Partidos da oposição venezuelana expulsaram no domingo (1º) parlamentares que teriam defendido indevidamente um empresário ligado ao ditador Nicolás Maduro.
Uma reportagem publicada no fim de semana pelo site Armando.Info apontava nove deputados aliados de Juan Guaidó por manobras em favor do empresário colombiano Carlos Lizcano, vinculado ao programa de distribuição de alimentos subsidiados mantido pelo regime de Maduro.
Após a publicação da reportagem, os partidos Primeira Justiça, Vontade Popular e Um Novo Tempo -os principais da oposição- excluíram de suas bancadas cinco deputados citados pelo texto. Os demais fazem parte de outras siglas.
Em uma rede social, Guaidó disse que a legislatura investigaria de maneira “independente” as denúncias, contando com a participação de ONGs e veículos de imprensa. Ele também afirmou que convidará os autores da reportagem a se apresentarem ao Parlamento durante a investigação.
Segundo o site, Lizcano teria conexões com outros dois colombianos, Alex Saab e seu sócio Álvaro Pulido, que estão sob sanções dos EUA por serem acusados de superfaturarem alimentos importados para os Comitês Locais de Abastecimento e Produção (Clap).