Parceria da Volkswagen com Governo garante unidade de cuidados paliativos que atenderá pacientes do SUS

429

A Volkswagen do Brasil e o Governo do Paraná acabam de inaugurar o Hospice Erasto Gaertner, unidade que oferece tratamento humanizado e qualidade de vida para pacientes com sintomas decorrentes do câncer que precisam de cuidados específicos. Participaram da cerimônia o presidente e CEO da Volkswagen América Latina, Pablo Di Si, o governador do Estado, Carlos Massa Ratinho Junior e o Superintendente do Hospital Erasto Gaertner, Adriano Lago.
Durante o evento, Pablo Di Si também anunciou mais uma importante iniciativa da Volkswagen, em parceria com o Governo do Paraná, para a construção de uma nova Unidade Hematológica do Hospital Erasto Gaertner. O projeto de mais de R$ 5,5 milhões de investimento oferecerá tratamento com transplante de medula óssea para mais de 150 pacientes por ano, melhorando a operação, capacitação e segurança dos tratamentos, com uso intensivo de tecnologia no tratamento de câncer.
“A Volkswagen tem uma relação muito próxima com o Estado do Paraná, onde temos uma de nossas principais fábricas, localizada em São José dos Pinhais, que produz o T‑Cross, primeiro SUV da marca no Brasil e líder de vendas em seu segmento. Além de gerar empregos, e contribuir com o desenvolvimento do Estado, a Volkswagen trilha também o caminho da responsabilidade social com a comunidade paranaense, investindo muito nessa região”, afirma Pablo Di Si.
O Estado destinou, ainda, por meio da Secretaria da Saúde, R$ 709 mil para a aquisição de equipamentos. “O Hospital Erasto Gaertner conta com uma fantástica equipe de profissionais e tem importância muito grande para o Paraná e para o Brasil”, afirmou o governador.
O Hospice Erasto Gaertner, voltado exclusivamente para pacientes com doenças em estágio terminal e apoio a seus familiares, vai permitir duplicar a média anual dos atendimentos e principais procedimentos médicos do serviço de cuidados paliativos. Segundo o Ratinho Junior, a estrutura e a metodologia representam um avanço no tratamento de câncer. “Esses pacientes necessitam de atenção dos profissionais e familiares. A nova estrutura deverá oferecer essa qualidade de atendimento”, destacou o governador.
Pessoas diagnosticadas com uma doença em estágio terminal precisam de cuidados específicos, seja para amenizar os sintomas da enfermidade, como também receber tratamento humanizado em um momento de grande vulnerabilidade. Pensando nessa necessidade, a Volkswagen investiu mais de R$ 3 milhões na construção da Unidade de Cuidados Paliativos do Hospital Erasto Gaertner, que já está preparada para receber a certificação ambiental de edificação WELL (WELL Building Standard), que envolve 10 elementos relacionados à qualidade do ar, da água, iluminação, nutrição, entre outros, que aderem à finalidade de utilização do espaço que é referência no Estado no tratamento contra o câncer.
A primeira unidade de cuidados paliativos do Sul do Brasil conta com pronto atendimento, ambulatório e 26 leitos humanizados, com proposta de decoração mais semelhante a de uma casa do que de um hospital e acomodações para acompanhante, além de espaços de convivência, o que proporcionará maior conforto e apoio emocional a todos, mas principalmente qualidade de vida.
A unidade acomodará prioritariamente pacientes já em tratamento via SUS no Hospital Erasto Gaertner, mas também oferecerá atendimentos privados através de parcerias com operadoras de planos de saúde.
De acordo com o superintendente do HEG, Adriano Lago, o Hospice Erasto Gaertner é uma grande inovação no tratamento dos pacientes. “Tínhamos dificuldades em manter os pacientes paliativos junto aos pacientes que estão em tratamento curativo. Com essa estrutura vamos oferecer ambos os serviços de maneira adequada”, explica Lago.
O superintendente acrescentou que a nova unidade permitirá ampliar o atendimento no centro de tratamento principal do hospital, com a relocação do setor paliativo para o Hospice. Hoje a instituição tem cerca de 450 pacientes no atendimento paliativo. “A perspectiva é que, em 24 meses, tenhamos em torno de 900 pacientes em acompanhamento nessa nova estrutura”, indicou.