A Páscoa deste ano deverá abrir 54,6 mil vagas de trabalho temporário em todo o país, de acordo com a Asserttem.

A Páscoa deste ano deverá abrir 54,6 mil vagas de trabalho temporário em todo o país, de acordo com a Asserttem (Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário). Para a entidade, a expansão do crédito e dos pontos de venda são alguns dos fatores que justificam as vagas.

O aumento na demanda de mão-de-obra é 11% superior à Páscoa do ano passado. A indústria alimentícia já está contratando temporários, absorvendo 60% do total de postos de trabalho previstos. As atividades mais requisitadas são as de auxiliar de produção, de expedição, motorista e entregador. Já o comércio será responsável pelos outros 40% requisitando vendedores, demonstradores e repositores.

A Páscoa representa a terceira melhor data do ano para os lojistas, atrás do Natal e do Dia das Mães.

A expectativa da entidade também é positiva quanto ao número de vagas que devem se tornar definitivas após o feriado. "Assim como aconteceu depois do último Natal, quando 35% dos temporários foram efetivados, a Páscoa deve representar emprego novo para cerca de 20 mil brasileiros", afirmou Vander Morales, da Asserttem.

Segundo a associação, os homens ainda são os que mais encontram oportunidades nesse tipo de trabalho. Das vagas temporárias, 55% têm sido preenchidas pelo sexo masculino. Entre os Estados, São Paulo é o que mais deve contratar na Páscoa: 32% do total. Em seguida vêm Rio de Janeiro (15%), Rio Grande do Sul (11%) e Minas Gerais (8%).