Paraná, o que mais cresce

426

A produção industrial paranaense cresceu 5,7% em 2019 no comparativo com o ano anterior, maior evolução do País, segundo dados do IBGE. A indústria nacional recuou 1,1% no mesmo período. Na variação mensal entre novembro e dezembro de 2019, o setor cresceu 4,8% no Paraná, também o maior resultado do Brasil.

Para o governador Ratinho Jr, o desempenho industrial paranaense resulta da capacidade técnica, de pessoal e de investimento do setor: “O crescimento do setor é um termômetro da confiança do setor empresarial e de como o Estado evolui rapidamente”.

O governador destacou, ainda, a atração de R$ 23 bilhões em projetos privados para o Estado em 2019, o que tende a aumentar o volume da produção industrial nos próximos anos. Neste ano já foi anunciado um investimento de R$ 650 milhões da Prati-Donaduzzi em uma nova planta em Toledo, no Oeste. “Para manter esse ritmo econômico há um esforço de todo o Governo do Estado em atrair investimentos, gerar empregos, descomplicar os trâmites burocráticos e aumentar a nossa capacidade produtiva”, complementou Ratinho Junior.

Não devolve

O Tribunal de Justiça indeferiu pedido do ex-governador Beto Richa para que lhe fossem devolvidos objetos pessoais apreendidos pelo Gaeco em sua residência, em 11 de setembro de 2018, quando foi preso temporariamente pela primeira vez sob suspeita de chefiar o esquema que desviou R$ 21 milhões da construção e reforma de escolas, investigado pela Operação Quadro Negro.

Pequenez

Os objetos que Richa queria lhe fossem devolvidos são 11 pares de óculos, um cinto, além de vários relógios e canetas de marca, prendedores de gravata, correntes, pulseiras e anéis. O Ministério Público, no entanto, pediu à Justiça autorização para vender esses bens para, pelo menos em parte, cobrir os prejuízos sofridos pelo estado.

Gaeco em ação

O Gaeco cumpri cinco mandados de prisão temporária e 18 de busca e apreensão em Paranacity e em municípios próximos, todos no Noroeste do Estado. Realizada no âmbito da Operação Coleta, a ação tem como alvo dois ex-secretários do município, um advogado contratado e dois empresários. A Operação Coleta investiga a atuação criminosa de servidores e empresários que teriam se utilizado de empresas para o desvio de dinheiro público.

TC multa Rangel

O Tribunal de Contas multou em R$ 28.649,70 o prefeito de Ponta Grossa, Marcelo Rangel Cruz de Oliveira (gestões 2013-2016 e 2017-2020). A importância resulta de sete sanções aplicadas ao gestor. Cabe recurso. Cinco irregularidades motivaram o parecer pela desaprovação das contas, entre elas a realização ilegal de gastos de R$ 678.449,12 com publicidade institucional nos três meses que antecederam as eleições municipais daquele ano.

Plano B

O deputado federal e presidente do PSC do Paraná, Paulo Martins, conversou com o pré-candidato do PSD, Ney Leprevost sobre o quadro eleitoral em Curitiba. Martins se colocou na disputa à prefeitura, por determinação da executiva nacional que deseja candidato em todas as capitais do Brasil, mas não descarta uma composição com Leprevost para a sigla ficar com a vice.

PCdoB tem chapa

O presidente do PCdoB, Jonivan de Oliveira, informa que o partido lançará 57 candidatos a vereador em Curitiba e pretende fazer entre uma a duas cadeiras na eleição de outubro. O PCdoB não elege um vereador desde 2004. Camila Lanes será a candidata a prefeita.

MDB de Londrina

O MDB de Londrina filia professor e delegado Águila Misuta, que já foi abordado pela Democracia Cristã, DEM e PMN. Será o candidato a prefeito com o aval de João Arruda, presidente estadual.

 

Correndo atrás

Hoje, dois milhões de brasileiros consultam diariamente sites na internet em busca de concursos públicos. 185 órgãos estão com inscrições abertas quase 14 mil vagada e há oportunidades para todos os níveis de escolaridade. Nesta semana, 12 órgãos abriram inscrições para quase 850 vagas. O maior concurso é o da Secretaria do Meio Ambiente do Pará: 340 vagas. Em Vargem Grande do Sul, em São Paulo, os salários chegam a R$ 11,6 mil, só para dar melhor ideia da farra.

Na fronteira

Sérgio Moro vai acelerar a instalação, ainda este ano, de mais dois Centros Integrados de Operações de Fronteira (Ciofs), a exemplo da unidade de Foz do Iguaçu, inaugurada em dezembro, Mato Grosso, divisa com Bolívia e Roraima, limites com Venezuela e Colômbia deverão ser os locais escolhidos. São chamadas de “áreas quentes” da fronteira brasileira porque concentram as principais rotas de entradas de drogas e armas do país.

Ainda Ciofs

Sérgio Moro quer dar uma dimensão maior aos Ciofs, centros não apenas de operação, mas, sobretudo, de inteligência, que integram dados da Polícia Federal, Receita Federal, Abin e Unidade de Inteligência Financeira (antigo Coaf). O objetivo é transformá-lo em instâncias multilaterais de combate ao crime organizado. Ministros da Justiça de países vizinhos serão convidados a ocupar cadeiras permanentes nesses centros.

Cidade nua

As tragédias familiares e comerciais se multiplicam em São Paulo por conta das enchentes e um de seus cartões de visitas estão de portas fechadas, como se a cidade estivesse nua. São restaurantes (baratos e caros) e especialmente os barzinhos de calçadas. Não se vê nem sinal deles: quem abre, fica vazio. Não há clima nem para uma cervejinha.

Do lado

Abraham Weintraub, hoje quase ex-ministro da Educação, foi alijado das tratativas Planalto-Congresso para a prorrogação ou não do Fundeb, responsável por 60% dos investimentos nas escolas públicas. É um sinal e tanto.

Briga de casal

Depois da delação ter sido homologada pelo STF, o ex-governador Sérgio Cabral, condenado a mais de 100 anos de prisão, confirmou lavagem de dinheiro por meio de escritório de sua mulher e declara que ela sabia do seu “caixa paralelo”. A defesa da ex-primeira-dama dá um salto: “Esse depoimento não pode ser levado a sério”. Todos os envolvidos nesse processo acham que Cabral não poupará Adriana em lance algum, especialmente porque ela agora namora um homem casado, ex-amigo do próprio ex-governador.

Papa!

O secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, Paulo Uebel, chamou o ministro Paulo Guedes, num evento, de “Papa Guedes”. Muitos acharam que foi um engano repleto de significado psicológico. O ministro gostou e mais tarde, com assessores íntimos, repetia com certo fôlego: “Papa Guedes! Papa Guedes! Soa bem!”.

Quem vem

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, vai receber em março uma comitiva de empresários indianos do agronegócio. É mais um gesto de maior proximidade nas relações comerciais entre os dois países. A própria ministra deixa escapar sua impaciência: “Por ora, aliás, só gestos”.

Olho nas fraudes

Em 2019, o governo suspendeu ou cancelou em definitivo mais de 260 mil aposentadorias irregulares, poupando R$ 5 bilhões. Provas de vida em larga escala não foram feitas. Hoje, há apenas uma espécie de pescaria de fraudes em determinadas regiões. Alguns casos são escandalosos. Em dezembro, o INSS identificou quatro mil servidores públicos, estaduais e municipais, que recebiam indevidamente o benefício.

Herói morto

O clã Bolsonaro não fala sobre a morte do ex-capitão do Bope fluminense morto pelo Bope baiano na Esplanada: para eles, o líder de matadores de aluguel do Rio, Adriano Magalhães de Nóbrega é um herói. Onde morreu, o cemitério foi erguido por Antonio Conselheiro, líder do fanatismo religioso no serão baiano no final do século 19. Adriano sempre soube que seria morto, não seria preso: considerava-se um “arquivo vivo”, que tinha de desaparecer.

Chumbo trocado

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (ainda no PSL-SP) está acusando sua ex-colega Joice Hasselmann (PSL-SP), que agora é uma espécie de nova inimiga de espalhar fake news através de uma “milícia joiciana” contra ele, sua família e aliados. Detalhe a deputada fez a mesma denúncia contra o Eduardo e o clã presidencial na CPMI da Fake News.

Saiu antes

A nomeação do novo ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho já foi publicada no Diário Oficial da União, assim como a de Gustavo Canuto, que ocupava a pasta, à frente da Dataprev. Sua nomeação saiu bem antes da futura nova secretária da Cultura, Regina Duarte, que foi escolhida bem antes.

Frases

 “É uma desumanidade, uma grosseria que não merece nem comentário.”

Drauzio Varella, comentando declaração de Jair Bolsonaro sobre portadores de HIV.