Foto Gilson Abreu/AEN

O Paraná criou 59.295 vagas formais de emprego entre janeiro e setembro de 2019, de acordo com levantamento do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado nesta quinta-feira (17). O Estado está entre os que mais geraram oportunidades de trabalho no País neste ano, junto com São Paulo, Minas Gerais e Santa Catarina. Houve crescimento de 2,28% no número de vagas abertas no mercado paranaense em relação ao mesmo período de 2018.

Em setembro, o Paraná registrou 9.218 novas vagas. Com ajuste sazonal, também nesse índice o Estado registrou crescimento em relação ao mesmo mês do ano passado e em relação a agosto deste ano, que teve 8.726 contratações.

Segundo o governador Carlos Massa Ratinho Junior, os resultados estão na esteira de um panorama econômico mais favorável ao Paraná. “Organizamos a máquina pública, pacificamos o ambiente de negócios e conseguimos atrair mais de R$ 16 bilhões de investimentos privados neste ano. Também destravamos o processo de abertura de empresas”, afirmou, ressaltando diversas medidas para modernizar a infraestrutura.

O secretário de Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost, reforçou que as políticas adotadas no Estado a partir deste ano têm como foco ampliar as oportunidades de emprego e renda para os paranaenses. Ele destaca que o Estado também reforçou os atendimentos nas Agências do Trabalhador para intermediar as contratações. “Seguimos uma linha constante de crescimento. Estamos mergulhados em uma ação proativa nas Agências do Trabalhador para intermediar mão de obra para as empresas e na missão de qualificar cada vez mais os trabalhadores paranaenses”, apontou.

O principal impulsionador do emprego no Estado no ano foi o setor de serviços, com saldo de 36.343 novos empregos, crescimento de 3,5% em relação ao mesmo período de 2018 – em setembro deste ano foram 4.341 contratações. A construção civil também indica sinais de plena retomada com crescimento de 8,21% no ano, o que representa 9.883 novas vagas.

O terceiro setor que mais contratou foi a indústria de transformação, evidência que já havia sido detectada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que destacou o Paraná com o maior índice de crescimento na atividade industrial do País entre janeiro e agosto, com 6,5%. No consolidado do ano foram 7.565 novas vagas no setor, aumento de 1,19% em relação a 2018.

Os subsetores que mais contrataram na indústria foram química de produtos farmacêuticos, veterinários, perfumaria (1.570); produtos alimentícios, bebidas e álcool etílico (1.464); têxtil do vestuário e artefatos de tecidos (1.457); mecânica (1.256); e metalúrgica (1.124).