Para o MP, tenista Thiago Wild cometeu crime contra a saúde pública

444

O Ministério Público do Paraná, por meio da 2ª Promotoria de Justiça de Marechal Cândido Rondon requisitou a instauração de inquérito policial para apurar a conduta do atleta profissional Thiago Wild que é acusado de ter descumprido o protocolo indicado para pessoas com suspeita de contaminação pelo coronavírus.
O tenista, que possui familiares no município, estava no Rio de Janeiro, com sintomas de contaminação, e foi visitar a família em Marechal Cândido Rondon, enquanto aguardava o resultado do exame para confirmação do contágio pelo vírus. Segundo o MP, na terça-feira (24), ele anunciou nas redes sociais que o exame teve resultado positivo para o coronavírus. “Tendo em vista que o atleta, nesse meio tempo, manteve contato com diversas pessoas, sem manter o isolamento domiciliar, o MPPR considerou que ele pode ter cometido crime contra a saúde pública, razão pela qual solicitou a investigação policial”. Crimes O inquérito apurará a prática dos crimes de desobediência e infração de medida sanitária preventiva, previstos no Código Penal (artigos 268 e 330), que podem resultar na aplicação de sanções como detenção e multa.

Com a medida, o Ministério Público do Paraná destaca que o desrespeito às orientações das autoridades sanitárias, além de representar um risco à saúde própria e da comunidade, pode resultar em responsabilização criminal.

Na manhã de hoje o Delegado de Polícia Civil da cidade informou também que investiga o caso.

Com informações de MP / Aquiagora.net