Paraná  lidera  mercado ilegal de cigarros  em 2018

453

Edson Vismona : “Os brasileiros que migram do mercado legal para o ilegal para poder economizar dinheiro e ao mesmo tempo aumenta o consumo, por conta do crescimento do mercado ilegal”.

Uma pesquisa realizada pelo Ibope mostra que o  mercado ilegal de cigarros atingiu um patamar inédito no Brasil. Em 2018, de  acordo com levantamento do instituto, 54% de todos os cigarros vendidos no país são  ilegais, um crescimento de seis pontos percentuais em relação ao ano anterior.

Desse total, 50% foram contrabandeados do Paraguai e 5% foram produzidos por empresas que operam irregularmente no país. A pesquisa do Ibope foi realizada em 208 municípios de todo o país, por meio de entrevistas presenciais e com recolhimento dos maços de forma a garantir a precisão da informação. Foram ouvidos 8.266 consumidores entre 18 e 64 anos.

Já os resultados verificados pelo Ibope no Paraná são ainda mais graves que os apurados nacionalmente. Em 2018, o mercado de cigarros contrabandeados no Estado atingiu 59% do total, o equivalente a cerca de R$ 292 milhões de reais que os cofres públicos deixaram de arrecadar em ICMS. De 2015 a 2018, o mercado ilegal deste produto no Estado cresceu 22% em volume e 7 pontos percentuais em participação de mercado. As marcas contrabandeadas mais populares no Paraná foram a Classic, com 34% de market share, seguida do Eight (8%) e Fox (5%).

Para Edson Vismona, presidente do Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial (ETCO), um fator perverso decorrente do aumento no contrabando de cigarros é que, pressionados pela crise que o país enfrenta, os brasileiros que migram do mercado legal para o ilegal para poder economizar dinheiro e ao mesmo tempo aumentar o consumo. “O levantamento apontou que, mesmo gastando menos, já que os cigarros contrabandeados não seguem a política de preço mínimo estabelecida em lei, os consumidores acabam fumando, em média, dois cigarros a mais por dia. Isso mostra que as políticas de redução de consumo adotadas pelo governo não estão sendo eficazes, por conta do crescimento do mercado ilegal” afirma Vismona.

Outro efeito negativo no crescimento do consumo de cigarros contrabandeados é o avanço na evasão fiscal. Em 2018, o Brasil irá deixar de arrecadar R$ 11,5 bilhões em impostos. Esse valor é 1,6 vezes superior ao orçamento da Polícia Federal para o ano, e poderia ser revertido para a construção de 121 mil casas populares ou 6 mil creches. Pela primeira vez desde 2011, a evasão de impostos será maior do que a arrecadação, que deve fechar o ano em R$ 11,4 bilhões.

O principal estímulo a esse crescimento é a enorme diferença tributária sobre o cigarro praticada nos dois países. O Brasil cobra em média 71% de impostos sobre o cigarro produzido legalmente no país, chegando a até 90% em alguns estados, enquanto que no Paraguai as taxas são de apenas 18%, a mais baixa da América Latina. Com isso, a média de preço dos produtos ilegais vem caindo, e em 2018 a diferença do valor cobrado entre os cigarros brasileiros e paraguaios chegou a 128%.

Mercedes-Benz reúne clientes da Sprinter

Demonstração, em Curitiba, do programa eletrônico de estabilidade ESP Adaptativo

A Mercedes-Benz e o seu concessionário Van Center Rodobens reuniram cerca de 180 clientes da região metropolitana de Curitiba, no Paraná, de vários segmentos de transporte, para uma apresentação dinâmica da atuação do ESP Adaptativo 9i®, exclusividade da Sprinter no País. Para tanto recentemente  foi montado um percurso especial no espaço de eventos Expotrade. A condução do veículo, especialmente preparado para esta ação de demonstração, ficou a cargo de engenheiros da fábrica, que também apresentaram as características desse programa de controle de estabilidade, seus benefícios e vantagens no dia a dia do transporte de passageiros e de carga.

“Desde 2012, todas as versões de vans, furgões e chassis com cabina da Linha Sprinter vêm equipadas, de série, com o programa eletrônico de estabilidade ESP Adaptativo 9i®”, diz Jefferson Ferrarez, diretor de Vendas e Marketing Vans da Mercedes-Benz do Brasil. “Só nós temos um ESP tão completo e sofisticado. Com isso, mais uma vez, nossa Empresa inova e se antecipa muito à legislação, porque, a partir de 2020, novos veículos comerciais leves de todas as outras marcas somente serão homologados pelo Contran com controle de estabilidade.  Com mais de 1.000 m² de área construída, o Van Center Rodobens de Curitiba está localizado na avenida Marechal Floriano Peixoto, 3.215, no bairro do Parolin, próximo ao centro da cidade, o que facilita muito o acesso dos clientes.


Discriminação com executivas de tecnologia

Os programas de diversidade ainda não estão causando o impacto e resultado esperados pelas mulheres que atuam com tecnologia da informação. É o que aponta pesquisa realizada pela Michael Page, uma das maiores empresas globais de recrutamento especializado de profissionais de média e alta gerência, parte do PageGroup. De acordo com o levantamento, 85% das respondentes informaram que há discriminação no segmento de TI. Os homens compartilham da mesma opinião das mulheres: para 62% dos respondentes, há discriminação no setor de tecnologia.

“Está claro que o ambiente diverso ainda não é uma realidade nas empresas de TI. A grande maioria das mulheres expressou essa situação e expôs um problema que precisa ser equacionado. É importante também entender as reais causas desta questão. Será que isto acontece por falta de qualificação profissional? Preconceito? Poucas mulheres nesse mercado? “, questiona João Paulo Kluppel, gerente executivo da Michael Page.

Parte dessas respostas podem ser encontradas na própria pesquisa. Esse levantamento contou com 1745 respondentes, sendo que apenas 12% são do gênero feminino. Nos processos seletivos conduzidos pelo PageGoup nos últimos dois anos, a cada 10 entrevistas realizadas para a área de TI, apenas três profissionais eram mulheres. Dados da Sociedade Brasileira de computação mostram que 15% das matrículas nos cursos de Ciência da Computação e de Engenharia são feitas por mulheres e apenas 17% são programadoras no Brasil. empresas e setores.


Nova etapa do torneio de Kart

Nos dias 10 e 11 de novembro o kartódromo Raceland Internacional, em Pinhais-PR, recebe a etapa que irá definir os campeões e vices do Torneio de Inverno da Copa Super Paraná de Kart (SPK). A pontuação está acirrada em quase todas ascategorias, o que promete boas disputas no final de semana. Organizada e promovida pela APK-RMC (Associação de Pilotos de Kart da Região Metropolitana de Curitiba) e supervisionada pela FPRA (Federação Paranaense de Automobilismo), a expectativa é uma média de 70 pilotos e o evento terá a ainda participação da categoria Feka de Kart Amador, que conhecerá o campeão da temporada 2018.


Grife Mario Adinolfi em Curitiba

Curitiba foi a cidade escolhida para o lançamento do e-commerce da grife Mario Adinolfi. Com um trajetória longa na moda – desde 1850 a família Adinolfi produz couro de forma artesanal para as principais labels do mercado fashion internacional, a marca chegou ao país em 2016 pelas mãos dos empresários Mario Adinolfi e Paolo Chiarlone. Carregando a tradição italiana, a sofisticação nos detalhes e técnicas artesanais em seu DNA, a grife conta com peças atemporais em couro, que não seguem o calendário sazonal da moda, feitas apenas com matéria-prima de primeira qualidade. Exclusivos e numerados, as bolsas e demais acessórios Mario Adinolfi são produzidos em Napóles, na Itália.
Mario Adinolfi e Paolo Chiarlone recebem convidados para o evento de lançamento da loja virtual da marca na segunda-feira, dia 12 de novembro, no DSGN Selo Light Lab.


Abla debate mobilidade

“A menor distância entre você e o carro dos seus sonhos chama-se aluguel de veículos”. É com esse mote principal que a ABLA chegará ao Salão Internacional do Automóvel de São Paulo, entre 8 e 18 de novembro próximos. O objetivo será o de mostrar aos visitantes do evento que “estamos no mundo da experiência e não mais no mundo da propriedade”. Para Paulo Miguel Junior, presidente do Conselho Nacional da ABLA, “nada é mais fácil do que alugar um carro para estar sempre dirigindo um modelo novo”, diz ele. “O nosso desafio é para que as pessoas sintam a liberdade, a comodidade e a flexibilidade de alugar o carro que desejam experimentar”.

Trata-se de mostrar no evento que é possível viver a experiência de pilotar o carro que quiser, sem ter de gastar muito dinheiro para compra-lo. “E, se o visitante do evento não tem mais carro, usa aplicativos ou outros meios de transporte, queremos que ele experimente alugar um carro para complementar o ir e vir e participar deste novo conceito de mobilidade urbana”.


Feira de economia solidária

Até  9 de novembro, a Rede Marista de Solidariedade, por meio da Trilhas Incubadora Social Marista, realiza a 13ª Feira de Economia Solidária. O evento promove a comercialização de produtos artesanais, oficinas de trabalhos manuais, além de clube de trocas de serviços e de um fórum organizado pelo Cadastro de Empreendimentos Econômicos Solidários (Cadsol). O evento, que tem participação gratuita para expositores e visitantes, será realizado no bloco amarelo da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) das 9h às 19h.

A artesã Magali de Fátima Martins da Rosa conheceu a economia solidária por meio da Trilhas, e desde 2012 participa de todas as edições da feira comercializando seus produtos de crochê e patchworks. “Eu espero ansiosamente a chegada do evento principalmente pelo encontro e por toda formação que ele proporciona, o que mudou muito a forma como vejo meu negócio. ”


Pedido de falência registra queda

Os pedidos de falência recuaram 14,8% no acumulado do ano (janeiro a outubro de 2018 comparado ao mesmo período de 2017), segundo dados com abrangência nacional da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Mantida a base de comparação, as falências decretadas registraram alta de 12,5% e os pedidos de recuperação judicial subiram 6,3%. As recuperações judiciais deferidas apontaram queda de 0,4%.

Na comparação mensal os pedidos de falência subiram 18,9% em relação a setembro, assim como os pedidos de recuperação judicial (12,8%), falências decretadas (25,8%) e recuperações judiciais deferidas (5,7%).


Parceria entre Acrefi e Ciee

A Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (ACREFI) e o Centro de Integração Empresa Escola – CIEE, duas instituições com mais de cinquenta anos, formalizaram, nesta quinta-feira (1/11), uma importante parceria para compartilhar conhecimentos sobre  cidadania financeira. O “Termo de Cooperação” foi assinado pelo Presidente da ACREFI, Hilgo Gonçalves, e pelo Superintendente Jurídico, Compliance e Comunicação do CIEE, Ricardo Melantonio.

Hilgo Gonçalves enfatiza que a iniciativa visa fomentar a Cidadania Financeira (inclusão, proteção e educação financeira) além de criar um grupo de voluntários executivos associados da entidade que irão ministrar palestras e bate-papos aos jovens atendidos pelo CIEE. “Diversos assuntos como educação financeira, inclusão no mercado de trabalho, direito do consumidor, como poupar, investir e fazer bom uso do dinheiro estarão na pauta”, enfatiza.