A 45ª Casa de Criadores reservou para o último dia, este sábado 8, o 1º Desafio Sou de Algodão, com seis selecionados entre 400 inscritos. O desfile acontecerá às 20h30, na Praça das Artes, centro de São Paulo, quando um júri escolherá o vencedor. Com temas sociais, entre os concorrentes estão o Ateliê Fomenta, de Fellipe Campos e Fernando Carvalho, estudantes de Moda da Faculdade Santa Marcelina/SP, e a marca Era Brand, de Alan da Silva Dantas, Lays Santos e Patrick Langkammer, da Universidade Veiga de Almeida/RJ.

Diante de um clima político ameaçador, o Ateliê Fomenta criou  a coleção O Passado Nunca Mais, pontuada por sarjas de cores sóbrias e estampas militares. Fellipe Carvalho qualifica o trabalho de “roupa-documento”, e o título é uma referência ao livro-denúncia Tortura Nunca Mais. Período histórico situado dos anos 60 a 80, as vestes contestam a estética de moda desse período. Fellipe descreve: “As peças da coleção foram baseadas nos shapes da época, tentando exacerbar as suas concepções originais, dando grande foco aos volumes rodados e modelagens em evasê”.

Eduardo Silva, coordenador de comunicação da Cedro Têxtil, uma das apoiadoras do concurso de novos talentos, observa: “Como ponta da cadeia produtiva de moda, somos os primeiros a buscar a novidade para nossos clientes. E isso tem tudo a ver com esse olhar disruptivo e contestador que os estudantes estão trazendo para esse universo”.

Em tempo de intolerância, Oxumarê, a coleção dos cariocas da Era Brand, traz um visual baseado no orixá que simboliza opulência e poder. Assim, as cores predominantes são dourada e do arco-íris e o tingimento é manual. Na ideia, diz Allan Dantas, é  “ valorizar o resgate de nossas origens e a riqueza da cultura brasileira”.

O certame integra o programa Sou de Algodão, em que a Abrapa e do Instituto Brasileiro do Algodão visam conscientizar o consumidor final sobre os benefícios da matéria-prima e fomentar as práticas responsáveis da cotonicultura.