para atacar o Podemos, partido que está em ascensão no Senado. “É impressão minha ou esse tal de Podemos já faz bastante tempo quer tomar o lugar de um partido vermelho? A metamorfose não para um segundo!”. Há quem garanta que o PSL já começa temer a perda do poder, já que o Podemos é o partido que mais apoia a Lava Jato e que está tentando convencer Sérgio Moro a disputar as eleições presidenciais em 2022.

 

Pêndulo

O lançamento da pré-candidatura (e falta mais de um ano para eleições) de Mariana Ribas à prefeitura do Rio pelo PSDB contou com a presença do governador de São Paulo, João Doria, o deputado Federal Marcelo Calero, Eduardo Paes (que também pode ser candidato a prefeito e sonha com Mariana na sua vice), Paulo Marinho, que agora está do PSDB e comanda o polo fluminense dos tucanos e Gustavo Bebianno (ainda sem partido e que pode filiar-se no PSDB). Aliás, Bebianno atacou mais uma vez o governo Bolsonaro. “O pêndulo estava todo à esquerda. Hoje, está na extremidade oposta, o que mantém o país igualmente preso e restrito a outra agenda ideológica. O pêndulo precisa estacionar no centro, para que tenhamos equilíbrio”.

 

Sem extremos

Ainda sobre lançamento da pré-candidatura de Mariana Ribas: João Doria, governador de São Paulo, concordou com Gustavo Bebianno e ainda propôs uma união, que soa meio estranho. “Os extremos não constroem, os extremos destroem. Nós erramos, sim, mas tivemos a humildade de corrigir. Os extremados não reconhecem os erros.”

 

Dando resposta

As declarações de Rodrigo Janot feitas em seu livro continuam causando polêmica. Além de ser alvo de busca e apreensão de porte de arma, após falar que teve a intenção de matar Gilmar Mendes, ministro do STF, Janot também declarou que Eduardo Cunha teria mandado invadir sua casa, rendendo uma resposta vinda direta de Bangu, do ex-presidente da Câmara: “Janot é um psicopata e homicida que não merece respeito”.

 

Ninguém quer

Ainda sobre Janot: Rodrigo Maia, após saber da declaração e pedir que tirem o porte de arma do ex-procurador geral da República, disse que por causa dessas polêmicas, que ninguém quer investir no Brasil. “É um país estranho que a cada dia é uma novidade. Hoje, descobrimos que o procurador-geral da República queria matar o ministro do Supremo. Então, quem vai querer investir num país desse? Você ia querer investir?”.

 

Elas com elas

Ysani Kalapalo, nova queridinha de Bolsonaro, quer ser conhecida como “indígena do século 21”. E mudou muito: no passado, curtia feminismo, causa LGBT e gostava muito de Jean Wyllys. Agora, reza na cartilha do presidente. Numa entrevista, falou que o relacionamento íntimo entre índias sempre “foi normal mesmo depois do aparecimento do homem branco”.

 

Quer mais

O general Luis Eduardo Ramos, da Secretaria do Governo, tem entrada fácil em diversas rodas de lideranças de partidos, conversas sobre cargos (que os titulares de ministério não assinam) e por aí vai, só que está sentindo que seu trabalho não tem resultado por um único motivo: o Congresso quer mais. E não apenas cargos, quer ministérios.

 

A vida é bela

Davi Alcolumbre, presidente do Senado e o senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, foram a bordo de avião da FAB de Brasília para São Paulo para participar do Jogo das três pistas, quadro do programa de Silvio Santos, que recebeu como se fosse atrações do show business.

 

Chapéus e bonés

O ex-procurador-geral da República é conhecido em muitas rodas brasiliense como “bom de copo”. E tem verdadeira mania de chapéus e bonés de vários tipos. Em sua sala de estar, Janot tem muitos pendurados na própria parede ou – surpresa – nos cantos dos quadros que possui, um de cada lado. Ele se diverte jogando à distância cada boné para ver se consegue deixá-los pendurados no canto do quadro.

 

Garimpando

Depois de injetar US$ 110 milhões do MadeiraMadeira, site de ventas de artigos para lar, o japonês Softbank está garimpando aplicativos de transporte no Brasil. Os asiáticos têm US$ 5 bilhões aplicados em startups apenas na América Latina.

 

Sem embaixador

Para quem tem memória curta: os Estados Unidos completarão no mês que vem um ano sem embaixador em Brasília. Em outubro do ano passado, Pete Michael McKinley deixou o cargo.

 

Cópia

Nos últimos dias, jornais publicaram uma foto onde Bolsonaro aponta para o local onde o novo procurador-geral da República, Augusto Aras, deveria se posicionar. Repetiu gesto que Trump fez com ele na ONU. Há quem aposte que ele dever ter imaginado que aquilo demonstrava um sinal de autoridade.

 

Vai desaparecer

O ministro da Economia, Paulo Guedes, acha que, se não for privatizada, a Eletrobras está condenada a desaparecer porque não tem capacidade para fazer investimentos necessários para manter sua fatia no mercado. Guedes diz que a empresa precisa investir R$ 14 bilhões por ano para manter 33% de sua participação no mercado de geração e distribuição. Só consegue investir R$ 3,5 bilhões.

 

Concorrência

A Notredame Intermédica (2,8 milhões de usuários) acaba de criar um convênio médico a pessoas com mais de 50 anos de idade, com mensalidades entre R$ 750 e R$ 800. Começa a funcionar em Sorocaba e Jundiaí e em seis meses, estará em São Paulo. Vai concorrer com a Prevent Senior, referência em plano de saúde para idosos com 410 mil usuários.

 

Bonita

Bebe Rexha, compositora de popstar e agora avançando como cantora, é a figura mais bonita do Rock in Rio, até agora. Ela estava no bloco de abertura do festival, no último fim de semana.

 

Campeões

Os primeiros colocados na lista dos que fizeram maiores volumes de devoluções totalizaram R$ 1,4 bilhões. No topo da lista, a família do doleiro Messer, sua ex-mulher Rosane e os filhos Dan, Débora e Denise, que devolveram nada menos do que R$ 370 milhões, seguido por Eduardo Plass, com R$ 320 milhões. Em terceiro, Pedro Barusco (R$ 199 milhões), em quarto Júlio Faerman (lobista, com 145,5 milhões) e em quinto, Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras, com R$ 80,7 milhões.

 

Elegância

De largada, o novo procurador-geral da República, Augusto Ara, tem demonstrado lições de elegância. Terno bem cortado, com lapelas mais largas (as estreitas, devido a seu volume, pareceriam ridículas), preferência por gravatas mais coloridas, colarinhos de camisa (sob medida) brancos mais duros (com barbatanas) e por aí vai. Também tem uma Montblanc no bolso, mas tira e usa uma Bic por conta da preferência de Bolsonaro.

 

Renúncias, não

Nove em cada dez economistas acham que seria um erro iniciar uma reforma tributária mantendo, por exemplo, as do Simples (R$ 8,3 bilhões), da Zona Franca de Manaus (R$ 23 bilhões), abatimentos do IRPF para saúde (R$ 17,2 bilhões) e educação (R$ 4,7 bilhões). E sem falar nas filantrópicas.

Frases

    “Serei o embaixador mais cobrado do mundo. Alguém tem dúvida de que um espirro meu mal dado lá pode ser explorado de forma negativa pela imprensa no Brasil? Este será um desafio.”

Eduardo Bolsonaro,