Os especialistas em Lava Jato preveem um grande escândalo envolvendo o sistema de pedágio no Paraná. O assunto promete. Um ex-motorista que trabalhava na presidência da Rodonorte disse aos procuradores do Ministério Público Federal que entregou malas de dinheiro no Palácio Iguaçu, sede do governo do Estado, durante a gestão do ex-governador Beto Richa (PSDB). Segundo a investigação, além dos montantes levados ao Palácio Iguaçu, ele também relatou entregas no Tribunal de Contas do Estado (TCE/PR) e na associação das empresas concessionárias, que era usada para repassar propina aos políticos.

Richa foi um dos alvos da investigação das operações Integração I e II da Lava Jato, e chegou a ser preso preventivamente. Ele, que nega participação em desvios, é réu sob acusação de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, apontado como um dos beneficiados pelo esquema. Os detalhes sobre o esquema fazem parte do acordo de leniência celebrado pela Rodonorte com o Ministério Público Federal, no qual a concessionária se comprometeu a reduzir o valor das tarifas em 30% nas praças que mantém no Estado. Após a homologação, a empresa terá 30 dias para implantar a redução da tarifa de pedágio, que deve se estender por pelo menos um ano, até somar R$ 350 milhões em abatimentos.

Propinas

No acordo de leniência, a concessionária Rodonorte admite o pagamento de propinas milionárias a integrantes do governo do Estado – que é alvo da Operação Lava Jato. Segundo as investigações, empresas que administravam o pedágio pagavam percentuais de propina a agentes públicos e políticos há cerca de 20 anos, em troca da supressão de obras previstas em contrato e de reajustes de tarifas em seu benefício.

 

Afano na CNI

Espantou o presidente Jair Bolsonaro o relato de Eduardo Eugênio Gouveia Vieira, titular interino da Confederação Nacional da Indústria, sobre o escândalo de corrupção na entidade. “Recebi o cara da CNI há pouco e estou impressionado com o que estavam fazendo com este País”, desabafou Bolsonaro, de cenho cerrado, sobre sua audiência a Vieira, instantes antes de iniciar a conversa com jornalistas, dias atrás. A coluna tentou saber detalhes da conversa, mas Vieira não quis falar.

Meteram a mão

Gouveia Vieira fez a caveira do presidente afastado da CNI, Robson Andrade, detalhando a roubalheira revelada pela Operação Fantoche. Nem precisava: Bolsonaro estava informado dos detalhes da apuração da Polícia Federal, antes mesmo de serem detalhadas publicamente.

Esquema antigo

A PF investiga afano de mais de R$400 milhões usando uma agência de viagens do Recife, terra do ex-presidente da CNI Armando Monteiro. Titular do conselho nacional do Sesi, o ex-presidente da Firjan Gouveia Vieira é candidatíssimo a se efetivar na presidência da CNI.

Mais empregos

Curitiba foi capital que mais gerou empregos no Brasil em janeiro, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado pelo Ministério do Trabalho. Entre todas as cidades do país, Curitiba ficou em terceiro lugar. A capital registrou 3.534 novas vagas de emprego com carteira assinada, superando até mesmo São Paulo, a maior cidade do país, que abriu 3.434 novos empregos.

Saldo positivo

Entre as cidades, Curitiba ficou atrás de Vacaria (RS), que teve um saldo positivo de 5.223 vagas, e Dourados (MS), com 4.441 novos postos de trabalho. Durante todo o mês de janeiro, 28.165 trabalhadores foram admitidos em Curitiba, enquanto o número de demissões foi de 24.631.

Mulheres no trampo

O segmento que mais emprega mão de obra feminina é o de confecções e artigos do vestuário, com 75% da força de trabalho. Homens são apenas 25% dos empregados. Uma explicação é que, geralmente, este segmento necessita de mais habilidade manual e cuidado nos detalhes e no acabamento porque parte da produção não é realizada por máquinas. E essa pode ser uma vantagem competitiva para elas na hora de ingressarem na atividade industrial.

Fármacos

Outro setor relevante é o de fabricação de produtos farmoquímicos, com 57% de mulheres empregadas, contra 43% de trabalhadores do sexo masculino. Outras duas áreas têm importante participação delas, fabricação de produtos diversos, onde respondem por 46% das vagas, e de produtos têxteis, 45%.

Alimentos

Em números absolutos, o setor de alimentos é o maior para as mulheres, com 69 mil empregadas. Seguido por confecções e artigos do vestuário, com 41 mil, e de fabricação de móveis, com 9 mil.

Escolaridade

Com relação à escolaridade, 70% das trabalhadoras têm ensino médio completo e 15% são graduadas. Já entre os homens, o número é parecido quando se refere ao ensino médio, mesmos 70%, mas menor, 13%, com ensino superior completo. O cenário é parecido quando se avalia a procura por cursos de graduação e pós-graduação nas Faculdades da Indústria (IEL e Senai).

Mourão recua

O vice-presidente Hamilton Mourão escolheu a semana de carnaval para sinalizar que não vai cumprir o compromisso de assumir como sua qualquer decisão do presidente Jair Bolsonaro. É que ele não agiu assim no caso da socióloga Ilona Szabó, cujo desconvite para integrar Conselho de Política Criminal e Penitenciária foi decisão de Bolsonaro. Mourão criticou o fato de a colunista da Folha ter sido desconvidada: “perde o Brasil”, afirmou. Questionado, ele não comentou seu recuo.

Ainda promete mudar

O vice-presidente acha que o País perde por não sentar à mesa “com gente que diverge”. E foi bem mais além: “temos que mudar isso aí”. Mourão disse à Rádio Bandeirantes, há duas semanas, que continuaria opinando, mas adotaria (e defenderia) qualquer decisão do presidente. Bolsonaro costuma telefonar reclamando de declarações de ministros e do vice. O tempo certamente fechou entre os dois.

Novo recorde

As atrações turísticas da Itaipu Binacional registraram um novo recorde de visitação no feriado de carnaval, de sábado (2) a terça-feira (5). No período, passaram pela usina 15.897 visitantes, movimento 18,60% superior ao registrado no mesmo feriadão de 2018. O fluxo foi superior até mesmo à previsão do Complexo Turístico de Itaipu (CTI), que esperava um incremento de 5% na visitação. O CTI é responsável pela gestão do turismo na margem brasileira de Itaipu desde 2007, quando foi implantado o atual modelo de visitação na empresa.

Ecomuseu

O destaque do carnaval deste ano foi o Ecomuseu, que recebeu 2.558 visitantes nos quatro dias, acréscimo de 85,36% na comparação com igual período do ano passado. Os números não incluem as visitas institucionais nem as da margem paraguaia da usina.

Casamento de iguais

A campeã de votos Janaína Pachoal (PSL) encara a aliança PT-PSDB para eleger Cauê Macris presidente da Assembleia Legislativa paulista: Conchavo que mais parece casamento de jacaré com cobra d’água.

Mais um capítulo

Olhando com lupa, a nova tentativa do Ministério Público Federal de envolver Gilmar Mendes com investigados é mais um capítulo da velha briga de procuradores com o ministro. Na presidência do STF, ontem, só se falava nas advertências de Gilmar sobre ‘tentativa de intimidação’ A juíza aposentada Denise Frossard, celebrizada pelo enfrentamento a essa corja, deve ter achado no mínimo curioso observar na Sapucaí bicheiros e traficantes abraçando o discurso esquerdista no Carnaval.

Pergunta na lotérica

Se na Mega-Sena Caixa arrecadou em 2018 mais de R$800 milhões e pagou apenas R$69 milhões em prêmios, por que diabos seu atual presidente só fala em privatizar justamente a área que dá tanto lucro?

Sem perigo de dar certo

O ex-governador Ronaldo Lessa (PDT), que não distingue pepino de cenoura, virou secretário de Agricultura de Alagoas. Com a maior pinta de quem se vê na cadeira de piloto de Boeing sem nunca ter voado.

Deserto dos Deputados

A agenda da Câmara previa “sessão de debates” nesta Quarta de Cinzas, em Brasília. O sistema de presença da Casa registrava apenas seis (meia dúzia) de parlamentares até às 16h de ontem.

Que vergonha

Projeto de Roberto de Lucena (Pode-SP) pretende estender imunidade tributária a imóveis que ficam no mesmo terreno de igreja. Para piorar, o projeto tramita conclusivamente, ou seja, nem precisa ir a Plenário.

Pensando bem…

Postagens de Bolsonaro no Twitter fazem lembrar a necessidade do VDM, o assessor encarregado de advertir: “Vai Dar M(*), presidente”.

 

Twitter de Carnaval

Certamente sem ter o que fazer em benefício dos brasileiros, o presidente Jair Bolsonaro gastou um bom tempo do período de Carnaval para se dedicar a novas e surpreendentes publicações no Twitter. Primeiro, deu sinais de que pode mudar o que quiser no governo (inclusive a reforma da Previdência) e que não abre mão de ter o filho Carlos a seu lado (ele pode se licenciar da Câmara, no Rio). Considera o 02 importante e inteligente (e não abre mão dele). Depois, briga com Daniela Mercury por causa da música dela com participação de Caetano Veloso, Proibido o Carnaval e avisa que o teto de Lei Rouanet será de R$ 5 milhões. Finalmente, posta vídeo de uma cena em que um travesti parece dançando após introduzir o dedo no ânus e outro urina na cabeça dele.

 

Nada muda

Lula havia prometido não se manifestar politicamente no velório do neto Arthur, de sete anos. não cumpriu a palavra: acenou, abraçou correligionários, fez selfies e avisou: “Eu disse ao Arthur que vou encontra-lo no céu com um diploma de inocência”. Nas redes sociais, em seguida, multiplicava a reação: “Lula não vai para o céu, não é inocente e não tem diploma”. A operação Curitiba-velório movimentou mais pessoas do que o volume de petistas que estavam à espera de Lula no cemitério.

 

Empoderamento

A atriz Bruna Lizmeyer, que já bateu no peito na TV e disse ser “sapatão”, depois de ser fotografada exibindo as axilas com pelos, reforça esse tipo de empoderamento (é o que ela acha), posando de pernas abertas e mostrando pelos da virilha. Algumas amigas acharam exagero; é uma área que exige cuidados de higiene. Outras, amaram e até classificaram a região de “jardim”.

 

Atração especial

Anitta e Neymar juntos, circulando pelos camarotes, transformaram-se em atração especial. Entraram num cercadinho de Preta Gil onde estava Bruna Marquezine e aguentaram uma saia justa. Estavam sempre abraçados e os beijos foram no rosto: não rolou nada dentre eles e Anita confirmou: “Não peguei o Neymar, não”. E foi para casa com Gabriel Medina e outros amigos para comer um prato de miojo vegano. Bruna foi embora, chorando.

 

Verde e amarelo

Depois de se exibir de bermudas e chinelos Rider em reunião ministerial, o presidente Bolsonaro parece ter aderido a novo modelito que lembra Lula. De cara, tem usado uma gravata azul com faixas em verde e amarelo (a de Lula tinha faixas mais grossas). Essa gravata é inspirada num certo e surpreendente ufanismo nacionalista. Tem também uma listrada de branco e preto e outra, totalmente preta. Lula trocava de terno e gravata (tudo confeccionado por Ricardo Almeida e pago por Duda Mendonça) quase todos os dias. Bolsonaro tem apenas três ternos cinza e cinco gravatas.

 

Carta branca revogada

Quando topou entrar no governo Bolsonaro em novembro do ano passado, o então juiz Sérgio Moro prometeu não manchar sua biografia. Tinha recebido de Bolsonaro carta branca para combater o crime organizado e a corrupção. Quando mandou exonerar a cientista política Ilona Szabó um dia depois de sua nomeação, tirou de Moro a autonomia prometida – e num telefonema. A carta branca foi rasgada. O ministro vai continuar.

 

Vaquinha

O ex-astrólogo Olavo de Carvalho coloca na internet um pedido de socorro: precisa urgentemente de dinheiro. Está sendo pressionado pelo Imposto de Renda de lá, deve pagar o hospital que cuidou dele quando enfrentou um câncer de traqueia, os livros pararam de vender e os cursos online minguaram. Há também a área jurídica: Olavo já perdeu processos, foi condenado a pagar indenizações e nunca teve condições de pagar (ou não quis pagar) até os agentes do Judiciário baterem em sua porta. A propósito: Bolsonaro nunca o convidou para ser embaixador em Washington: ele inventou essa história.

 

Temporário

Fábio Schvartsman pediu afastamento temporário da presidência da Vale caso contrário seria preso pela força-tarefa armada em Minas Gerais. “Afastamento temporário” não significa demissão. Poderá voltar no futuro, caso o Conselho permita e caso contrário, esse “temporário” significa que ele tem direito a salários, mordomias, bônus e tudo mais e saindo para valer, um acerto de contas significaria um volume na casa dos nove números.

 

Indenização

Depois de 14 anos de briga na Justiça, o Superior Tribunal de Justiça condenou Miguel Falabella e Claudia Raia a pagarem R$ 2,2 milhões de indenização à família do escritor Mauro Rasi, morto em 2003. Os dois são acusados de encenar, sem autorização, a peça Batalha de arroz, um ringue para dois em Portugal em 2005. Eles têm quinze dias para pagar ou poderão ter bens bloqueados pela Justiça.

 

Sem sofrência

A ex-roliça Marília Mendonça está circulando com 20 quilos a menos: fez uma cirurgia na cintura, afinando a área e reforçando os seios com grande dose de silicone (e ela está orgulhosa do tamanho). Tudo isso sem nenhuma sofrência, muito ao contrário.

 

Outra oferta

O governo voltou a oferecer a Gustavo Bebianno, ex-chefe da Secretaria Geral, uma embaixada na Europa. A primeira oferta aconteceu no auge da crise entre ele e Bolsonaro – e Bebianno recusou. Agora, está pensando melhor.

 

Com chifres

Fez sucesso em São Paulo uma máscara de cartolina reproduzindo em foto a cara do prefeito Bruno Covas – e de chifres. E com, frases que liquidavam o alcaide au grand complet. Até o próprio Bruno acabou conseguindo uma “para guardar”. À propósito de Covas: seus inimigos querem saber o que faz uma figura chamada Gustavo Pires, assessor do prefeito, que gasta muito em passagens – incluindo exterior.

 

Mais uma

Anda a prefeitura de São Paulo que, no ano que vem, deverá ser disputada por quase dez nomes: agora, a mulher de Fernando Haddad, Ana Estela, deverá concorrer pelo PT. A ideia é fazer dela um poste do maridão, que aprendeu a jogada.

 

Patrimônio

Grande grupo de mulheres que foram destaque nas escolas de samba usando mínima roupa e fio dental estão dispostas a criar um movimento para fazer da solitária faixinha que corre à derrière patrimônio móvel nacional.  Defendem que também nas praias o minguado fio tem sido usado em grande quantidade. O mais surpreendente é a contida reação do bloco masculino. Em suas transmissões, a Rede Globo preferiu evitar de focar a área exposta: deve ser uma crise de moralidade.

 

Mais 100

Sem nenhum alarde, o governo andou nomeando para o segundo escalão de diversas áreas, incluindo agências do INSS, um lote de mais 100 militares. Na maioria dos casos, eles estão assumindo sem ter noção do que farão: são segmentos onde nunca atuaram. Só que aceitam os baixos salários. Na época de Lula, ele nomeou correligionários para os postos do INSS e o sistema quase parou.

 

Primeiro mês

Jair Bolsonaro avisou que iria acabar com a farra dos cartões de crédito, mas a Presidência da República apenas no primeiro mês da nova gestão não só manteve o uso dos cartões como foi responsável pelo faturamento de 1,1 milhões de reais.

 

Mudança

A repórter Andrea Sadi, da GloboNews, vai morar em São Paulo para ficar mais perto do namorado, Alexandre Yousseff, atual secretario da Cultura do prefeito Bruno Covas. Andrea fará cobertura dos acontecimentos de São Paulo e poderá ter um programa semanal de entrevistas. Nos corredores globais, a gozação é sobre os cabelos de Andrea que fazem concorrência aos da correspondente Ilze Scanparini: é o chamado estilo Maria Madalena. Yousseff já foi casado com a atriz Leandra Leal e é um dos fundadores do Baixo Augusta.

 

Acordo coletivo

Na quarta-feira passada (27), o painel da Câmara Federal foi aberto, excepcionalmente às 6h da manhã. Os deputados tratavam de registrar presença e sumiam em seguida, esticando em mais dois dias o feriadão do carnaval. A generosidade teve o acordo do presidente da Casa, Rodrigo Maia, que vai aumentando seu bloco de seguidores e em todos os partidos.

 

É o Brasil!

Na reforma da Previdência há um tópico que aumenta a alíquota de 22% de Imposto de Renda para funcionários que ganham acima de R$ 39 mil. Essa nova mordida já movimenta o Judiciário onde se encontram servidores desse bloco. Eles podem recorrer – e até decidir. Além dos salários, adicionais, penduricalhos e aposentadoria integral, o Judiciário tem o privilégio de decidir que leis podem ou não ser aplicadas à própria categoria.

 

Vergonha mundial

Trecho de matéria do Financial Times para a Venezuela garante que não existe, hoje, em todo país, um rolo sequer de papel higiênico. Até Nicolás Maduro, família, assessores e demais seguidores (incluindo militares) já teriam criado “uma nova alternativa”.

 

De volta

Uma solução para melhor proteger na folia dos blocos celular, cartão, documento e algum dinheiro proliferou nesse carnaval um acessório do passado: as pochetes voltaram – para eles e elas.

 

Campeão

Para quem não sabe: o Brasil é o grande blindador mundial, disparado o que mais blinda no mundo. São Paulo puxa o número, mas é geral. O Brasil blinda, em média, 16 mil carros por ano, enquanto o segundo colocado, que é o México, blinda menos de três mil. Quem conhece a área, garante que o país tem o melhor know how do mundo. Nas fábricas, há filas de espera. Detalhe: anos à frente, o carro blindado fica com valor muito menor.

 

Papa negro

A Unidos da Tijuca, que se excedeu em símbolos do cristianismo, sem que nenhum religioso reclamasse (nas redes sociais, os católicos protestavam e recomendavam que usassem Maomé para ver o resultado), apresentava um papa negro, na pele de Ailton Graça, que andou até de papamóvel, como ineditismo. Na peça Auto da Compadecida, de Ariano Suassuna, já montada diversas vezes no país, o personagem do Papa já era negro.

 

O fator Joice

Rodrigo Maia, presidente da Câmara, gostou da indicação de Joice Hasselmann (PSL-SP) para líder do Congresso. Abriu um canal de interlocução com o Planalto que Rodrigo havia negado ao deputado Vitor Hugo (PSL-GO), líder da Câmara. E quem ganhou também foi Onyx Lorenzoni (Casa Civil) que enfim conseguiu em Joice uma representante com trânsito no Legislativo.

 

De novo

O Carnaval acaba e o trabalho recomeça, exceto para o Congresso, que só volta na semana que vem, depois de 13 dias de folga.

 

Mil faces

A atriz Bruna Marquezine depois de um ano sabático, voltará ao horário nobre na novela Amor de Mãe, de Manuela Dias, que deve estrear em novembro. Por enquanto, ainda vai curtindo seus dias de descanso e aproveitou muito o Carnaval entre Salvador e Rio. E mostrou que pode ter mil faces; na Bahia, apareceu com uma peruca loira  e batizou  o visual de “Bem Barbiezinha ciclista”, já no Rio onde era musa do Nosso Camarote, apareceu com uma peruca morena de cabelos curtinhos e foi super elogiada, só que teve que deixar o camarote, após ter uma crise de choro, ao ver seu ex-namorado, Neymar chegar ao mesmo local abraçado com a cantora Anitta.

No carnaval é permitido

Um dos mais tradicionais bailes de carnaval, o do Hotel Copacabana Palace, que acontece há 95 anos e é um dos mais luxuosos, teve como rainha, este ano, Deborah Secco, que se mostrou empolgada desde do anúncio. Ela chegou num macacão transparente cobrindo somente partes estratégicas. Depois no meio da festa se transformou em Sophia Loren, com uma peruca morena cacheada e lentes de contados e joias avaliadas em quase R$ 1,5 milhão. “Ah, o carnaval que nos permite a ousadia de ser Sophia Loren por um dia!”. Também passaram pelo baile entre outras, Mariana Ximenes, a jornalista Ana Paula Araújo,  Maria Padilha, Luiza Brunet, Alinne Moraes e Debora Bloch.